terça-feira, 26 de abril de 2011

Autumnação

Eu te quero por perto, não só agora, mas o tempo inteiro, pode ser? Eu não aguento mais ficar um segundo sem você aqui do meu lado, porque me dói, me mata essa saudade de você do meu lado, de mim dormindo no seu peito como se não tivesse algo mais no mundo pra se preocupar.
A verdade é que todos diziam que você me alienava e eu fiz vista grossa pra esse fato, mas a verdade é que você se tornou a minha alienação... Mas que doce alienação, meu querido, devo dizer, porque nunca nada fez tanto sentido em minha cabeça e nunca eu tive todas as respostas para os meus questionamentos.
E se alguém me ver caindo no choro, será de alegria.
Se me verem serenamente apavorada, vai ser porque você não tá por perto.
Se amar tem que ser assim, doloroso e maravilhoso ao mesmo tempo, e eu não quiser sair disso, dessa constante que é amor,  então dane-se o mundo: eu estou alienada.

Anúncio: Preciso te conhecer

Desculpa, eu realmente não queria vir aqui fazer cobrança, mas já estou ficando com a bunda achatada de tanto te esperar!
Quando você vai resolver aparecer? Na hora certa? Darling, então me diga, que horas é a "hora certa" para que eu possa ajustar meu despertador.
Já te confundi com tanta gente... Acho que você tem um rosto um tanto quanto comum, ou familiar demais. Mas juro, juro que nunca te troquei, nunca tive nada além de perda de tempo e enganos com todos eles.
Ah, não faz assim, eu só quero que você me mostre teu rosto, vai. Então, tá quente ou tá frio? Porque dessa vez eu vou te encontrar, mesmo que você queira continuar a se esconder.
A verdade é que eu não tô mais aguentando viver nessa espera aparentemente sem fim, eu preciso de ti, de viver do teu lado. Daquele que eu gosto, aquele que vai fazer carnaval de um dia chuvoso com um simples abraço de encaixe sutil e amistoso.
Procuro seu rosto na coluna social, na esperança de te encontrar num anúncio de amor, dizendo que precisa urgentemente de mim.
E eu sei que você precisa de mim tanto quanto eu preciso de você. Não precisa dizer nada não, não precisa dizer que é você, só precisa aparecer.
Eu não tenho medo, com a lucidez dos embriagados iremos de nos reconhecer desde o primeiro momento.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Should I...

Nossa, que susto levei.

Voltava para casa quando reparei que havia alguém sentado no banco de madeira em frente à minha casa. Gelei, geleei demais, pois, ao perpassar o olhar rapidamente, tive a impressão de ser você. Ou ele? Enfim, sei que senti meu estômago dar aqueles típicos 180° toda vez que o sentia por perto. Recordei-me perfeitamente da alteração que meu organismo sofria toda santa vez que sabia que nos veríamos – a propósito, nunca superei a ânsia súbita que me floresce quando você se impõe. A ligeira impressão de avistá-lo ali me tomou de tal forma que minha imaginação chegou inclusive a retratá-lo em uma posição fidedigna, provavelmente como você se sentaria naquele exato banco, naquela exata ocasião. Após tê-lo visto, mirei o chão enquanto analisava minhas possíveis reações em minimíssimos segundos, assim como formulava o motivo da visita inesperada. De todas as reações calculadas, não havia como escapar da surpresa e da satisfação. Ao levantar meu rosto, supostamente preparada para enfrentar o quê quer que ocorresse, deparei-me com um completo desconhecido. Sem diminuir meu passo, xinguei tal pessoa por me preparar tamanho sobressalto... E culpei a mim mesma por me surpreender.

domingo, 24 de abril de 2011

Se todos os sonhos pudessem ter a mesma leveza de dias como esse, talvez toda dor pudesse ser pelo menos minimamente tratada.
Percebo que toda ordem é consequência de uma necessidade de organizar o fracasso em etapas. 
Não sei o que me faz andar tão decepcionada assim com quase tudo e todos. Exceto por essas pessoas maravilhosas que me entendem do fim ao princípio e que me dão a oportunidade de ter novos princípios...
E eu gostaria que as coisas se encaixassem e que por átimos soluções aparecessem.
Não, não é minha intenção que as coisas se tornem fáceis demais, mas sim, não difíceis o bastante pra fazer com que todos a minha volta tombassem na escuridão, no desespero.
Ele é só uma consequência da solidão e tudo o que eu não quero é que eles se sintam assim.
Vocês são uma parte de mim, a mais significativa delas.
E se hoje o dia foi leve, foi apenas porque vocês estiveram aqui. 
(:

Hábito

Ouvia o ressoar dos passos dele na escada, como se ali ele pudesse estar naquela hora. O coração angustiado pulsava lembrando da maneira como ele de tão elegante parecia deslizar até o quarto, até a cama deles. Ela lembrava de tudo, da maneira como ele falaria em determinada situação, da forma como ele sempre tirava os sapatos sentando-se na cama, da maneira como ele levantava de manhã cedo pra se barbear, do cheiro da loção quando ele a beijava de manhã e partia. Trocaram juras, prometeram ser um do outro na saúde e na doença, mas esqueceram se de se importar. Culpa da modernidade, da pressa, dos sussurros tentadores, da finitude humana, da supervalorização ou desapreciação do amor, como queira.
Tudo parecia trazer de volta aquela sensação de que enquanto namoravam eram mais livres, mais um do outro. Se perderam na complexidade da sua relação. Se perderam e não souberam como se encontrar mais dali em diante. Mas é fácil se acostumar com alguém, com o beijo de alguém, com a risada e com a família. É fácil demais acomodar-se e a verdade é que nem sempre só amor é suficiente. Por isso vê-la naquele estado me despedaçava. Ela havia se acostumado com ele, com o jeito dele falar e parecer e confundia isso com amor, o que me irritava profundamente. E ao vê-la ali, ouvindo os passos na escada esperando que fossem dele quando ela já tinha alguém de novo me fez dizer pra ela a única coisa que eu havia aprendido até ali.
- Janaína, amor é mais que se conformar, amor é mais do que só amar, é ter cumplicidade. É saber perdoar as faltas do outro e pensar no outro antes de fazer besteira. É pensar que não importa como vocês chegaram ali, ou quanto tempo durou, isso não importa se vocês não caminham juntos pro mesmo futuro. É não deixar filho de lado, é não amar tão sem medida que percamos o amor próprio, porque achar alguém que te ame é quase como achar alguém que faça você se amar mais. É preciso ter o carinho, o cuidado que ele não teve. É preciso conversar muito e saber quando calar também. Amor pra mim é o filho da amizade com a paixão. E eu li uma coisa um dia e quero passar pra você.
"Não te quero só para mim
Te quero para ti e para a vida
Pois quanto mais te tornes o que quiseres
Mais te tornarás o que eu queria".
Amor... Olha. Amor nunca é tão egoísta como você está sendo.

(22/11/10 - 23:27)

There's no reason to put a name on this

Pombas no fio de energia, outras sobrevoam minha cabeça talvez pra espantar os maus pensamentos.
Eu queria conseguir ser feliz mas essas nuvens cinzentas e carregadas não deixam... Elas nunca me deixam.
E então todas essas memórias me arrastam para o inferno que eu criei. Eu sei o caminho de cor.
Fui eu quem deixei essas marcas no chão da última vez.
Ponho as duas mãos atrás da cabeça e agora meus braços parecem asas. 
As pessoas me olham como se eu fosse uma pomba. Como se eu fosse motivo de asco, um vetor de doenças.
Algo divertido de se espantar, um bicho que você espera que saia do seu caminho quando você passa perto.
Eu não gosto da maneira como alguns seres humanos se portam.
Ás vezes eu não me sinto humano...
Depois que os dias passam fica fácil se acostumar com esse ambiente hostil.
Qualquer confusão serve de desculpa pra fazer a coisa errada. E eu? Eu sempre me confundo.
As brechas são muitas e pessoas querem se sentir finas o bastante pra passar por elas.
Eu detesto ter escrúpulos e não responder ao mundo tudo o que eu desejo. 
Mesmo que eu dissesse, quem me escutaria?
Eu vejo liberdade na minha prisão, eu não sou cego.
Até um certo ponto me conforta não ser tanto o que os outros esperam.
Isso sou eu.
Me diga quem você é e eu fingirei me importar.
Eu vou repetir todas as coisas que já foram ditas e você me chamará de amigo, sem saber que existem mais planos na minha cabeça do que estrelas nos céus.
E mesmo assim eu te decepcionaria.
Mais cedo ou mais tarde eu vou cometer algum deslize.
E até lá eu andarei acompanhado, como sempre andei.
Sempre acompanhado pela minha capacidade de atrair o caos.

Mistakes

Ela olhou no espelho e se viu frustrada.
22:22, ela olhou no relógio e desejou com o coração que a escuridão se esvaísse por seus poros.
Resolveu ligar pra ele:
- Alô? - Ele atendeu parecendo surpreso do outro lado da linha.
- Er... Oi. Desculpa te ligar tão tarde.
- Nada a ver, pode me ligar quando quiser. Você tá bem?
- Não, eu não tô. To perdida, perdida sem você.
- Não diz isso.
- Cara, é a verdade.
- Você não pode ser assim, babe.
- Fácil falar, né?
- Tá tomando seus remédios?
- Você tá tomando os seus?
- Isso é um não?
- Isso é um talvez.
- Ok. Que que você quer, sério?
- Você.
- Você sabe que não pode ter tudo.
- Você sabe que eu não quero tudo, só você.
- É, mas você me perdeu.
- Não, você quem se perdeu de mim.
- Eu não quero falar sobre isso, me deixa.
- Então me deixa primeiro.
- Eu sempre estrago tudo pra você e você pra mim. É melhor eu desligar.
- Desliga então, vira homem.
- Tchau.
- SEM SE DESPEDIR, IDIOTA.

Tu-tu-tu-tu-tu-tu...

E desligou e chorou. E desligaram e choraram.
Pouco tempo depois o telefone tocou, mas ela nunca mais poderia atender.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

New Day

Eu não acredito que você encontrou um outro alguém.
Talvez ela seja melhor, não sei, amor.
Só sei que eu te amei como ninguém
E se me disseres não, não vou me opor.

Só queria, ah, como queria.
Que você visse direito como nós somos.
Que você sorrise ao escutar nossa melodia.
Que você quisesse voltar ao que fomos.

Mas de que adianta se apegar ao passado?
Se agora você só tem olhos pra ela.
Se agora você acha que me amar é algo forçado.
Como um trabalho e eu fico presa, te amando, nessa cela.

Ah, meu querido, se você ainda me quiser.
Não garanto que estarei ainda aqui.
Quero te superar e não te dar esse prazer.
E dizer que você não foi o melhor que eu vivi.

Just a history.




Chegaram no quarto e ela sentou na beirada da cama. Ele sorria seu sorriso repleto de vilania e, ao passo que se aproximava dela, sentia-lhe trêmula ali. Ele a beijava com tanto ardor, com tanta avidez que ela suava e se derretia e se rendia...
Ela o olhou e ele se descalçava. 
Tirou a blusa dele, as calças e deixou que ele fizesse o mesmo corando um pouco. Ele inclinava-se sobre ela até que os dois ficaram completamente deitados. Ele abaixou as alças do sutiã de uma forma lenta e gentil que a fizeram se arrepiar toda. Tirou o sutiã, beijou-lhe os ombros, o colo. Mordia suavemente seus mamilos e depois subiam os seus beijos...No colo novamente, no pescoço, no queixo, na boca agora ofegante da menina que mal conseguia pensar em alguma coisa. Então as mãos dele deslizaram no corpo dela, nas coxas, na virilha. Roçava os dedos na calcinha e sorria ao vê-la enlouquecer. Ela tirou e o deixou tocá-la. 
Os dedos dele proporcionavam-na um frenesi que ela nunca sentira antes, seu coração estava muito acelerado e seu corpo estava em chamas.Ele deitou ao lado dela e sorriu.
- Que foi, cansou?
- Não, é que eu gosto de ficar te olhando, só te olhando...
Ele estava apaixonado, não haviam dúvidas disso. 
Ela subiu em cima dele e enfiou a mão dentro da cueca e ele se contorcia deliciando-se com as carícias dela. Ela tirou a cueca , beijou-lhe o corpo inteiro, até que a vontade de ambos era tanta, mas tanta, que ele a agarrou pelos braços e jogou-a pro lado e, agora por cima dela, foi com força sem que ela esperasse e um arrepio tomou conta de ambos. Ela ofegava e gemia, arranhava-lhe as costas com suas unhas pintadas de Cabaret e o comprimia sobre ela. Ele estava no céu. Foi aumentando o ritmo daquele vai-e-vem, apertava-lhe os seios, mordia-lhe os lábios até que sentiu um prazer tão grande, uma euforia e no instante seguinte foi tudo calmaria...
Deitou um pouco mais baixo e pousou a cabeça no colo dela, fechando os olhos em seguida. 
Sentia as frágeis mãos dela alisando seus cabelos, mas de olhos fechados não podia vê-la encarar o espelho quase em frente a ela, parecendo não entender como ali tinha parado.
-Vem, toma um banho comigo, minha princesa...
-Okay.
Ela foi e os dois se beijaram, se abraçaram, conversaram e riram.
Ela vestiu uma blusa dele e deitou-se. Adormeceu enfim...
Acordou com a claridade batendo no seu rosto. 
Olhou em volta e não reconheceu o lugar por um instante, até ver as foscas paredes amareladas e o homem ao seu lado...
Percebeu então que havia morrido de vez quando se viu incapaz de continuar com alguém como ele, o único que era bom com ela.
Vestiu suas roupas e partiu
Só sobrou um bilhete.

"Eu sempre fui assim: uma fraca, uma covarde. E eu não espero que você entenda, mas peço que não faça o que eu fiz, não perca-se de si. Tenha esperanças porque eu não as tenho... E se eu parto quem sabe outrora venho buscar nos teus braços o amor que não pôde ser meu. Seria crueldade permanecer sem saber que agora enquanto escrevo essa carta eu te amo e se eu pudesse ficava, se eu não fosse tão magoada e mesquinha. Mas saiba que é melhor que acabe assim, como se houvesse sido um sonho, do que te decepcionares comigo e viver tristonho nos braços daquela que um dia te amou. E quando conhecer alguém que possa se tornar realidade, talvez percebas que não foi maldade, é só que até os sonhos findam."

Dirty Little Secret

Qual meu segredo?
Eu ando sentindo uma vontade imensa de te beijar ultimamente.

Filha da Primavera

As folhas já caíram e os ursos já hibernaram. Acorda, amor. Acode, amor. Avante, amor, levanta dessa cama e se arruma porque a primavera está vindo e vem acompanhada de sua filha.
Levanta dessa cama e lava esse rosto cansado, vem pra rua comemorar as flores que vão nascer. a filha da primavera vem aqui nos dar o ar da graça e fazer o nosso campo ficar mais maravilhoso do que já é, vai derreter a neve e tirar toda a tristeza que o inverno pôs em você.
Acorda, amor, porque ela já tá chegando.
Acode, amor, porque a mesa ainda não tá posta.
Avante, amor, abra essa porta.
Porque a filha da primavera chegou e está trazendo lindas flores que sobrevivem à tudo. Lindas flores que não são nem de verdade, pra você saber que por mais que esteja bem frio lá fora, as flores vão alegrar seu dia. Porque as flores de plástico não morrem.

Dear F.

Ah, você me faz um bem danado, viu?
E só de te olhar quando eu quiser e ver você dormindo do meu lado meu coração perde uma batida porque parte dele foi entregue a você. E era você desde o princípio, meu príncipe, era você que ia transformar minhas lágrimas sofridas e tão desaguadas no maior espetáculo de lágrimas de felicidade.
E eu que sempre achei que os contos de fadas eram pra todos menos pra mim, que pensei que você só existia nos meus delírios e nas minhas fantasias apareceu tão galante me fazendo gargalhar de tanta felicidade e meu mundinho cinza e rotineiro, sem viagens, sem amor e sem companheiros, de repente virou a maior aventura da minha vida, confesso que não sei o que esperar do amanhã...
Mas eu quero que você saiba que eu lhe entreguei a parte do meu coração que lhe cabe, pelo menos por enquanto que está recente e eu não sei se você vai esmagá-lo e rir dessa pobre tola que pensa que ela vive num musical estranho onde só quem canta são os passarinhos da rua. Eu quero que esteja bem claro que você é uma pessoa intensa que está me proporcionando o momento mais feliz da minha vida e eu espero ansiosamente pra ver no rosto dos nossos filhos a felicidade que a gente vive.
Eu nunca pensei que eu pudesse ser feliz assim, querido.
Obrigado por pôr um sorriso no meu rosto toda manhã quando você me abraça e diz: bom dia, meu amor.

Procura?

Se você procura um amor, meu bem, eu queria te dizer que eu estou bem aqui na sua frente, olhando nos seus olhos e esperando você dizer que você me quer tanto quanto eu te quero.
Seus olhos cheios de pensamentos pessimistas e cheios de noites mal dormidas estão turvos e repletos de pensamentos de como a gente seria... Ah, e como seria bom estarmos juntos de uma vez pra que você soubesse que eu posso te dar tudo que você precisa para que seu dia fique pelo menos um bocadinho mais alegre, eu já prometi beijar-te todos os dias, até mesmo quando você não quiser e prometo que eu vou deixar você me abraçar em público e não vou te afastar de mim.
Você virou parte de mim, querido, querendo ou não.
Me querendo ou não; mas eu não me arrependo das minhas noites mal dormidas e meus pensamentos pessimistas constantes, desde que no fim, seus olhos turvos voltem a brilhar e você me diga sim.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Mrs. Brightside

Começou com um beijo e como pode terminar assim?
Eu estava deitada na minha cama quando resolvemos acabar com tudo e acredite em mim quando eu digo que pelo menos do meu lado não é falta de amor, talvez o excesso dele... Não sei ao certo. Você foi embora e eu adormeci, aliviado por acabar com o nosso sofrimento.
Mas dói te ver todo dia, querido, toda hora eu tenho vontade de agarrar você e desfazer o que já foi feito, mas aí eu paro e penso que nada pode ser tão simples assim; eu canto meu blues enquanto você serve todas aquelas meninas, que eu tanto tinha ciúmes, e não faz questão de esconder que está flertando com elas.
Mas isso não significa nada, não é mesmo, você ainda está sofrendo por mim, né?
Minha música vai ficando cada vez mais triste e eu vejo que você não se abala em nenhum momento, então eu troco e canto nossa música e só te vejo lançando um olhar profundo e meio perturbado pra mim.
Sim, você ainda está sofrendo por mim, você ficou tão chateado quanto eu.
Porque bem dentro de mim eu não sou tão durona quanto eu gostaria, mas eu não ia deixar você ver isso ontem, querido, eu ia colocar tudo isso na minha música e esperar que você tivesse algum tipo de resposta, alguma reação e você teve!
Mas logo eu vejo que você desviou o olhar de mim para a linda menina que está na sua frente e isso faz meu coração diminuir um pouco mais e mais. Eu paro de cantar, vou até o bar e você me atende com seu sorriso devastador e diz que a noite está "bem movimentada".
Eu sempre fui boa em pegar suas ambiguidades, mas eu preferi fazer vista grossa e quando você foi embora, eu te vi com ela, pode ser coisa da minha cabeça, mas ela estava se recostando no seu peito como eu fazia antes e eu não consigo mais olhar.
Isso me mata.
Mas eu ainda acho que isso é um paliativo, você ainda sofre por mim.

E sim, meu amor, eu ainda me chamo Mrs. Brightside.

domingo, 17 de abril de 2011

Ahhhh

Agora tudo faz sentido!

kkkkkkkkk
Eu queria te dizer que mesmo que eu nunca tenha visto o seu rosto, exceto por imagens borradas, eu já te amo e é tarde demais pra negar, te amo por você ter salvado a vida de alguém que eu amo muito, te amo por fazê-la rir e por fazê-la se endireitar na vida.
Eu mal posso esperar pra te conhecer coisa fofa e miúda.
Eu já te amo, Mimi.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Amor Bipolar

Hoje eu te traí, querido e eu confesso que eu nunca me senti tão viva na vida com todo aquele lance escondido, com medo de que você me encontrasse nalgum lugar pelo mundo.
Mas eu tô te contando isso porque eu te amo demais e com isso eu percebi que você é o amor da minha vida e é contigo que eu quero passar o resto dos meus dias, mesmo que você desperte o que há de pior em mim.
Eu morro de ciumes de você com aquela idiota. Quem ela pensa que é pra dar em cima de você assim? Você quer ela, pode ficar.
Não fica não, querido, juro que eu vou ser menos ciumenta e sempre te amarei.

E sabe como esta história termina?
Depois de sucessivas brigas e términios, eles seguem a linha bipolar e escolhem caminhos diferentes.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Misery

Eu queria poder gritar pro mundo que eu estou acompanhada de alguém que finalmente me satisfaz e que não se importe com o fato de eu gostar de cantar e não ter o mínimo dom pra isso. Às vezes eu sinto que eu quero muito e que eu deveria me contentar com qualquer um que diga que me queira e compartilhe coisas em comum, qualquer coisa sem emoção que a gente vê hoje em dia, mas aí eu penso, se já tem tanta gente que vive essa vida por que eu a desejaria pra mim?
Por que as pessoas deixam de viver pra ficarem estagnadas numa vida que mal se caracteriza como vida?
Porque a miséria gosta de companhia e descobre ela em pessoas fracas.

Momento prontofalei.

Posso falar que eu morro de rir vendo não-músicos querendo o fim da OMB? HAHAHAHAHA Deixem que os músicos protestem, queridos.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Running on sunshine

Tá, eu admito por mais constrangedor que isso soe que eu fiquei insegura ao vê-la ali por alguns instantes, ao ver o quanto ela era charmosa e fiquei irritada com o fato dela ter tido você antes de mim...
Me sinto uma boba falando isso em voz alta agora, mas é verdade. Eu não conseguia parar de olhar ora pra ela, ora pra você. Você. Sempre hipnotizante o jeito como sua boca suculenta se move, sempre hipnotizante o jeito como você fala, sorri e olha. Me perguntei se eu não seria pouco pra você diante da beleza dela, me perguntei como seria se ela visse tudo o o que eu vejo em você  e te quisesse de volta. Tolice. Foi só um pensamento estúpido e desprezível aniquilado pela infindável doçura dos seus olhos amorosos sobre os meus ao dizer "te amo, você sabe disso, né?", seguido de um terno e apaixonado beijo e dos seus braços envolvendo meu corpo e das suas mãos deslizando delicadamente em minha face. Ali, expostos, pra todos verem.
Naquele momento eu me senti boa o suficiente, me senti honrada por ter um homem como você ao meu lado. Soube então como é a sensação de estar completa e feliz pela maneira como você me olha e me deseja, eu me senti esperta como um raposa por perceber a graça que me fora ofertada ali, por não querer te deixar nunca.
Nao há razão pra insegurança, por mínima que seja, por eu ser a tua mulher e você, o meu homem maravilhoso. O único com a habilidade de me desconcertar, me conquistar, me levar aos céus e me amar incondicionalmente, justamente da forma que eu sempre soube amar você.
Você me faz bem e eu sei que quando estou contigo nada pode arruinar meu dia.
Não existe sequer uma nuvem escura que me impeça de correr com os raios de sol.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Universe & U

Eu te vejo sorrindo pra todos, cativando quem passa na sua frente, quer você queira, quer você não queira.
Não posso deixar de sorrir também e amar o fato de que finalmente eu te achei e você me encontrou, quando as perspectivas pareciam tão obscuras, quando eu estava mergulhando num buraco negro de falta de esperança e tudo parecia tão perdido, tão utópico, que o melhor que eu tinha a fazer era me conformar que o destino não havia colocado amor na minha vida.
Não tinha sorte no jogo e muito menos no amor.
Agora é diferente e meu espírito competitivo aguenta perder enquanto você estiver por perto pra segurar minha mão quando eu me sentir uma fracassada. Você promete fazer isso por toda vida?
Porque eu prometo manter tudo sempre sem tédio e sem rotina, um pouco de amor matinal e noturno e dois beijos... Um pelo hábito de te beijar e um que tiraria o seu fôlego e o meu.
Eu nunca fui de fazer planos ou me portar de forma simpática logo de cara, mas olha só pra mim caminhando pela rua e imaginando nossa casa e filhos enquanto o sorriso aumenta tanto que as bochechas, mal acostumadas a isso, começam a doer.
Nunca pensei que eu pudesse me sentir assim, como se eu fosse igual a outro alguém e ainda assim tão diferente. Droga, você despertou minha sensibilidade e eu não sei quando ela volta a dormir, porque quando eu acho que a razão me dominou, você só sorri e eu já estou noutro lugar com você.
Não importa se formos pobres, centenários, ricos ou otimistas, eu sou você, você sou eu e o resto do mundo não importa.

sábado, 2 de abril de 2011

Conversa sem diálogo: eu, amor.




Deitei do lado direito e ele do esquerdo. Ambos recostados em nossos próprios braços, nos encaramos.


Ele piscava lenta e languidamente. Com a minha mão livre passei as costas dos meus dedos em seu rosto fazendo todo seu traçado, memorizando e eternizando sua forma em minha mente. Maxilar, queixo, bochecha, lábios... Seus olhos me olhavam sério, bem no fundo da minha pupila dilatada, como se quisesse desvendar o que elas queriam dizer.


Eu queria ser menos amor.


Tirei minha mão levemente dele, virei o rosto para o teto imaginando no que aquilo iria dar. Mas sua mão recostada encontrou a minha de surpresa, queria dizer “Ei...”. Ele acariciava cada dedo meu, enquanto ainda olhava atento aos meus olhos. E eu não consegui.


Meus poros exalavam amor, meu suor transpirava amor, todos os fios do meu cabelo, todas as minhas terminações nervosas vibravam naquela paixão culminante.


Eu era amor do começo ao fim.


Fechei os olhos, esperando que assim como o mar, a maré baixasse, a calmaria chegasse.


E quando finalmente os abri, percebi que ele estava sorrindo para mim. O tipo de sorriso sincero, a linha desenhada perfeita, que você espera a vida toda para ver (esse dizia “sua boba”).



Daí minha maré transbordou, daí eu nunca mais parei de ser amor.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

April Fools Day

Parabéns, amor, hoje é seu dia.
Hoje suas tantas mentiras podem ser invalidadas e quem sabe você não poderá finalmente assumir a verdade?
Por que não assumir que me amar te deixa idiota, meio babaca e você não liga, pelo menos não hoje... Eu quero que você venha até mim bem sorrateiramente e diga que você me adora e que seu sonho é ficar comigo para todo sempre.
Mesmo que depois você desminta tudo querido, porque afinal de contas: those fools in love, you think they're zeros.
Mas diga que você me quer... Porque eu te quero também!