terça-feira, 25 de outubro de 2011

Raiva.

Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva.

Não importa quantas vezes eu diga isso, o sentimento não muda, eu estou com raiva, você está sentindo? Você tá me vendo partir você em mil pedaços só com os meus olhos? Eu não quero que você morra, nem que você fique gravemente ferido, eu quero que você perceba, nesse instante, que eu esgotei todas as coisas que eu tinha pra te dar.
Atenção. Amor. Carinho. Lições... Acabou tudo dentro de mim e eu só consigo sentir raiva. E eu sei que isso me consome muito mais do que consome você, mas eu não consigo encontrar qualquer outra coisa no meu baú de sentimentos pra alimentar do que isso, então você vai ter que se contentar com ao invés do meu amor, você ter minha raiva.
E se isso te agradar, se me irritar faz parte do seu plano sádico de ver que eu realmente me importo com você, parabéns, querido, todos estão te aplaudindo de pé por você ter conseguido essa proeza. Agora, curve-se diante da platéia, dê meia-volta e vá para sua casa vazia... Cheia da raiva que eu sinto por você.

Um comentário:

  1. "Agora, curve-se diante da platéia, dê meia-volta e vá para sua casa vazia... Cheia da raiva que eu sinto por você."

    G-E-N-I-A-L.

    ResponderExcluir