quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

No Já?

Nunca fiz questão de você na minha vida...
E não vai ser agora que eu vou começar.

Da Arte De Perder Alguém

Vivemos dizendo que é muito fácil perder uma pessoa. Basta cometer um errinho, que seja fatal e acabe com todo o castelo de cartas construído, e geralmente é sempre dito do ponto de vista de quem é sacaneado, porque convenhamos, os injustiçados tem uma maior inspiração pra contar quão magoadinhos eles se sentem com as traições... Mas convenções sociais de lado, vamos falar sobre a arte de perder alguém.
Perder alguém, como todas as outras coisas na vida, é uma arte: é bonita ou feia... Depende dos olhos de quem perde e de quem é perdido. 
Ainda não estou certa se perdi ou ganhei estando sem você, só sei que eu estou sentindo uma falta danada de você e eu vou me agarrar à esse fio de esperança até que ele se rompa, porque por enquanto te perder parece ser perder uma parte muito valiosa de mim e mesmo que digam que eu estou melhor sem você, eu me sinto vazia sem ter a certeza de que você ainda me ama do jeito que eu te amo.
O que eu fiz... Seja lá o que for, não pode ser tão grave assim, pode? Será que eu cometi um erro colossal e nem mesmo me dei conta de que o estava fazendo? De qualquer forma, eu estou aqui, esperando me redimir de todas as formas que eu ver que são possíveis. 
Eu não quero perder você, não agora, não.
Eu quero começar meu ano sabendo que eu ainda estou inteira... Ainda tô contigo.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Shuffle e suas lições

Ironicamente, o shuffle do iTunes foi feito para sacanear com a nossa cara.
Mas dessa vez, com uma coletânea de músicas que já não escuto mais com a frequência louca que escutava antes, me lembrei de mim mesma na época em que essas canções faziam sucesso na minha cabeça.
E me veio aquela garota amarga e fria. Apesar de se apaixonar e se encantar com os "carinhas errados", já que o meu tipo parecia estar atrelado àqueles meninos desejados e cafajestes, também uma garota desacreditada.
Desacreditada depois de umas quedas que deixaram cicatrizes que até hoje se tornam difíceis de esconder, e que se tocar, dói.
Era um duo de fria como o gelo + cega de amor.
Lágrimas? Só com O Cão e a Raposa e quando a raiva já havia consumido as fibras do meu ser.
Confessar amor? Nem com 50 chibatadas.
Tinha uma barreira de titânio e uma arrogância irrevogável.
A letra da música gritando nos meus ouvidos e na minha memória, olhei pro espelho. Foi uma longa espera e um processo lento, mas valeu a pena.
Só de pensar no que o meu eu-de-algum-tempo-atrás faria numa situação dessas agora, é perceptível, o quanto baixei a guarda, o quanto mudei. Todo mundo sabe, todo mundo vê.
Apesar de jurar que sim, não me arrependo de nada.
Tudo isso teve que ser vivido e serviu para me tornar quem sou hoje.
Sou feita de todas essas cicatrizes e não-cicatrizes.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Desatando nós de nós.

Éramos nós navegantes naus, nuvens nuas
Puros, intactos
Tocados pelo céu que faz pactos
Com o Sol e que abraça as Luas

Éramos sorrisos e estrelas-guia
Éramos Deuses de nós
Éramos antigos faraós
Trazendo a noite, atando-a ao dia

E de repente, num piscar
O céu se encheu de escuridão
Pouco a pouco buraco negro, um vão
Que estávamos prestes a nos tornar.

Desatino de dois seres sós
Desatando tudo que nos unia
Nem mas noite, nem mais dia
Nem mais nós.

Ampulheta


A gente se define por momentos que fizeram a gente de alguma forma sair da nossa rotina, não é mesmo?
E são esses lapsos no tempo que moldam o nosso comportamento, nossa personalidade e tudo que nós somos como um todo.
E nesses flashbacks da vida, já pararam pra pensar que esses momentos foram os mais breves?
Como quando a gente gira uma pequena ampulheta e fica olhando a areia descer e parece que é tão devagar... O tempo. Que aí sim a gente se dá conta de que os momentos que fizeram valer somados não dão mais que uma hora...

Aproveite seus cinco segundos.

Forgive, Not Forget

Quando as pessoas chegam num dado momento da vida delas, elas tendem a se arrepender das coisas que eles fizeram ou deixaram de fazer... As pessoas que eles amavam, mas não tiveram chance de mostrar porque estavam ocupadas demais fazendo beicinho pra conseguir tudo à sua maneira... Enfim, se existe um sentimento universal que todo mundo vai passar na vida, será com certeza o arrependimento.
Eu cuido em contar para as pessoas que eu amo, que eu as amo e que isso provavelmente não mudará num futuro próximo... Quer elas estejam aqui doo meu lado ou noutro continente, eu preciso pôr isso pra fora para que esse sentimento tão grande dentro de mim não transborde e caia no esquecimento. 
Confrontos são um pesadelo pra mim, então eu tendo a perdoar as pessoas pelos erros que elas cometem... Afinal de contas, você desperdiçaria uma amizade ou um amor por um errinho idiota? Quando a gente para pra ver quão besta a gente foi, talvez seja tarde demais pra mudar essa realidade e é terrível viver com o peso de uma coisa não resolvida e que permanecerá assim pra sempre.
O que eu realmente quero dizer é que eu perdoo e pra maioria das pessoas eu estou sendo ingênua ao fazê-lo, ou que eu estou dando motivo pra pessoa me sacanear de novo, mas eu quero deixar algo esclarecido: quando uma pessoa me fere, ela é perdoada, mas as coisas entre nós NUNCA serão as mesmas novamente e é como se fosse um bolo ou uma pizza, sabe? Cada um arranca o que pode de mim, mas quando esgota... Aí eu me esgoto.
E então... Eu perdoo.
Mas não esqueço.

The State I'm In

Sabe o que eu amo na gente? Não temos fotos, nem aliança, mas temos sinceridade, cumplicidade, respeito, amor na medida certa e principalmente um ao outro. Não existe razão pra insegurança e quando o assunto é nós dois, tudo sempre se resolve. Mesmo que tenhamos defeitos sobrando, sabemos da nossa imperfeição e mesmo assim você dá o melhor de você pra mim e eu dou o melhor de mim pra você. Eu sei que ninguém te enxerga assim como eu, mas só eu sei dos segredos, das promessas, de tudo o que nós sonhamos e que eu guardo pra te manter só meu. Mesmo com todas as estúpidas desavenças que ocorreram e ocorrerão, se você decidir ficar pra sempre, do jeito que eu espero, eu prometo que eu vou ser a mulher que mudou sua vida. Prometo te honrar e te respeitar, te amar todos os dias, até mesmo se um dia você tornar isso difícil. Prometo porque sei que você fará o mesmo por mim, porque você me ama e me adora. Porque eu sou mais que tua amiga, que tua amante, eu sou tua mulher, tua parceira...
E nada na vida é fácil e simples, mas com você, juro...
Tudo fica bem mais suportável.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Eu sinto muito.


Aqui estou eu, caminhando na ponta da sapatilha, pesquisando coisas que me lembram você, desenhando, cantando, tentando...
Tentando levar uma vida sem suspiros, sem você.

Eu sei que são apenas alguns dias mas parece muito. 
Você é tão essencial que fica difícil permanecer aqui, 
arrumando desculpas pra não sentir sua falta.

Só que eu sinto.
Eu sinto muito.
Volta logo.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

IN-ON-IN-ON

Sim, isso é uma emergência.
Preciso que você me tire desse tédio, me arranque dessa solidão como quem realmente quer me ter por completa... Nem que seja por algumas horas, ou dias, semanas, meses ou uma vida inteira. Não quero que você me tire de forma lenta, calma, para que eu possa me ajustar... Eu quero que você me arranque daqui com a mesma agilidade com a qual você parte um coração: rápido. Quero ser sugada pra qualquer outro mundo que não seja o meu de agora, quero que você me leve pro mundo que eu sempre quis conhecer, que eu sempre sonhei viver... Com você ou não, não importa o que você vai escolher no final... Ou quem você vai escolher. O que importa é que esse mundo que eu conheço com a palma da minha mão está me entediando.
Quero mais de você dentro de mim, quero que você apague essa chama que me consome cada vez mais, quero que você sacie toda minha vontade de você, de conhecer você por inteiro e ouvir você gemer baixinho no meu ouvido, pelo menos pra saber que por um segundo eu fiz sua cabeça ficar tão doida quanto a minha.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Mantenha ele no lugar dele: FORA DA SUA VIDA

Depois que se termina um relacionamento, ESTÁ ACABADO, ele não deve mais nada a você e você não deve mais nada a ele. Não existe isso dele cobrar absolutamente NADA de você, porque qualquer tipo de satisfação a um garoto que ainda não cresceu, é a última coisa que você deve fazer.
O que ele quer é sair na melhor, melhor retrato da síndrome da vítima, então PARE de dar atenção a ele. Exclua essa peste do seu facebook, agenda telefônica, twitter, bbm, whatsapp, da sua VIDA.
Esse garoto não tem o direito de te encher o saco mais e nem de te dizer o que QUER!
Cultivar qualquer tipo de conversa só te fará sofrer, então pra quê? Pra quê dar a chance dele conseguir fazer com que você se sinta culpada por uma coisa que você só deu o seu melhor?
Existe muita gente no mundo, e eu tenho certeza absoluta que uma pessoa tá esperando pra te fazer sentir como você merece. Sei que soa como o clichê mais manjado, mas não é.
E por favor, nem precisa gastar seu tempo virando vida louca porque esse fofinho destruiu seu coração. Ficar com vários garotos não vai te fazer feliz, e ficar com os amigos dele, pior ainda; então se for pra perder tempo vá pelo menos gastá-lo com algo produtivo e que não te faça arrepender-se depois.
Quando você menos espera o garoto certo aparece finalmente, ou até, sua cegueira momentânea acaba e você passa a ver quem estava mesmo do teu lado.

Escute a voz da experiência.







"Now you'll never see what you've done to me. You can take back your memories, they're no good to me. And here's all your lies, you can look me in the eyes with the sad, sad look that you wear so well"

domingo, 18 de dezembro de 2011

MOTHER OF GOD!

Estava sentada, usando o computador, quando meu irmão se aproximou segurando e me mostrando um conjunto bruto de pedras cristal.
– Olha que legal. Tava guardado há um tempão. E, olha só, esse cristal tá se lapidando sozinho.
– É mesmo.
– Estranho, né?
– É.
– Não, eu não acho. É a natureza, e a natureza não é estranha. – em seguida, ele tentou arrancar o cristal que se lapidava sozinho. De repente, vários pedacinhos de cristal voaram por toda a parte: escrivaninha, teclado, tela do computador, chão, no meu roupão, até nos meus olhos. Ele se paralisou, temendo a minha reação, pois achava que eu brigaria epicamente com ele por isso. Após o ocorrido, não me contive e explodi de gargalhada, assim como ele.
– QUÊ ISSO!!! KKKKKKKK – e começou a catar os mil pedaços espalhados.
– “SANTO CRISTO!” KKKKKKKKKK
– “MOTHER OF GOD!” – imita o meme gesticulando um óculos imaginário – KKKKKKKK
– QUÊ QUE VOCÊ FEZ, VÉI?! KKKKKKKKK
– EXPLODIU! KKKKKKKKKKK Eu fui tentar tirar o cristal lapidado! – se abaixou para catar os pedaços no chão e resmungou – Esses elfos, viu... Esse cristal era dos elfos. Eu fui pegar, eu, que sou druida... Aí teve esse choque de poderes... de mágica... Eu acho, porque... né... pra ter acontecido isso, não sei, vai saber! kkk
– kkkkkkk Véi, sujou tudo aqui! Tem até no meu teclado!
– kkkkkkkkkkk Foi no teu olho?
– Foi! Só que eu fechei na hora.
– Isso porque você não viu daqui de cima! kkkkkkkkkkkkkkkkkk Explodiu por toda a parte, véi, tá louco!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Corazón

Eu te quis tanto, mas tanto, que até hoje procuro uma palavra perfeita pra descrever a intensidade de tudo que eu sentia por você. Sério. Você foi a melhor pessoa que eu conheci e me deu uma gama de coisas, inclusive tudo o que eu sei hoje, eu sei porque você existiu, se eu me tornar alguém grande é porque no começo, quando eu era menor, você me ensinou sobre como é amar e ser amada.
Eu amo você até hoje e não escondo isso de ninguém que vier perguntar, eu amo amo amo amo amo você tanto que chega a doer, porque eu sei que você não tá aqui comigo mais, eu sei que as possibilidades de eu te ver são remotas, mas ainda assim eu nutro por você um sentimento tão grande que só tende a crescer em mim.
Sinceras desculpas por pensar que você partiu meu coração porque você queria me ver caída, por te odiar com toda fibra do meu ser até descobrir que esse ódio todo era amor. Eu quero estar contigo, mesmo que não podendo estar estar contigo, entende?
Acho que dessa vez eu parti seu coração só pra ver se você tinha um, e adivinha?
Você tem.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Eyes

Menina, você não presta. Lide com isso.
Você pode se fazer de inocente, mas todo mundo já sacou qual é a sua.
Você só quer destruir pessoas felizes porque você não constrói a sua felicidade.
Tudo o que eu quero de você é distância: sai de uma vez por todas da minha vida e me poupa o trabalho de ter que olhar nesses olhos dissimulados fingindo que você realmente se importa.

I Wanna Hold Your Hand

A gente não se entende em um olhar... A gente na verdade não precisa nem se olhar pra saber exatamente o que o outro tá sentindo, eu só preciso segurar a sua mão pra sentir que tipo de emoção você tá passando, eu só preciso sentir você me tocar pra saber exatamente o que você está sentindo.
Basta eu te tocar pra eu sentir todo o amor que você guardou só pra mim, só pra eu poder suspirar quando falam teu nome. Nossos olhares conversam e tem longos diálogos sobre todo esse fogo guardado na gente, mas nosso toque transmite tudo que vai perecer, por mais que tudo esteja terrível, basta você segurar minha mão para eu saber que você não vai sair correndo pro lado oposto.
Porque eu sei que quando você segura minha mão, você evita que eu afunde, que eu me afogue no contentamento de viver a vida indiferente, você não só segura minha mão, amor.
Você me salva todos os dias.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Instinto

Eu vou, você para. Você vem e eu paro. Ah, querido, sincronia nunca foi o nosso forte, não é mesmo?
A gente regrediu aproximadamente dez anos e isso definitivamente não me deixa feliz... Quero deixar os romances adolescentes para os adolescentes, porque nós somos adultos agora e não tem mais como isso parar, a gente devia estar fucking ao invés de se encarando.
Ou só eu penso isso?

Papo de elfo e amor de orc

— Por que você tá usando na direita?

— Porque é de namoro. Na esquerda é de casamento.

— Que isso? Papo de elfo? Isso me soa papo de elfo, eles que te disseram isso? Porque eu não acredito no que os elfos falam. Isso parece coisa de elfo...
Os orcs não, os orcs usam pulseiras. Umas pulseiras que têm uns espinhos por dentro, sabe? E nesses espinhos têm... veneno do amor. Aí colocam no braço assim... a orc coloca no orc assim, né... — demonstra fazendo gestos no próprio braço — e a pulseira fecha encaixando no braço. E fica. Pra sempre. Eles nunca mais se separam, são bem fiéis um ao outro. Pensa que os orcs são só ogros? Feios? Verdes? Não, eles são irados.
E os dragões? Nem comento. Sabe como os dragões fazem? Eles rasgam a asa. Se você vir um dragão com um rasgo em formato de raio na asa, esse dragão é casado.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Sobre ser só, só.

Sim, dessa vez eu sou a louca incontrolável, insone, exagerada, histérica chamando seu nome de traz pra frente, vendo tudo borrado, sem fazer o menor sentido. Sou eu na contramão de mim, querendo um pouco do muito melhor que você tem dentro de si, pra encher um pouquinho do meu si. É pedir demais que você me estenda a mão na hora que eu mais preciso? É pedir demais pra você me ajudar a sair desse chão imundo, devagar para que eu não fique tonta, para que minha náusea não se exteriorize? Meu estômago dói e na cabeça ecoa o ultimato: Ou você está aqui e fica aqui pra sempre ou sou só eu com esse vestido bufante, enfeitada e patética, te esperando, deitada no carpete do banheiro, me embriagando com solidão...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Meu pequeno sonho,

é você aqui pra me abraçar durante essa sucessão de pesadelos.

"Aonde está você agora além de aqui, dentro de mim?"

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Dear Nonsense Girl,

Vou cortar é a tua cara (;

Carinhosamente,

Kali.

sábado, 19 de novembro de 2011

AEAEAEAEAEAEAEAE!


AEAEAEAEAEAE!!!!

AEEEEEEEEEEEEEEEEAEAEAEAE

AEAEAEAEEEEEEEEEAEAEAEAE

domingo, 13 de novembro de 2011

Me deseje sorte

"Demorei muito para acreditar na mais louca e cruel verdade: quem gosta de você vai te tratar bem. Quem gosta de você se importa, quer o melhor, te procura, te liga, te dá satisfação. Quem gosta quer estar junto. Quem gosta demonstra. Quem gosta faz planos. Quem gosta apresenta para a família e amigos. Quem gosta manda uma mensagem bobinha só pra dizer que ama. Quem gosta carrega uma foto sua pra ver quando dá saudade. Quem gosta abraça na hora de dormir. Quem gosta dá um beijo de boa noite e de bom dia. Quem gosta aguenta suas reclamações, sua cólica infernal, suas manhas e manias. 
Me desculpa, mas não existe medo que seja maior que um sentimento. Não existe timidez que seja mais forte que uma declaração de amor. Não existe distância que deixe uma relação morrer se as duas pessoas querem ficar coladinhas. Não existe estou-dividido-entre-ela-e-você.
Quem gosta pode se perder, mas sempre vai saber pra onde quer voltar."

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

As Vitrines

Quando você tá longe, eu fico triste triste.
Mas quando você tá perto, mesmo sem falar nada, eu me sinto tão segura, tão feliz e tão satisfeita.
E só a expectativa de que você vá dizer algo, mesmo que idiota, já põe um sorriso no meu rosto.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Pois é.

Eu quero professar meu amor por você para todo mundo, eu quero fazer anúncios no jornal e dizer pra todo mundo que finalmente chegou a minha vez de amar direito... Amar com a alma e com o coração, amar com tudo que pertence a mim, tudo que eu posso te oferecer.
Eu quero virar pra você e dizer que eu amo você e que eu nunca na minha vida senti uma coisa tão intensa e que isso me assusta pra caramba, eu quero contar pra você como tudo em mim revira só de te olhar, mas ao invés disso eu digo um quase inaudível "oi" só pra que eu realmente saiba que você tá reconhecendo minha presença de verdade, e quando você pergunta como eu estou - mesmo que eu saiba que seja só por educação - eu respondo que sim querendo gritar um não enorme bem na sua cara, só pra você ver que eu estou passando pelo  inferno só pra eu conseguir assumir que eu gosto de você.
Porque eu sei que você não gosta de mim.

domingo, 6 de novembro de 2011

É...

Sou muito ruim. Mesmo.





E sinto-me até mais aliviada por finalmente admitir isso.
A mim mesma.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Sarah Blasko - All I Want | SK Session


Me desculpa se em algum ponto do caminho eu não soube dissociar você de mim e a gente parou nesse limbo onde pode haver céu ou inferno no futuro. Me desculpa se eu não fui o que você esperou, se eu tenho ficado distante e se minha mágoa criou uma redoma ao meu redor e ninguém consegue me acessar. Você não entenderia o porquê disso tudo se eu contasse. Não vai adiantar me abraçar apertado e dizer que me ama. Não vai resolver mudar de atitude e prestar atenção se eu me ausento. A única pessoa que nunca vai me deixar sou eu.
E se eu não me conheço, eu não vou saber como te amar plenamente.
E se você não me conhece, você nunca me amou de verdade.
I don't want another lover

So don't keep holding out your hands
There's no room beside me
I'm not looking for romance
Say i'll be here, I'll be here
But there's no way you'd understand
All I want

All I want
All I want
When I don't even know myself
I don't want another partner

So don't try and break the spell
I can't even understand me
So don't think that you can help
When I say things and see things
There's no way on earth to tell
All I want

All I want
All I want
Cause I don't even know myself
No one wants to be lonely

But what am I to do
I'm just trying to be honest
I don't want to hurt you too
When I'll be there, I'll be there
I know I sound confused

But all I want

All I want
All I want
All I want
All I want
Say all I want
All I want is to one day come to know myself.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Brincando

A gente brinca quando é pequena, mas geralmente não tem problema, é normal e até saudável para as crianças brincarem e manterem-se sempre ativas, seja lá qual brincadeira seja ou o que eles inventem.
O problema é quando a gente cresce e toma gosto pelas brincadeiras. E as bonecas não nos satisfazem mais tanto quanto antes... Quando a gente toma gosto pelas brincadeiras, a gente descobre que pessoas também servem pra brincar, que elas também são moldáveis e seguem ordens.
Eu não quero brincar com você, juro, não quero que você seja uma marionete
- só porque isso deu errado um dia -
Eu quero que você entre nessa brincadeira comigo e jogue meu jogo, eu juro que eu nivelo o campo de batalha de alguma forma, mas por favor, para de ser moldável, porque quanto mais moldável você fica, mais eu fico tentada a brincar com você.
Joga meu jogo que eu deixo você ganhar.

Trembling

Minhas pernas estão bambas.
Todo o meu corpo está tremendo.
É pedir demais que você saia quando você nem está mais perto?

SickSickSick

Eu quero me ver longe de você. Eu quero me desvencilhar de todas essas correntes que me prendem à você, que te permitem me torturar a cada dia mais, me marcar mais; eu quero tirar você da minha cabeça, eu quero uma reabilitação de você, me desintoxicar de vez sem temer o que vai acontecer se eu sair na rua e você não estiver por perto só pra me ver passar e nada mais.
Eu quero deixar de ficar doente...
Eu quero não querer seu corpo colado no meu.
Eu quero não querer sua alma fundida à minha.
Eu quero não querer te matar toda vez que eu percebo que eu te amo.
Porque isso me intoxica, isso me mata aos poucos e eu quero que você queira se desintoxicar de mim, eu quero que você queira ficar bem para que eu tenha paz de espírito na hora de te deixar, para que eu saiba que você vai se virar tão bem como eu, seja num manicômio ou na vida real, eu quero que você queira quebrar essas correntes e me deixar em paz.
Mas eu sou doente por você e isso não cessa.
É como uma febre que não passa, um vírus que muda toda vez que eu descubro uma cura...
Você não quer sair de mim com a mesma intensidade que eu não quero que você vá embora,

Kiss Me

A gente sempre teve essa química, não é mesmo? Algo sempre faísca, incendeia, brilha quando a gente tá junto e eu nunca consegui realmente apontar o dedo para o que era esse elemento tão fantástico que me faz querer ficar bem bem bem perto de você toda hora.
Mas acho que ninguém apóia muito o que a gente tem, e se apóia, só tá esperando o momento derradeiro em que você vai pular do barco... Ou eu vou pular do barco e deixar ele afundar. Mas eu não quero que isso aconteça, porque mesmo quando tudo parece estar degringolando, você diz que as coisas vão melhorar e eu acredito. Você me faz alimentar esperanças que eu nunca tive antes e isso já é muito, eu te digo isso.
Agora?
Só falta você me beijar e a gente começar...

A Sombra - Ação

Não se assombre, meu doce veneno, se me deleito com tua acidez.
Me devora de dentro pra fora? Vai...
Queima tudo dentro de mim, me faz sentir tua ira e teu amor, me faz perder o foco e vem me invadir feroz e sereno como o mar pra eu me afogar em teus beijos...
E aí eu viro brasa, eu morro aos poucos pra me libertar dessa casca e poder deitar ao seu lado toda noite.
Do que é feito a alma se não de paixões e soluços?
Do que é feita a mente se não de objetivos e tropeços, de imaginação e remorsos?
Ai ai, se tudo fosse simples essa noite o telefone tocaria, seria você dizendo "sabe quem é?" e eu responderia com um sorriso nos lábios: "eu nunca me esqueci". Você, como minha sombra, nunca saiu de mim.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Verb: Could Be

So... It could go like this:
I drive.
You drink.
We fuck.
They will never know.
He, she and it don't matter in that process.

domingo, 30 de outubro de 2011

Grown Up

Eu já estou bem crescidinha, olha só pra mim!
Eu já brinquei com bonecas, já me descobri por inteira, já sofri e fiz exatamente o que você fez... O pior é que você sabe de tudo isso que eu estou dizendo, não sabe?
Eu sou crescida e eu sei que eu tenho liberdade pra fazer o que eu quero na hora que eu quero e que nada pode interferir nisso, você não paga as minhas contas, você nem faz questão de conversar comigo direito... Honestamente, você prolonga as coisas comigo, sabendo que não tem mais volta.
Então, não me dê razão pra sentir vergonha só porque eu consegui crescer mais do que você e talvez, ao invés de me julgar, você possa crescer também.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Needy

Talvez seja a carência ou a lentidão com a qual as pessoas avançam numa relação hoje em dia, mas eu me sinto completamente estranha por estar esperando por coisas cujas chances de acontecerem são quase nulas. Geralmente neste estágio em que as pessoas ficam buzinando contínuamente no seu ouvido que você vai conseguir o que quer... Quando você não está concentrada em conseguir aquilo.
Como quando a gente perde uma coisa, procura loucamente por ela, não encontra e quando vai procurar outra coisa que perdeu, a gente acha a primeira. Eu passei minha vida inteira procurando por algo nos lugares errados, ou eu estava procurando a coisa errada nos lugares certos? De qualquer forma, eu sei que eu encontrei alguém que supre minhas necessidades...
Só eu achei isso incrivelmente impessoal?
Ok, por falta de melhor expressão, vai essa mesma. Ele me dá o que eu preciso pra ser potencialmente feliz e eu não sei se é a carência ou a lentidão com a qual as pessoas avançam numa relação hoje em dia, mas parece que eu vou ceder à algo que pode ser menos unilateral... Mas será melhor?

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Raiva.

Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva.

Não importa quantas vezes eu diga isso, o sentimento não muda, eu estou com raiva, você está sentindo? Você tá me vendo partir você em mil pedaços só com os meus olhos? Eu não quero que você morra, nem que você fique gravemente ferido, eu quero que você perceba, nesse instante, que eu esgotei todas as coisas que eu tinha pra te dar.
Atenção. Amor. Carinho. Lições... Acabou tudo dentro de mim e eu só consigo sentir raiva. E eu sei que isso me consome muito mais do que consome você, mas eu não consigo encontrar qualquer outra coisa no meu baú de sentimentos pra alimentar do que isso, então você vai ter que se contentar com ao invés do meu amor, você ter minha raiva.
E se isso te agradar, se me irritar faz parte do seu plano sádico de ver que eu realmente me importo com você, parabéns, querido, todos estão te aplaudindo de pé por você ter conseguido essa proeza. Agora, curve-se diante da platéia, dê meia-volta e vá para sua casa vazia... Cheia da raiva que eu sinto por você.

Estático

Eu sou dinâmica e você é estático... Sabe o que isso diz? Que um dia a gente vai se colidir, querido, porque eu estou correndo loucamente na sua direção e você continua parado pra ver se aguenta o choque ou se vai desmoronar.
Isso não devia ser assim unilateral, ou essa é só mais uma divagação libriana sedenta por um senso de justiça? Você deveria vir correndo até mim com a mesma voracidade que eu quero consumir você, você deveria me querer pelo menos de um jeito um pouco mais ardente e menos parado, esperando que eu tome as decisões por você. Você me deixa na dúvida se eu deveria parar de vez e esperar que você venha até mim, me querendo como eu te quero agora.
Mas o bom de ser dinâmica, meu bem, é que se eu correr até você e você continuar parado... Eu vou passar retinho e nem vai doer.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Expectativa

Esperar ativamente é uma expectativa se a gente for parar pra analisar um pouco a palavra.
Ou eu analisei ela dessa forma e estou compartilhando isso com vocês.
O problema com expectativas é que você - ou pelo menos eu - espera ativamente para que uma coisa aconteça e, na realidade, ela nunca acontece, você se decepciona e perde a fé nas pessoas, até que uma das pessoas que não te decepcionou diz que te avisou que pessoas não prestavam e que você não deveria confiar nelas.
Ignorando a ironia da conclusão acima, vamos ao resto...
As pessoas costumam dizer, por sabedoria popular mesmo, que a gente deve esperar o inesperado pra que a gente não fique tão decepcionado assim, mas o conceito de esperar algo que a gente não sabe o que é, não só é abstrato, como é levemente pirado, porque a gente acha que qualquer pessoa que aparecer da próxima vez pode ser aquele sinal divino de que tudo vai dar certo e de que você estava certo de que as coisas não aconteciam por acaso... Aí você vai e constrói algumas expectativas sobre aquela pessoa - ou situação, não sei - só pela força do hábito e cai de novo da mesma armadilha.
Vê como tudo é um ciclo vicioso sem fim? Então, eu não digo: parem de esperar coisas... Porque além de ser humanamente impossível, com certeza a gente espera ativamente não esperar nada e falha sem nem mesmo começar. Eu só estou avisando: espere ativamente... mas se prepare pra tudo.

Perspectiva

Você ferra minha cabeça.
Parece que deixou uma semente estranha que vive crescendo dentro de mim, mas que nunca vai pertencer à mim e que meu corpo tenta desesperadamente arrancar, como uma erva daninha no mais lindo jardim. Você cultivou algo em mim que nem eu mesma sabia que existia, e o que eu pensei ser uma linda flor que desabrocha, mesmo nessa primavera fria, tornou-se uma planta carnívora que me devora de dentro pra fora.
Eu digo que eu vou parar de cultivar, meu corpo vai parar de te alimentar e você vai morrer, mas eu não sei se quem vai sofrer mais serei eu ou você. Uma metade de mim ainda acredita que um dia você vai parar de cultivar o que me faz tão mal; a outra metade quer te arrancar pela raiz, seja com um facão ou com as próprias mãos. Doeria em você, ver a única marca que você deixou em mim ser finalmente - e ultimamente - destruída, como se a impressão que você fez fosse como qualquer uma das outras, como se você fosse qualquer um dos outros.
Eu não quero magoar seus sentimentos.
Mentira... Quero sim. Parte de mim quer ver você comer o pão que o diabo amassou só pra no fim perceber que você não passa de um ignorante que perdeu a melhor oportunidade da vida; parte de mim quer te ter por perto twenty four seven.
Merda.
Eu não quero deixar você ir...

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Hurt

Eu quero que você me ame.
Pronto, falei.
Eu quero que você seja meu melhor amigo, mas não seja dependente de mim, quero que a gente se ame na medida certa. Quero te deixar doido doido doido e ver você fazer o mesmo comigo, um tipo de equilíbrio inesperado, sabe?
Eu quero que você não queira conter suas mãos, que você me toque a hora e onde você quiser, eu não vou me envergonhar... Juro.
Outra coisa? Eu quero que você pare de mentir.
Porque quando você mente, você me afasta alguns passos de você, parece que eu não posso chegar muito perto e você quer me afastar, como se fosse uma dança.
Céus, até nisso a gente é sincronizado, à medida que você se afasta eu me aproximo, só pra que nosso perfeito equilibrio não seja perturbado, porque quando é, amor, eu me parto, eu parto de você e dói de uma maneira inimaginável.
Amar é cuidar e não mentir; e se mentir, é só pra não me partir.
Eu só quero que você me ame.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

E Não Apareça

Eu queria que você crescesse, mas não que você mudasse.
Seria pedir demais que você me levasse à sério ao invés de brincar comigo como se eu fosse mais uma de suas bonecas? Era demais pedir que você desfizesse as maria-chiquinhas e brincasse como uma adulta comigo ao invés de ficar se atendo à todas as coisas que você não poderia ter, como se você fosse uma criança mimada numa loja de doces que quer tudo, mas os pais não deixam levar? Acho que era.
Então eu me cansei e pedi que você crescesse, que você desse um passo pra frente comigo ao invés de dois passos para trás, mas você queria que eu te seguisse nas suas brincadeiras de criança, dizendo que o regresso que fazíamos só nos impulsionava pra frente e sabe no que isso resultou?
Uma mulher velha de coração e de alma que não tem nada a ver com a pessoa por quem eu me apaixonei, em primeiro lugar, uma mulher que envelheceu rápido porque não soube crescer e pôr os pés no chão ao invés de viver na nuvem e na bolha que projetou pra si. Se eu te abandonei, foi apenas porque você não conseguiu me acompanhar e eu estava cansado de andar de marcha ré.
Mas a quem eu estou enganando? Essa velha ainda tem um brilho nos olhos que eu reconheço, ela ainda tem os lábios cheios e convidativos que me fazem querer tomá-la pra mim como se fôssemos animais e nos comportássemos como se não houvessem regras, apenas instinto.
Mas o fato de você querer estar perto de mim denota algum tipo de amadurecimento ou só que você está sendo jovem e impulsiva de novo, achando que palavras novas e cheias de paixão podem me fazer querer correr atrás?
Cresça direito, e não apareça até você se convencer de que seu coração e alma estão velhos o suficiente para aguentar alguém como eu.

Retribuo a Sinceridade,
R.

Cresça

Eu cresci, tá vendo?
Olhe bem pro meu rosto e veja as minhas rugas de preocupação, de chateação e de raiva, olha pras bolsas embaixo dos meus olhos e veja quantos dias em claro eu passei só ponderando sobre esse momento agora. Se permita, nem que por um segundo, ver que o que você desejou sua vida inteira está bem na sua frente, mas não está do jeito que você queria. Pára pra pensar no tanto que suas palavras enrugaram meu coração e o tornou alguns centímetros menor.
Cuidado com o que deseja, você deve estar pensando. Porque cá estou eu, mudada em todos os aspectos que você desejava, minha vivacidade foi embora, porque viver estava se tornando cada vez mais insuportável sem você pra me apoiar; minhas expectativas foram todas quebradas porque minha vida, e consequentemente minhas expectativas, estavam todas baseadas em você e agora o que sobrou?
Uma mulher velha de coração, velha de alma, cansada de esperar por quem só queria mudar exatamente todo o aspecto que você amava mais em mim. É essa agora sua tática de aversão? Drenar todas as coisas que me façam quem eu sou só pra que você consiga parar de me amar?
Ou provar que eu faria tudo por você?
Agora resta uma mulher velha de coração, provando exatamente o que você queria. Satisfeito?
Agora resta uma mulher velha de alma, pedindo que você a permita ser jovem de novo para que juntos, conquistem mais do que o mundo... Conquistem um ao outro.

Sinceramente,
B.

Kisses and Hugs

Tudo começou com um beijo... Mas não foi um beijo qualquer, foi um desses beijos hollywoodianos que a gente espera a vida inteira pra acontecer e quando acontece, é melhor que as expectativas. Você sabia exatamente como push all my buttons e eu fui pega desprevenida, sem saber se corria ou se te amava só mais um pouco.
Você parecia que conversava comigo enquanto olhava bem nos meus olhos, dizia todos os seus segredos e suas falhas enquanto eu estava cada vez mais ávida pelo seu toque, eu não te escutei, eu preferi me render àqueles sentimentos tão latentes que estavam tomando conta de mim... Ou talvez eu tenha ouvido seus segredos, mas não prestei atenção.
O fato é que você olhou nos meus olhos e nunca para qualquer outro lugar, e através deles você me disse basicamente que você era o meu próprio feitiço ricocheteando contra mim, batendo tão forte que eu não sabia se era seu toque intenso ou se era outra coisa se passando dentro da minha cabeça. Eu quis me entregar, me render à todos os seus caprichos sem nem ao menos pensar nas consequencias. Eu queria você e todo a satisfação que você me pudesse dar.
Na verdade verdadeira, eu queria também só mais uma coisinha: uma promessa de que você seria o elemento surpresa, aquela pessoa diferente pela qual eu esperei por toda a minha vida. Mas você olhou nos meus olhos e me disse que desde o início, você me queria apenas pra saciar uma vontade, você olhou nos meus olhos, me contou seu segredo - que eu não quis entender naquela hora - e depois me abraçou, me dando adeus.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mental Control

Eu tentei controlar minha mente.
Disse repetidas vezes pra mim mesma que te esqueci e que de ti não queria mais nada, nem mesmo amizade. Por que de que me valeria a amizade se sua ferida foi recentemente fechada e eu potencialmente poderia querer mais?
Então eu nem desejava que você reconhecesse minha presença, tampouco quisesse estabelecer algum tipo de contato amigo. Eu treinei minha mente para que não haja nenhum tipo de resposta física sobre você, nada de corações se acelerando ao mesmo passo que se partem, isso doía demais e a partir de agora eu vou dar um sorrisinho bem desdenhoso pra você saber que eu não quero mais você.
Isso vai doer em você como doía em mim. Mas não me entenda mal, eu não acredito em vingança... Só em justiça.
Até que você passa e todo meu treinamento mental vai pro espaço, mas eu tento manter meu carão e dizer que eu sou forte, então faço um esforço fora do comum para pôr um pé na frente do outro, para esquentar minhas mãos e para domar meu coração estúpido que troveja dentro de mim. Eu digo que vou te matar por dentro, mas a cada dia que passa você está mais indiferente e eu mais apaixonada.
Loucura, não?

domingo, 9 de outubro de 2011

Hoje

Eu queria tanto isso por nós e nós agora parece o plural de algo todo enrolado, sem solução. 
Não queria ter que desatar, mas no momento está tudo tão claro.
Eu tenho que me livrar de tudo o que me faz mal, de tudo e todos que não me dedicam o mesmo tempo que eu dedico, tudo que não age se eu não impulsionar, eu tenho que abrir mão de tudo que não se importa comigo...
Hoje, e daqui em diante, vou gostar não do que me interessa, mas sim, do que me acha interessante.

Querido, meu amor...

Como o Amanhecer precisa do Sol, como a Noite precisa da Lua... Como tudo é tão diferente e se complementa, assim somos eu e você. Você me suspende, me lança ao mar de estrelas, me tira de órbita, ninguém me entende, me eleva, me enaltece e me cobre de sensações amorosas e acolhedoras como você.

Ai, querido...

Esse é o feitio da felicidade?

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Pre Tend

Eu não pretendo ficar apaixonada por você pra sempre para que num belo dia, no futuro, você diga pra mim que só foi me ver agora. Eu não sou invisível, tanto que você me vê todo dia. É incrível como você tem a tendência a ter sua atenção seletiva se focando em pessoas que não te fariam bem quando todos os meus poros exalam meu desejo por você.
Eu quero, não no futuro, agora, que você me abrace forte e diga que eu - pelo menos por enquanto - sou a única mulher com a qual você se vê, pretendo te beijar e te tratar bem, mas sempre respeitando quem eu sou e abraçando o fato que eu não sou aquela pessoa que vai te falar as coisas mais bonitas do universo e vai constantemente dizer que te ama, mas eu juro escrever lindos textos de amor e realmente despejar meu coração na sua alma para que você entenda que a minha falha oral é compensada pela minha escrita. Eu pretendo te mostrar todo o dia que a minha habilidade de te gostar e te cuidar é maior do que eu admito ser.
O problema é que a gente tinha que seguir uma linha reta, mas a gente tende a sempre complicar nossos caminhos, você finge que não me olha e olha pra ela e eu finjo que não me fere e fico calada. A gente tem a tendência de não dizer o que a gente sente quando existe uma deixa e de fingir que o amor não é para nós.
Pois adivinhe só... Eu estou olhando pra você agora e meus olhos estão refletindo completamente a mágoa que existe em mim quando você me torna invisível e torna quem não te ama visível até demais. Eu estou olhando pra você tão profundamente que eu consigo sentir você olhando aos poucos pra mim...
Será?

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Under "Toads" Doses

Entre doses e doses infinitas de paixão, você me olhou bem nos olhos e me disse que se lembraria do meu aniversário... Que me cobriria de presentes e carícias, que eu nunca esqueceria.
Entres doses e doses infinitas de álcool, você me prometeu o inimaginável, qualquer coisa que viesse à cabeça só pra ver um sorriso no meu rosto e eu pensei que talvez isso fosse algo mais forte do que eu já tinha sentido na vida, não havia nenhum abismo entre nós, nada que nos separasse além de nossas roupas e nossa coragem.
Ah, querido, dentre essas doses, você reparou que nunca houve amor? Dentre essas doses, você sabia que eu me embriaguei de ilusões e impressões que você potencialmente poderia ser alguém digno de mim e de toda minha bagagem emocional?
Sabia que se eu trocasse quaisquer tipos de palavras com você, o encanto acabaria. Estamos sóbrios enfrentando a vida com overdoses de realidade que cismam em nos bombardear, nos destruir e destruir o que temos aos poucos... Talvez por isso agora o encanto todo se passou e eu vi que você é só mais um desses sapos aproveitadores que não gostam realmente da gente, mas gostam de como a gente pode suprir a necessidade.
Depois de uma dose de beijo de príncipe, o abismo entre nós foi crescendo e as promessas já estavam estilhaçadas no fundo dele, depois de um beijo do príncipe, ele virou sapo.

sábado, 1 de outubro de 2011

Fotamecus

Eu preciso de você. Cansei de continuar aqui, no mesmo lugar, emperrada, como uma porta empenada. Só quero sair daqui, um tempo só pra mim, pra eu conhecer as Maldivas e as benditas moças que cruzarem meu caminho. Quero um tempo pra aprender a tocar piano e adormecer na grama em algum lugar tranquilo. Quero tempo pra viver só com meus pensamentos, pra meditar no Tibet. Quero escrever cartas e sentir saudades de quem sentir saudades. Quero viver pra descobrir quem eu sou...
Então me dê tempo, tempo pra que eu junte o necessário pra parar de ser boazinha e passar a ser excepcional.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A Girl

Ah, garota, você diz que eu te machuco até o fim e nunca fez questão de ir embora por mais que eu tente.
Você desperta uma parte de mim que eu nem sabia que existia, uma parte que me deixa pior, que me faz querer fazer coisas terríveis só pra provar que eu posso. É... Você me dá poder, garota e eu sei o que eu posso fazer com ele, eu viro dono de mim, dono do mundo, dono de ti e de tudo.
Você me deixa forte e quando está tudo certo, tu se afasta só pra me deixar fraco e eu tenho vontade de te magoar, de partir seu coração em mil pedaços porque pelo menos você iria de vez e eu não seria mais dono de nada, não teria mais responsabilidades que não me dizem respeito.
Você entende o que eu digo? Eu sinto uma vontade quase incurável de partir seu coração de menina para que você desabroche finalmente como uma mulher e pare de me dar poderes que eu uso apenas para destruir um pouco do que nós somos.
Eu gosto de ver os nossos pedaços no chão.
Ah, garota, você quer que eu te parta em duas e fique com uma metade de ti? Metade do poder? Eu fico com toda você e todas as besteiras se for preciso, mas só se você estiver disposta a se partir em mil pedaços comigo, quando a nossa auto-destruição beira nossa auto-realização.
Ah, garota...

domingo, 25 de setembro de 2011

Um Minuto Para o Fim do Mundo...

De todas as coisas bonitas com as quais eu sonhei, nada superou ontem. Eu estava num daqueles dias terríveis, onde você se olha no espelho pensando que nunca viu nada pior. Estava cansada de me cercar e da vida que eu levava, e de não ter nada meu e de não sentir o menor desejo de estudar quando o que eu quero alcançar depende unica e exclusivamente do meu estudo. A paciência já tinha se esvaído, mas de alguma forma o fato de você me abraçar e me beijar me tirou do meu buraco-negro. De alguma forma, mesmo sabendo que era errado comer um sanduíche, quando eu me sentia tão fora de forma e já tinha jantado, teve um sabor diferente... Por que você sempre me acalma o espírito por mais desequilibrada que eu esteja. E aí depois da calmaria, o boom de novo.
Eu explodindo lentamente por um comentário seu. Foi aquele misto de baixa estima com medo de perder você... Silêncio até chegar ali. Não sei o que te faz segurar minha mão quando eu fico insuportável desse jeito. Você lá, tentando resolver o enigma, o mistério que circundava o meu olhar perdido e inundado... "Deita aqui na minha perna, vai... Encosta a cabeça no meu peito". Aquela suavidade que só você domina. Eu me descabelando, tentando falar mas as palavras não saíam. Depois do meu choro estar devidamente fundamentado você se ajoelhou na minha frente e olhando nos meus olhos disse que eu era a mulher mais linda, que quando se sente um amor tão grande como o que você sente por mim nada mudaria isso."Nada vai mudar nós dois". Que eu era a mulher que você amava, e que não entendia o porque de eu estar tão insegura quando tudo o que você faz é pra me enaltecer, pra me mostrar o quão maravilhosa eu sou aos seus olhos. Aí eu assumi que tinha um medo danado de te perder e você disse que isso não aconteceria. Deitou-se no chão e eu fiz o mesmo e fiquei deitada com a cabeça no seu peito contendo o choro. Aí eu te beijei e lembrei que não existe tempo ruim perto de você... Que algo de bom eu devo ter porque você me devora com os olhos, invade minha alma, derrubando as portas com os pés, sem pedir licença, sem dar espaço pra hesitação ou temor, só desce o pé, quebra a porta e vem ao meu resgate... Sempre pra me salvar do meu pior monstro:
Eu mesma.

"Quando estou com você [...]
Perco o chão sob os meus pés
Me falta o ar pra respirar
E só de pensar em te perder por um segundo
Eu sei que isso é o fim do mundo..."

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

(des)embarque


Te deixei no aeroporto há pelo menos uns 15 minutos.
Fiquei esperando você desaparecer no saguão, depois de um tchauzinho meu frenético. Fiquei lá imóvel por mais uns 10 segundos esperando alguma coisa que eu não sei o que era.
Direto ao banheiro vi meu rosto, semblante: zero. Minha cabeça latejante dizia 'Parece que vai durar uma eternidade'.
Essa vai ser a segunda vez que eu vou ter certeza que eu não consigo ficar sem você. Encare, você(s), como drama ou qualquer outra coisa que queira chamar.
Agora já fazem uns 40 minutos.
A medida que fui voltando para o carro e andava pelos corredores do aeroporto, meu único pensamento era entrar em um avião com você com destino à "qualquer lugar".
Eu não podia sustentar o olhar demais, muito menos dizer alguma coisa. Todo o emaranhado de sentimentos que me afogavam, foram teatralmente disfarçados pelas minhas brincadeiras. Só para te distrair, em tentativas, espero que não vãs, que tu não percebesses que por dentro eu sabia que estava deixando a minha melhor parte embarcar.
Se passou 1 hora. Sentada em minha cama, sei bem como vai ser essa noite. E a de amanhã. E a de depois de amanhã. E a de depois, e depois e depois, até você chegar.
Então eu vou estar lá imóvel naquele saguão, o tempo que for, esperando você aparecer.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

SOS

Eu desci do avião completamente apreensiva. Será que você iria me reconhecer depois de tantos anos?
Só sabia que eu carregava seu coração dentro de uma caixinha que nunca saiu da minha vista e mesmo quando eu me deliciava em outros corpos, eu estava pensando em você, isso conta? Eu aposto que você pensou em mim vez ou outra quando você satisfazia suas necessidades, não é mesmo? Esse tempo longe de ti me deixou incrivelmente sábia e independente... Mesmo assim é errado dizer que eu preciso te dar um abraço e um beijo pra completar minha felicidade? Eu preciso que você diga que por mim ainda sente aquele amor desesperado e que a gente não precise conversar muito e que num olhar a gente compartilhe as experiências dolorosas e prazerosas que tiveram enquanto estivemos separados.
Será pedir demais?
Todo dia eu mandei um grito de socorro pra você, porque eu não conseguia ficar longe de você sem me remoer, sem me condenar por cada maldito dia que eu resolvi ficar longe de você. Eu queria que você me escutasse, querido, você me ouvia pedindo socorro, você me ouvia suplicar por você?
Eu sei que eu desci do avião completamente apreensiva, será que você ia me reconhecer mesmo com essas rugas e esse cabelo diferente? Respirei fundo e passei pelo portão pra dar de cara contigo com uma daquelas plaquinhas, só que com meu nome escrito. Você estava mordendo seu lábio e isso me deixava tão contente porque pelo menos nós dois estávamos nervosos.
Você correu na minha direção e me abraçou, o seu cheiro invadiu meus pulmões e durante dois segundos eu te olhei e contei tudo e você me contou tudo também. Eu lhe entreguei seu coração e você me entregou o meu.
A perna tava bamba. A mão tremia muito. As malas e os corações iam caindo no chão. Nada mais importava.
Mas tudo estava em seu lugar.

O teu verdadeiro trunfo é o meu amor por ti.

Eu acho que você tem uma namorada compreensiva demais...
De fato, costumo ser muito tranquila e passiva em muitas situações. Gosto e detesto isso em mim.
A vantagem que vejo é a diplomacia que tanto precisamos para um relacionamento. No entanto, eu já tenho sido diplomática demais. Uma hora nos cansamos de tanto controle e precisamos de uma válvula de escape, principalmente quando nos deparamos com audácias alheias. Especialmente nessas horas, tenho de confessar, é difícil manter a maturidade. É realmente difícil manter a compostura e a indiferença quando vejo outros tentarem deturpar algo que é nosso, mesmo que se trate de tentativas vãs ou fracassadas. Descobri também que, ao contrário do que costumava pensar sobre mim mesma, eu sou possessiva. Justo eu, a crítica fervorosa, que tanto ferrenhamente critiquei tal comportamento ridículo dos outros. Mas faço da minha a tua descoberta também: você é o único que me fez cair na minha própria cilada. E, honestamente, temo onde isso possa nos levar. Assim como eu estou aprendendo a lidar com esse novo aspecto, você também terá de saber como lidar com algo tão cru e tosco, fruto daquilo que floresceu em mim de forma involuntária. Você, como participante indireto daquilo que pode nos sufocar quando mal manuseado, como conseguirá se esquivar das patadas pesadas, dos rugidos ofensivos, da cara ameaçadora e do silêncio pungente? Particularmente, espero mesmo que você descubra e apazigue a fúria draconiana na medida certa... Porque, nesses ápices, a Sra. Diplomáticompreensiva, sedenta de caos, estará cega, tão cega como a própria Justiça o é.
Sim, desconto toda essa imaturidade, todo esse não-saber-lidar em cima de ti. Mas não se preocupe, não é nada pessoal... Trata-se simplesmente de não haver outra pessoa a qual eu possa fazer com que te poupe da tormenta (des)necessária.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Anti-fofo

A verdade é que eu estou cada dia mais apaixonada por você, Caled. Cada dia mais... Porque você me conhece e é doce comigo até mesmo quando eu não mereço. Eu sou fácil de magoar, ninguém sabe o quanto além de você. 
E todas as vezes que eu me pego estressada, magoada, irredutível acerca de um assunto qualquer, eu tenho seu ombro pra chorar, eu tenho seus olhos pra me acalentar e tenho você inteiro e disposto a me ouvir. Pode parecer tolice, mas significa tudo pra mim porque às vezes eu sinto como se eu não pertencesse a nenhum lugar específico, mas fosse um apanhado de tudo o que os outros acham que eu deveria ser. Eu não pedi pra ninguém depositar suas esperanças em mim, eu me acho um fracasso, menos quando eu tenho você por perto. Talvez eu tenha sido egoísta, talvez eu tenha feito escolhas erradas, mas se elas me trouxeram até o seu caminho, então valeu a pena.
Eu sei que mesmo quando você é ríspido ou sarcástico não é pra me magoar. Aliás você nunca, está me ouvindo? Nunca tem a intenção de me magoar, você sempre só quis o melhor pra mim, eu que às vezes me esqueço disso e fico brava com você desnecessariamente. Você sempre me viu de um jeito que eu nunca tinha me visto antes: como mulher. E me desculpa se meu gênio é difícil e se eu complico as coisas a toa. Se eu choro e me irrito, se eu grito e fico emburrada por não conseguir disfarçar meu descontentamento... 
Você se mantém homem calmo, leve, me faz tremer e me curvar diante do seu ar impenetrável e seguro, é como se minhas palavras duras fossem esmagadas pela tua paciência e pelo teu zelo comigo. 
Se você me beija, meu corpo todo responde junto, foi assim desde o primeiro dia e eu soube ali que era você o único homem capaz de me fazer feliz. Não me importa se você tenta manter essa pose de durão, isso fica melhor em você do que em qualquer um. Mas você põe a mão no meu rosto de forma delicada, me abraça de um jeito que eu me sinto completa, seu amor me nutre, mesmo que nem tudo seja sempre perfeito e eu nunca o desejaria perfeito, prefiro ele assim, cru e honesto, como nós dois somos um com o outro.
Confesso, estar sem você é me ver condenada ao pior tipo de solidão. Eu sempre me acostumei com ela e era muito fácil até você aparecer e me raptar do meu mundo pra entrar no seu. Pra ficar na sua. Fiquei vulnerável, nem sei ao certo como é que tudo isso se deu, porque me parece absurdo que as coisas fossem do jeito que foram. Te conheci de uma maneira inusitada, bem quando não podia te querer, bem quando tudo o que eu desejava era não querer ninguém, você veio. Como um anjo, não é interessante? Você me salvou mas ao mesmo tempo você é aquele que me oferece um pouco de risco, uma coisa incontrolável, pra fugir um pouco da minha mania de fazer tudo certinho. Eu perco o bom senso, eu me arrisco! Porque você segura a minha mão e me diz que vai dar tudo certo, não importa o meu frio na barriga, eu sei que tudo vai dar certo porque eu acredito em você.
Meus desejos todos te envolvem agora, você me desafia, me explica, retira o melhor de mim e guarda em si, em um local seguro pra que ninguém perceba que você é frágil também,  que eu sou importante pra você e que você morre de medo de me perder porque eu também sou o que torna seus dias comuns tão extraordinários. Eu sei disso, eu não estou me enganando como fiz tantas vezes. Você é real, você me conquista, me faz agradecer por tudo o que vivemos...
Eu te vejo, mesmo quando você se sentir invisível, eu sempre vou te enxergar e vou estar lá pra te lembrar a pessoa fascinante que você é, que é pra você perceber que é mais do que maravilhoso, é inesquecível.
Eu mal posso esperar pelos anos que virão, Caled. 
Mal posso esperar por tudo o que me aguarda estando ao seu lado, pelas realizações e pelos novos sonhos.
Quando eu fecho os olhos antes de dormir, eu me vejo num vestido branco caminhando na sua direção.
De repente o resto some quando você se aproxima. 
Eu não preciso que você assuma esse seu lado pra todo mundo ver.
Se eu te chamar de fofo na frente de alguém pode dizer que não é, se quiser, que você é avesso a essas conversas sentimentaloides bestas... Mas pode olhar nos meus olhos e me dizer que quer ter filhos comigo quando estiver tudo deserto. O que me importa é que quando estamos só eu e você o mundo fica suspenso, os sonhos ficam tangíveis e eu me pego conversando sobre a data do nosso casamento, me percebo te ouvindo dizer que eu sou linda e inteligente e pra mim basta. Pra mim basta tudo o que você é comigo, não precisamos ficar nos expondo além do necessário, não preciso de demonstrações públicas de afeto porque eu percebo que não existe outra pessoa que me complete e eleve do modo como você faz. 
Meu anti-fofo é o homem que me faz viver os melhores dias da minha vida.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Tenho escrito menos.

E vivido um pouco mais. A literatura de meus dias perdeu o caráter de microconto, por isso não mais os tantos posts. Virou romance que não mais se capitula em poucos parágrafos.
O romance nos desafia a convicção, muitas vezes tira a paciência, e pode até nos subtrair alguns anos da vida, mas quando é que alguém, por um segundo que fosse, cogitou (de verdade) viver sem ele? Nossas aspirações vão, cada vez mais, aproximando-se da realidade; a gente passa a prometer menos, mentir menos, e chega até a achar que, dessa vez, erraremos menos, por julgarmos saber onde escondem-se todas as bombas desse campo minado. Nem preciso lembrar que a única certeza no romance é a de se estar eternamente em apuros.
Em apuros pois é perigoso. É perigoso porque a gente arrisca. E a gente arrisca porque quer. Ninguém nos obriga a viver o amor, mas a gente ama vivê-lo. Ninguém nos obriga a sentir as mesmas dores de novo, mas a gente se quebra em mil pedaços para sentir o prazer na cura. A gente acha que pode viver sem, mas as palavras soluçadas no fim de uma noite embriagada evidenciam o que, para todos ao nosso redor, já era óbvio: estamos *******.
Em apuros não estou só eu, estamos todos nós, meus caros. Romance é o que se persegue pelas esquinas, que foge à luz dos postes, e ele está bem. Em perigo estamos nós, nesse apuro que reside na nossa urgência em vivê-lo. Vivê-lo, mesmo que torto, inacabado, ferido, precipitado, errado, proibido, ou impossível. Vivê-lo de verdade, com intensidade e sem escudos. Como deve ser, e como inevitavelmente é, quando nosso coração nos dá aquela única e inevitável rasteira que nos faz quicar no chão.

Viver o romance é estar em apuros.
Estou vivendo, e não quero ser salva.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Eu que aprendi.

Meu melhor amigo é meu único amor. O único que consegui. Porque ele sempre volta. E meu coração fica calmo.
Quem tem que ficar, fica.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Black Sand

Todas essas rachaduras, toda essa insanidade e a gente acaba brigando feito cão e gata.
Você me chama de vira-lata e me bate na cara, eu te beijo e a gente faz uma cama no chão da sala.
Não sei em que parte do caminho essas rachaduras tomaram conta da gente, estamos naufragando sem salva-vidas, amor.Você se arriscaria pra salvar tudo isso uma última vez?
Porque eu ainda consigo me lembrar o jeito, o sussurro, como você me chamava de noite.
Eu lembro quando você dizia que a gente ia fugir da rotina, juntos pra sempre.
E toda essa escuridão invadindo o nosso canto.
E todo esse ódio romântico entrelaçado em nosso conto.
É, acho que o tempo está passando.
E nosso relógio de areia está ficando tão negro
Que quem vê até pensa
Que isso é qualquer coisa,
Menos amor.

Ela e eu

Ela é uma, ela é duas, ela é três.
Me descompassa o coração.
Ora é fruto travoso na boca da gente,
Ora é fogo e arde feito vulcão,
Ora é flor sensível exalando seu cheiro de mulher.
Fazendo planos pra cada nova estação...

[E como chora a minha flor]

[E como adoro consolá-la e beijar sua boca com paixão...]

Ela é uma, ela é duas, ela é três.
Quando prepara meu café
De manhã, delicada.
Ou quando me atira as flores no peito
Porque eu esqueci de chegar na hora marcada...

Ah, essa mulher me mata!
Fica linda até quando fica brava...
E eu adoro quando ela me recebe
De cinta-liga e mais nada.

Deus, que bom que bom que és.
Fez dessa louca, minha amada.
E eu o bobo apaixonado aos seus pés.

The last time

Last time I saw you, you were standing in front of my door, with those sad red eyes of crying because of her.
That's the only time when you searched for me, when she made you cry.
Then you entered my life once again because I was special and as you said "You always know what should I do in each and every situation".
"That's an easy thing to do when you're all over the place, in everything I feel, in everything I hear, so deeply under my skin". I replied.
So I let you come in, I let you crash in my couch knowing you would want to crash in my bed, in my heart...
And days became months, months became years...
It was easier to hurt someone like me than to hurt yourself the way you were doing, a man of principles complaining about nothing like a teenager.
So you left saying this was a mistake, that this wasn't right and you should go back to her. That this was the end.
Then why were you devouring me so strongly after all this time? Why you had to be inside of me, giving me the pleasure of your company, feeding me with lust and unrequited love?
So 15 years after you left me to stay with your wife, I receive a call from your mother.
- Jenny, is it true, is it true that you kept all of us from your son?
- Yes, your son is the one that decided we would never see each other, so I kept Lyan as my biggest secret. A piece of him I will never forget. He is grown up and healthy. Doesn't need a father.
- Your stupid bitch, don't you know what happened because of you?
- What are you talking about?
- He was unhappy in his marriage, his wife couldn't have any child and he always dreamt to be a father, then a friend of yours told him that his little affair had his child. He was affraid and ashamed of her finding out the true reason why their marriage never worked properly. He said he loved you and only you since the day he left your door. He said this were the biggest mistake of his life, at least this was written on the letter. And full of guilt he killed himself.







Now I lay here, knees down, crying in front of what is left of you. I am so sorry if it is too late for us... But last time I saw you, you were standing in front of my door, with those sad red eyes of crying because of her. I would suck my pride up, if I knew you spent your whole life...
Crying because of me, my love.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Ampulheta

Eu odeio admitir, mas você ainda está na minha cabeça.
Estranho o que o cérebro costuma fazer com a gente, tortuoso que meu cérebro me faça lembrar de cada toque e cada beijo toda hora que tem um tempo vago para não pensar em nada. E eu quem quis tanto sentir algo assim, impúdico, cheio de consequências, era bom pra me livrar do marasmo.
Eu fico te admirando de longe, fingindo que estou fumando meu cigarro, só queimando o que me intoxica e eu sei que é hora de despejar as cinzas, mas prefiro vê-las caírem como areia numa ampulheta, prefiro contar o tempo que eu passo admirando você, sua voz grossa e distinta, que fica marcada na memória me falando exatamente o que eu queria ouvir no meu ouvido.
Eu odeio que existam opções pra mim, agora que eu não quero ninguém na minha vida e mesmo assim, nas minhas horas vagas eu me pego pensando em você, eu me pego arrumando pra eu te ver no corredor e nem falar contigo, mas só sorrir pra você, já compensa tudo.
Não é uma droga que quanto mais o tempo passe, mais eu goste de você?

Ai, esse calor...

Olhou pra ele e pensou:
"Vai, para de me olhar assim como se eu fosse a mulher mais bonita do mundo.
Para de se aproximar desse jeito.
Para de segurar minhas mãos, de afastar meus cabelos.
Para de beijar meu pescoço
Para de me beijar
Para de deslizar as mãos no meu corpo
Céus, eu não vou resistir!"
- Amor, é melhor parar.
- Porquê, o que que foi? - disse ele sorrindo e se afastando um pouco, encarando-a.
- Brasília já tá quente demais como está. Não tornemos as coisas piores.
E riram recompondo-se, envergonhados e loucos de desejo.

Fogo e Gelo

Eu queria querer como eu te quis um dia,
Era difícil e eu tinha paciência demais
Não queria ficar tão arredia, embora apaixonada,
Com outro alguém que torna isso fácil e não sabes o bem que ele me faz
Te amar foi tal qual enxugar gelo
Em vão...
Coisa de pele, de pelo.
Quando o instinto supera o coração
Eventualmente você desapareceria por debaixo do pano
Como num passe de mágica
Mágico, encantador
Virando água
E eu desaguando
Você pronto
Eu pranto
Você porto
Eu torpor
Ponto
Final.
Acho que é essa a diferença essencial.
Eu gostava da perseguição.
Da adrenalina, de saber que era errado
Em tantos níveis quanto se podia imaginar.
Com ele tudo é reticências e exclamação.
É adormecer e suspirar.
Com ele tudo é calmaria.
E nenhum fascinante caos que você me trouxe
Se compara com o prazer,
Com o prazer e a paz
Que esse homem me traz.

sábado, 10 de setembro de 2011

Tudo Certo

Tudo bem, eu tô me beliscando até agora e me perguntando de onde você tirou todo esse sentimento por mim.
Soa até meio convencida, mas eu sei que você me quer também. É loucura eu sentir isso só pelo tom da sua voz? Pelo som baixinho da sua voz quando você fala comigo, como se qualquer conversa corriqueira fosse uma conversa particular?
Eu devo até confessar que eu gosto disso, de alguém me querer que eu possa querer de volta, mas devo admitir que é um sentimento completamente novo. Eu voltei a ser eu mesma e não tenho ataques de pânico quando você aparece, apenas uma calma interior e todos os meus problemas vão embora. É normal passar do oito ao oitenta desse jeito completamente repentino? É loucura passar o dia esperando que você caminhe abraçado comigo até um canto onde ninguém nos encontre?
Eu honestamente estou te perguntando, porque eu não sei as respostas dessas perguntas. Eu nunca senti isso antes. É loucura pensar que você pode ser o escolhido? Só sei que junto de você fica tudo certo.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Safety

Eu pensei que em seus braços eu me sentiria segura, mas o sinal de alerta na minha cabeça não pára de piscar.
Você me beija e uma onda de pânico vem na cabeça, eu sei que você é encrenca. E você sabe que isso me atrai muito, não é? Porque toda hora seu beijo se intensifica e seu corpo flui no meu como num tango que começa lento, furtivo e termina com todos ofegantes e levemente destruídos por dentro.
Eu te sinto em mim e isso causa o maior duelo interno que eu já sofri. É como se parte de mim quisesse escapar, mas outra te traz pra bem perto de mim. Você vai causar problemas e sabe muito bem que eu estou procurando alguns também. Você tira a insegurança de mim com a mesma velocidade com a qual você tenta tirar o meu vestido e ainda assim me faz sentir completamente insegura por estar fazendo isso com você.
Você é o cara certo? Porque é aparentemente tudo o que eu quero.
Você é o cara certo? Porque é aparentemente tudo de ruim que eu quero.

domingo, 4 de setembro de 2011

Na Hora do Adeus

Eu queria te perguntar por que você tá indo assim do nada, sem ao menos olhar direito pra mim. Queria saber por que você sente tanta necessidade de me deixar ir sendo que eu sou a pessoa errada nessa situação... Eu me comprometi antes de você aparecer e traí esse compromisso achando que você seria a pessoa certa e no fim das contas você só provou ser como todos os outros.
Eu não te odeio, porque eu sou muito idiota pra odiar as pessoas ou até mesmo sentir raiva. O que eu sinto mesmo, é um buraco no coração que você vai cavando aos poucos toda vez que você sussurra adeus, e eu deveria te odiar por me deixar assim completamente sem explicações.
Eu juro que você pode ficar, se sentir vontade, eu juro que eu vou melhorar e te privar de todos os seus vícios, todas os defeitos que te fazem querer fugir pra me destruir menos.
É por isso que você tá indo embora, você não quer me destruir?
Porque se for isso, não se preocupe, amor, eu gosto de catar os pedaços de mim que você joga no chão, porque os remendos deixam um toque charmoso na minha personalidade, como uma boneca remendada que a gente nunca deixa de brincar.
Se você apenas me respondesse o porquê, amor, talvez eu ficasse mais tranquila.
Mas a única coisa que eu escuto de ti é o silêncio, que me diz que você já não me ama tanto assim.
Desse jeito vai ser melhor, não é, amor?
Melhor pros três.

sábado, 3 de setembro de 2011

Não Lembrar

Não é que eu tenha esquecido, amor, eu só prefiro não lembrar. Das lembranças dos toques macios e ternos, dos beijos sem sentimentos, aquela pressão quando você me aperta e me puxa mais pra perto de você e fala alguma coisa bem sacana no meu ouvido.
Tá vendo por que eu não posso me lembrar? Porque eu fico sorrindo que nem uma boba esperando que você vá voltar num cavalo branco e dizer que durante esse tempo todo você sentiu minha falta. Porque dói pensar que eu vou sentir falta dos seus lábios suculentos e do seu sorriso malicioso. Eu não quero me sentir assim.
Deus? Gaia? Libra? Sol? Tem alguém me escutando? Eu não quero me sentir assim, eu odeio me sentir assim impotente e completamente presa na palma da sua mão e sem perspectiva de saída. Não precisa tirar isso de mim completamente, só impedir que meu coração pule instantâneamente pra ele quando eu o vejo, que ele não bata tão audívelmente na minha cabeça impedindo minha razão de realizar qualquer coisa mais astuta do que dar um bom dia.
Então, não é que eu tenha esquecido... Só é mais saudável não lembrar.

sábado, 27 de agosto de 2011

Escrita afetada

É uma coisa engraçada.
Na verdade é bizarro como isso sempre foi fora do meu controle. Me pergunto quantos anos mais passarão e eu me sentirei assim...
Não, sério.
O que você foi? Caramba, você foi um nada.
[...]
Me pego mentindo pra mim mesma. Às vezes ainda procuro saber de você, assim, aleatoriamente.
Vejo que ainda tem um pouco de mim, um pouco de você.
Isso me deixa feliz de um modo esquisito, feliz de um jeito amargurado, um tanto afetado.
Mas para.
Passou, passou isso de lembrar do seu lado bom, seu lado que eu criei na minha mente, que eu guardei pra sempre.
Meu Deus, eu juro.

Pronto, posso voltar à minha rotina, daqui três meses ou quatro eu te procuro de novo, sem você saber, só pra ter certeza que você está bem.
Ou que pelo menos não morreu.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Empacotado

Eu olhei pra sua foto jogada no meio de uma caixa e lembrei do seu rosto na minha mente, de como você sorria no dia que eu te vi pela última vez. Eu analisei a foto e o sorriso dela era forçado, mas eu via contentamento em seus olhos, mesmo que isso não seja muito pra agora.
Eu vi outras fotos, sua câmera e suas cartas... Contei os números de itens pares ou ímpares e lembrei que seu aniversário é daqui a pouco, quero te dar um presente, sabe? Mas não sei se você ainda quer me ver ou está comigo de alguma forma.
Então eu vou esconder essa caixa de lembranças, que é pra não doer meu coração mais do que ele geralmente dói, vou colocar ela num canto escuro da minha cabeça, até que eu não sofra ao lembrar de como você me abraçava ou me fazia sentir especial.
Enquanto isso nossa relação vai ficando assim...
Empacotada.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Mixed Feelings.

"I wanna kiss you, but if I do then I might miss you, babe"
Eu tenho discursos preparados sobre a raiva que eu deveria estar sentindo de você, eles te partiriam no meio e eu voltaria à posição de poder, que eu acho que eu nunca tive. Eu me prometo que vou ser forte e que da próxima vez eu vou criar vergonha - ou falta dela - e finalmente te dizer essas palavras que estão tão presas no meu peito.
Mas eu acho que dizer que eu sinto raiva de você é só adiar uma verdade muito séria: eu gosto de você de um jeito estranho, levemente comedido e incrivelmente intenso e isso, eu posso te garantir que eu nunca senti por ninguém e não é algo que me agrada, não é um frio na barriga gostoso quando você passa, é um pânico interno tão grande que eu não consigo pensar, tampouco falar e teus olhos repousam em mim esperando algum sinal para se aproximar e ao invés de uma paz, eu sinto uma vontade de correr, porque estar perto de você e ser vítima desse poder que você exerce sobre mim me faz sentir drenada, como se todas as muralhas que separassem o verdadeiro eu de você caíssem num efeito dominó.
A cada dia que passa, eu estou me esforçando pra ficar furiosa contigo, mas parece que eu gosto mais de você.

De star a estar...

No começo foi como sempre. Aquele desejo de descobrirem-se. Ela era a estrela em toda festa, como havia de ser, com seu jeito espontâneo e expansivo de se comunicar, de dançar de uma maneira que o fazia querer aprender também só para acompanhá-la, só para, ao ver os outros marmanjos babando no requebrado da morena, caminhar em direção a ela no meio da pista de dança e repousar a mão nos seus belos quadris acompanhando seus movimentos sinuosos. Ele não era um homem de sair, mas sairia por ela.
E, bem, foi o que ele fez. Cansou de admirá-la em segredo e cruzou a pista de dança numa das festas de suas colegas de faculdade.
Enquanto ela dançava os olhares dos dois se cruzaram.
De repente ele estava com as mãos nos quadris da moça que corava e ao mesmo tempo se deixava embalar pelo ritmo da música ou da vontade. Ela riu do ar desengonçado do rapaz que tentava acompanhá-la. Um rapaz garboso, por sinal. Bom de papo, inteligente, gostava de Chico e de Beatles.
Fim de papo. Num clássico Eduardo e Mônica "trocaram telefones, depois telefonaram e decidiram se encontrar". Ele levou flores, fez poemas, levou-a ao cinema várias vezes e pediu pra que ela dissesse "cheese" para imortalizar os momentos a dois.
Apaixonaram-se.
Amaram-se.
Casaram-se.
E aí a responsabilidade aumentou, ela se descuidou um pouco e já não tinha tanto aquele ar de "star".
Foi quando ele saiu de dentro do quarto, engravatado, sapatos pretos, de dança...

Depois de um dia de trabalho cansativo, queria apenas chegar em casa e tirar aquele salto. Preparar um bom jantar e se deitar ao lado do homem que amava. Chegou e tirou o salto, foi pra cozinha e o jantar já havia sido preparado, quando saiu da cozinha e atravessou o corredor se deparou com aquele homem lindo encostado na porta do quarto sorrindo pra ela. Ele caminhou em direção ao som e convidou-a pra dançar e eles dançaram.
Não haviam mais flores, nem cinema, nem drinks...
Ele a via como esposa, não como star.
E ela nunca se sentiu mais feliz na vida.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Think It Means I Love You

Você confunde meus sentidos, me deixa no chão e me faz pensar em coisas que nunca passaram pela minha cabeça.
Não consigo usar minha razão mesmo longe de você, porque todos os meus pensamentos convergem para um ponto comum e só de pensar que você está tão perto de mim faz meu corpo todo estremecer e meu coração palpitar. Eu fico olhando para a porta desse bar esperando você irromper e dizer que tudo está resolvido agora e que você sente exatamente como eu me sinto, mas uma parte de mim sabe que essa possibilidade é mínima, mas eu prefiro me enganar e não pensar nisso, pensar que o melhor de mim faz parte também de você e que pelo menos você sente um pouco a minha falta.
Eu me sinto como se eu estivesse presa no corpo de uma dessas mocinhas apaixonadas que quer fazer tudo por outra pessoa... Essa não sou eu, estou certa, eu nunca precisei de alguém que eu pudesse gostar a ponto de me desfocar completamente de tudo que ocorre à minha volta.
E dentre as imagens difusas, o seu rosto é a única coisa que eu realmente vejo.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Dez

No meu tempo restante eu gosto de sucumbir à você só pra eu sentir seu gosto na minha língua.
Você destrói meus sentidos, meu corpo, minha alma e me desliga de todo tipo de emoção reprimida - ou não - que eu possa sentir. Você me desarma com seus toques certeiros e faz com que meu corpo inteiro desintegre junto aos seu para que fundidos eles sejam finalmente um só, como a gente costumava planejar.
Você se desloca em minha direção e o que acontece entre nós se desenvolve com tanta rapidez que deixa nossas cabeças desnorteadas, você me desenha com os dedos só pra dizer que vai guardar essa imagem, essa fantasia tocada pro resto da sua vida, me beija suavemente e fuma seu cigarro.
'Essa é a última vez', você diz, mas eu não acredito e nem você acredita. Vão haver mais vezes, mais dez vezes, mais mil vezes, mas haverão mais vezes, só porque a gente não se destruiu por inteiro ainda pra se descolar assim de uma vez.
'Baby steps', penso enquanto você me olha curioso.
Dez por cento do meu tempo, eu sucumbo à você, gosto do seu gosto na minha língua, gosto do teu cheiro no meu corpo e de sentir seus olhos em mim quando minha mente começa a vagar. Você destrói meus sentidos, meu corpo e minha alma, mas ainda não me destruiu por inteiro e enquanto isso não acontecer eu vou continuar desfrutando isso contigo.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Last Dance Honey

Eu tenho a necessidade de te dizer, nem que seja só pro "você" existente na minha mente, que todas aqueles dias que eu passei ao seu lado foram os melhores, mesmo quando a gente brigava, mesmo quando você colocava tudo o que eu era no chão e pisava em cima, me esmigalhava e eu fingia que você era o vilão, na verdade eu, que imersa em caos, te atraía pra minha vida com meu impulso desenfreado de auto-destruição. Era melhor que fosse você do que qualquer outro pamonha que dissesse coisas melosas como "vai ser sempre você". Você disse o contrário, nunca seria eu, fez disso um desafio pra mim. Você é irritante, mentiroso compulsivo, arrogante, estúpido e encrenca na certa... Acho que por isso eu tenho tanto fascínio por você. Pela sua capacidade de ser tão amoroso com os seus e tão desprezível com o resto. Parece que nada te atinge, nada te abala, você sempre leva a vida com uma risada. Tem uma lábia tão filha da puta boa que até a pessoa mais resistente cai. Cai porque você é charmoso, cai porque você se adapta a qualquer ambiente e descobre sempre um interesse comum com os outros. Céus, eu não sei como agir diante de você, eu perco o juízo, a paciência, a compostura, me torno o melhor pior eu. E saiba que eu estou profundamente arrependida de ter dito sim quando eu sei que isso é errado em tantos níveis. O que eu mais queria era poder, poder dizer: "Sim, venha. Vem que meus braços estão abertos porque eles nunca se fecharam pra você".
Calma aí, não entra na minha cabeça de novo, eu nem comecei a dizer tudo o que você representou... Instinto, desejo, vontade, ânsia, descoberta, música, liberdade, amor, por mais que eu me envergonhe disso o meu primeiro amor foi você. Você era tudo o que eu queria ser e ter e saber e conhecer e convencer. E vencer te ouvindo dizer que nós realmente fomos feitos um pro outro e que não há nada nesse mundo que vai separar o que sempre foi destinado desde o primeiro momento. Eu estou deitada no chão do quarto pensando em todas essas palavras e queria mesmo que em átimos você girasse a maçaneta pra fazer meu coração acelerar com a possibilidade de ser você. Queria que fosse você, me sorripnotizando com suas amaldiçoadas covinhas. Queria que você deitasse seu corpo por cima do meu e eu abrisse os olhos com os seus bem ali, pertinho. Que você comprimisse minhas mãos contra o chão com as suas entrelaçadas. Sentir a respiração ofegante e dizer cantando "I felt you in my legs before I ever met you... I feel you in my heart and I don't even know you". Porque eu não ia desejar saber todos os detalhes de uma vez, mas prefiro assim, te conhecendo por tantos anos sem te conhecer plenamente. Você é meu demônio. Meu pesadelo mais lindo, meu desespero, minha indecisão, meu fantasma. Você é o meu anjo, meu vampiro, meu céu e meu inferno, você é meu pedestal e uma larva que se alimenta de mim como um vício. Cansei de ter que explicar, cansei de dizer, deixa eu sentir que é pra entender que essa é a última oportunidade que eu nos concedo.
A última dança meu bem...
Uma valsinha lenta que pode terminar em um dramático tango argentino.
E eu tenho esperado pra dançar com você faz muito tempo.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Some Body

Eu quero puxar-lhe os cabelos e aproximar-me de ti, dizer todas as profanidades que penso bem baixinho no seu ouvido enquanto você sorri e finge que não sabe de onde eu estou tirando tanta paixão assim. Quero tomar você em meus braços e beber sua essência, para que você fique drenado de todas as coisas que me atraiam magneticamente a você. Quero tirar o sorriso arrogante da sua cara e tirar o seu coração que conhece o meu como se fosse sua própria casa, quero fazer você se ajoelhar diante de mim e dizer que me ama tanto que não consegue pôr o pé na frente do outro sem pensar em como isso me afeta.
Noventa por cento do tempo, eu quero te eliminar da minha vida e avançar o tempo, só porque este é a única borracha que apagaria você da minha cabeça, do meu corpo, da minha alma. Eu não me importo de te destruir, desde que você saiba o porquê dessa minha atitude tão revoltosa.
Porque no fim das contas você é só mais alguém. Só mais um perturbado que faz questão de destruir gentilmente cada uma que toca, só para que quando você cole os pedaços, elas nem se dêem conta de que você as partiu antes.
Você já analisa e planeja tudo sabendo que sua isca vai ser mordida e gosta de começar o jogo já com a vantagem e eu prometo a você que hoje você vai perder, porque eu vou tomar-te como meu e te direi palavras que logo vão quebrar seu espírito com gentileza e amor.
Sim, eu amo você.
Mas eu tenho certeza que noutro corpo, uma alma como a sua habita e estou certa de que ela será gentil comigo como você nunca foi e noutro corpo me deleitarei e darei todo meu amor sem medo do que vier.
Então contente-se em jogar a próxima rodada com mais cuidado, querido, porque esta você perdeu.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Begging

Eu tenho vontade de te esmurrar às vezes, só porque você não me abandona nem quando eu peço gentilmente, mas quando eu páro pra pensar, não tenho ninguém mais a culpar além de mim mesma que vive alimentando seu fantasma só pra ver quanto tempo ele fica por perto.
Mas por outro lado, você poderia parar voluntariamente de me assombrar e deixar as coisas fluírem do jeito que elas deveriam ser.
Mas acho que não seria a mesma coisa... Você é a pessoa com a qual eu comparo todas as outras e não consigo mais imaginar minha vida se esticando além da sua, porque você é quem me hipnotiza e me faz sempre implorar por mais.
Imaginar um mundo onde não haja sua voz na minha cabeça ou nossa música em meu coração é imaginar o mundo mais solitário e cinza do mundo, onde até mesmo o sorriso das crianças cheias de vida não tem o mesmo brilho que costumavam ter. Não é que eu não viva sem você, eu já te provei mil vezes que consigo sobreviver sem sua presença na minha vidae consigo fazê-lo da melhor forma, para que você não veja a culpa em meus olhos de todos os homens que precediam o seu retorno triunfal na minha vida.
É estranho olhar pra trás e enxergar a real bagunça que você fez na minha cabeça e como esse caos se encaixa perfeitamente no meu cotidiano e como sem ele a vida parece apenas uma sucessão de dias sem graças e sem propósitos.
O que eu quero dizer é que já que meus pedidos não te alcançam mais, eu vim implorar, mas não de joelhos e sim de pé e olhando nos seus olhos para que eu possa interpretar o que eles realmente querem me dizer. Porque não importa o quão destrutivo você seja.
Vai ser sempre você.