sábado, 20 de dezembro de 2008

Acordei com o pé esquerdo hoje


O que é pior que estar em casa em pleno sábado à noite, enquanto seus pais dão uma pseudo festinha e nenhuma das suas melhores amigas estão pq elas estão viajando?! (Aliás, os pais de umas delas estão aqui, mas ela tratou de me enganar e não voltar na data que deveria ;-; zooa xD) E o seu melhor amigo, aquela bicha, não responde às suas mensagens também ¬¬

No que isso dá? Ficar trancada no quarto ouvindo Iron & Wine e desabafando numa página de internet, esperando que algo sensacional aconteça (mentira).

É aí que os terríveis fantasmas dos Natais passados te assombram! Pelo menos à mim.

Começa a vir aquele filminho horroroso na cabeça, cheio de risos e felicidade. Só de pensar me dá ânsia. É, é isso mesmo. Eu não sou lá muito fã de gente feliz, pelo menos não quando eu não estou. (Mas também, quem é?) Nem mesmo se a tal pessoa seja a lembrança de mim mesma há um ou dois anos atrás.

Enfim... Ah! A bicha respondeu HSUHSUHSUHUAS e ele tá no shopping tomando sorvete! OBRIGADA POR NÃO CONVIDAR SEU AMIGO DA ONÇA!

Éééé, hoje não está sendo um dos meus melhores dias, sabe? Tô com raiva mesmo, e vou descontar em quem aparecer na minha frente!

Estou começando a achar que essas músicas calmas estão me irritando mais, ou até mesmo me deixando depressiva. Não ouçam Elliott Smith em casos do gênero. Sério.

Mas se o que você quer é se acabar mesmo, do tipo pensar na vida e chorar litroz de garrafas pets, aí vai uma listinha de músicas:

OBS: caso você tenha alguma tendência suicida, não ouça... eu acho hm.

  • Iron & Wine - Love and some verses
  • Iron & Wine - Flightless Bird, American Mouth (é, é, aquela música de fundo da última cena do Crepúsculo, que só de pensar já dói o coração)
  • Iron & Wine - Sunset Soon Forgotten
  • Elliott Smith - Last hour
  • Elliott Smith - Twilight
  • Bright Eyes - No lies, just love
  • Bright Eyes - Blue Christmas (eu consigo me imaginar com a cara enterrada numa mesa de bar de beira de estrada com um copo na mão quando eu escuto essa música)
  • Jem - Flying high
  • Regina Spektor - The call (essa música é tão... Natal, sei lá, é linda)
  • The Beatles - Across The Universe
  • Bread - Aubrey
  • Catherine Feeny - Forever
  • Catherine Feeny - I still do
  • Coldplay - See you soon
  • Death Cab For Cutie - Lack of color

Ok. Chega.

Já estou no estágio de músicas tipo 'i smeel like sex and candy', então VALEU pra a minha amiga mais bonita que provavelmente deve estar tendo aulas de axé, pro meu amigo que deve estar derrubando sorvete na roupa e a minha amiguinha que... hm, sei lá o que deve estar fazendo, enquanto eu MOFO.


"Don't forget your christmas cheer! Cause santa's going to die this year, Santa's going to die!"

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

.andallthosememoriesshouldn'tmakemecry.

Ele foi muito mais do que eu poderia querer
Naquelas noites povoando hotéis que não iríamos esquecer
Naquela cidade pequena, aquela gente pequena
Tanta gente em volta dele, de sua presença serena...

É, eu lembro como ele era lindo
Parecia ter sido esculpido por algum Deus do Olimpo
Destinado a me fazer sofrer e amar
Com as mentiras doces que sua boca lançava no ar

E olha aonde eu me encontro! Nessa vala sem fim
Sem saber se fico ou passo. Ou esqueço? Ai de mim!
Que preferia uma vida de omissão e dor
Porque viver sem você é me condenar a viver sem amor.

sábado, 13 de dezembro de 2008

No more looking, I found him

Você não consegue perceber que eu quero estar lá com os braços abertos?
A noite está vazia e eu estou totalmente sozinha... me tira dessa.
Você percebeu que eu fui embora?
Você fugiu tão longe pra onde?
Eu quero que você saiba que eu sinto a sua falta.
Eu sinto muito a sua falta.
Eu estou escrevendo de novo essas cartas pra você, baseadas em tudo o que eu sei, mas eu não estou dormindo e você não está aqui. Esse pensamento pára o meu coração.
Nossas vidas eram muito diferentes, e eu estava sozinha quando nos conhecemos.
Coloque seus braços ao redor de mim novamente, segure-me apertado e tudo estará bem.
Eu amo você. Embora o som seja confuso, apenas tenha certeza do quanto eu amo você.
Com todas as minhas dúvidas removidas, eu iria a qualquer lugar, farei algo para provar que eu amo você.
Eu espero que você me queria também. Eu rezo todos os dias, e ouço você dizer... (eu amo você)
Você acha que eu queimei todas as pontes que nos uniam, você acha que eu não quero mais você pelo modo que eu venho agindo.
Mas eu quero que você saiba que eu sinto muito a sua falta.
Realmente nada importa desde que você esteja aqui comigo. Fique comigo.
Cigarros, ar livre, mãos dadas... eu digo fique comigo, porque cada estrela que eu vejo é mais brilhante que a anterior, então...
fica.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Sorry if you're sick

Olhe pra nós, desfazendo nossos laços nessa cozinha.
Olhe pra nós, reforçando todas as nossas defesas.
Olhe pra nós, continuando a guerra no nosso quarto.
Olhe pra nós, abandonando o navio no meio das nossas conversas.

Não faz diferença o que estamos fazendo por dentro
E não é mostrado como maiores sintomas do lado de fora.
Então por que gastar todo nosso tempo escondendo quem, no fundo somos, quando temos a chave fundamental pra resolver a causa aqui: Nosso interior.

Se não fosse pela sua imaturidade, nada disso teria acontecido.
Se você não fosse tão sábio para a sua idade, eu teria sido capaz de me controlar.
Se não fosse pela minha atenção, você não teria tido sucesso e se não fosse por mim,
você nunca teria chegado tão longe.

Isto poderia acabar mal mas você parece não se importar.

Que parte da nossa história foi reinventada e varrida para debaixo do tapete?
Que parte da sua memória é seletiva e tende a esquecer?
Por que essa distância? Parece tão óbvio?

Olhe pra nós, formando nossas panelinhas pra nos divertirmos.
Olhe pra nós, minúsculas crianças, as duas com o coração bloqueado.
Olhe pra nós, tendo aversão a todos os nossos defeitos.
Olhe pra censura dentro da minha própria cabeça.

Preste atenção nas origens das mais simples razões...
Essa base de tudo, quando formada, se inicia dentro da nossa sala de estar...

sábado, 6 de dezembro de 2008

True histories should have a happy ending

Eu enterrei.
Eu deixei lá...
Guardado pra ninguém ver.
Aí, quando eu estou sozinha, ás vezes eu o deixo tomar sua forma real:
Grande e horrível.
Machucada e fiel?
Isso!
Então eu enterro ele dentro de mim mesma,
não é que não esteja lá,
só não serve mais pra nada...
E claro, seu formato foi violentamente mudado
Eu não sei como vai ser ver ele de novo.
Because somehow he is still here.
Inside, hidden.
Things shouldn't be this unfair.
Shouldn't be this hard.