quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Sobre ser só, só.

Sim, dessa vez eu sou a louca incontrolável, insone, exagerada, histérica chamando seu nome de traz pra frente, vendo tudo borrado, sem fazer o menor sentido. Sou eu na contramão de mim, querendo um pouco do muito melhor que você tem dentro de si, pra encher um pouquinho do meu si. É pedir demais que você me estenda a mão na hora que eu mais preciso? É pedir demais pra você me ajudar a sair desse chão imundo, devagar para que eu não fique tonta, para que minha náusea não se exteriorize? Meu estômago dói e na cabeça ecoa o ultimato: Ou você está aqui e fica aqui pra sempre ou sou só eu com esse vestido bufante, enfeitada e patética, te esperando, deitada no carpete do banheiro, me embriagando com solidão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário