terça-feira, 13 de setembro de 2011

Black Sand

Todas essas rachaduras, toda essa insanidade e a gente acaba brigando feito cão e gata.
Você me chama de vira-lata e me bate na cara, eu te beijo e a gente faz uma cama no chão da sala.
Não sei em que parte do caminho essas rachaduras tomaram conta da gente, estamos naufragando sem salva-vidas, amor.Você se arriscaria pra salvar tudo isso uma última vez?
Porque eu ainda consigo me lembrar o jeito, o sussurro, como você me chamava de noite.
Eu lembro quando você dizia que a gente ia fugir da rotina, juntos pra sempre.
E toda essa escuridão invadindo o nosso canto.
E todo esse ódio romântico entrelaçado em nosso conto.
É, acho que o tempo está passando.
E nosso relógio de areia está ficando tão negro
Que quem vê até pensa
Que isso é qualquer coisa,
Menos amor.

Um comentário:

  1. A rotina é impiedosa, um dia eu a desafiei e... perdi. Talvez pela inocência, ou pela empáfia. Eu perdi. E aprendi. Que o melhor do amor não é vencer a rotina e sim fazer com que ela jogue a seu favor.

    Bela reflexão.

    besos,
    @paraquenomes

    ResponderExcluir