segunda-feira, 31 de agosto de 2009

This is not a love story.

This is not a love story.
She doesn’t believe in true love and he is described as a hopeless romantic, who falls in love with her.
This is a story about love.



Tom: What happens when you fall in love?
Summer: You believe in that?
Tom: It's love, it's not Santa Claus.



Tom: Did you ever even have a boyfriend?
Summer: Of course
Tom: What happened? Why didn't they work out?
Summer: What always happens? Life.





Songs of desperation I played them for you. A moment, a love, a dream, a loud, a kiss, a cry. Our rights, our wrongs.
So stay there cause i'll be comin over. And while our bloods still young, it's so young, it runs and we won't stop til it's over. Won't stop to surrender.



Summer: We've been like Sid and Nancy for months now.
Tom: We've had some disagreements, but I hardly think I'm Sid Vicious...
Summer: I'm Sid.
Tom: Oh, so I'm Nancy? ._.


I can live without you. I just don't want to.
500 days of summer.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Coliseu de Formigas

Geenteem, volte-ei!! *acena freneticamente, como uma criança que acabou de comer 2 kg de açúcar* 8D


Hoje contarei a parte maaais emocionante deste belo dia que vivenciei...


Lá estava eu e Dona Gi-giba, sentadas no chão.
Até que Dona Gi-giba, num momento de distração de sua brilhante mente (brilhante mente/brilhantemente; sacou? xDDD), desenhou um círculo no chão usando seu álcool-gel (anti-séptico em gel, na verdade) que veio da Amazônia (pois é).


Ideia genial: Coliseu de Formigas!


Isso mesmo, caríssimos telespectadores!
Surgiu então a genial ideia de improvisar um Coliseu de Formigas! \o/
Como estávamos no chão, pegamos os pedaços de folhas que estavam ali em volta e caçamos formigas. Queria que elas degladiassem, HOHO! (o que não fazemos para ter um pouco de aventura em nossas rotinas, não é mesmo, colega?)
Enfim, achamos uma. De fato, havia várias, mas nos concentramos em uma, né... (a Camuflada! Pois é, pois é)
E penamos para conseguir pegá-la, viu... Foi uma tarefa árdua, meus amigos...
Quando Dona Gi-giba, após muita dedicação, finalmente conseguiu fazer a Camuflada subir na folha, ela se emocionou a tal ponto de deixar a folha cair.

OHH NO, JACK!

Continuamos tentando porque somos brasileiras e não desistimos nunca!!!

(. . .) (...podre essa, releva.)

CONSEGUI! Mas quando consegui, a adrenalina foi tanta que também deixei cair a folha...

(olha o medo das duas de que a formiga subisse em si mesmas)

Enfim, UMA HORA nós conseguimos e é isso que importa! Ora essa...

Mas não dava pra colocar duas formigas dentro do círculo ao mesmo tempo! o.ó
Geralmente, elas ficavam dramatizando lá... elas chegavam perto do álcool e meio que levantavam as patinhas (como cavalos, sabe?)... depois meio que morriam...
Pura arte cênica... espetacular de se ver.

Se brincar, a Camuflada foi mais dramática que Otelo.

MAS HEIN, tinha uma que foi corajosa! Virei fã dela! :O

Assim que a colocamos no círculo, ela correu que nem um berserker e se jogou ferozmente no gel!
Só que ela grudou e morreu depois...
Porém, foi a mais guerreira!

BRAVO, BRAVO!

Sempre há aquela para salvar a Nação!

Descanse em paz em Valhalla, nobre formiga...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

How much longer will you keep with this, little liar?

Deu vontade de postar... Talvez não signifique nada, talvez não passe de palavras... Mas eu gosto de postar essas coisas que podem fazer alguns pensarem.

Eu ouvi dizer que a verdade foi construída à curva de um mecanismo para suspender a culpa. É o que você está exigindo, embora você "tenha que dançar", pequeno mentiroso.
Assim como aquelas mentiras precoces que estouram, você será forçado a aceitar esse 'quiz' terrível. E você é obrigado a responder. E ele detectará a ficção nos seus lábios e escavará em busca de uma contradição.
E o limpo ficará machucado, e você nunca poderá apagar essa mancha pois quando há sujeira debaixo de sujeira... o mentiroso leva muito menos tempo.

Com certeza, é claro e evidente pra mim que você não precisa de um álibi agora. Não, é algo grande pra todo esse seu suor, sim, nós vamos te trazer de volta ao normal.
(Vamos?)
E depois que você sair do caminho, você se machucará e então continue a riscar fora dessa linha que recentemente te acalmou. Então, não dispare nenhum alarme por enquanto...
Você tem ossos tinhosos? E durante seu tempo livre você pode invadir a sua mente e cravar memórias falsas?


É, pois é, os limpos sairão machucados.
Sempre saimos.

sábado, 22 de agosto de 2009

Catarse

Eu constantemente me pego mentindo.
Nada dramático ou exacerbado, são apenas mentirinhas de cá, exageros de lá...
Mas em algum lugar disso eu não consigo nem me lembrar como adquiri esse costume horrível.
Eu oculto, eu nego a mim mesma, eu minto sobre como eu fiz as coisas, eu minto sobre como eu me sinto pra não ferir os outros.
Mas no fundo não é questão de proteção, é questão de moral, eu sei que eu não deveria mentir.
Mas todo mundo mente pra mim e eu já não sei diferenciar uma coisa da outra.
Só achei que alguém devia dizer a verdade pra variar.

Q

Catarse (Acepções)
substantivo feminino
1 na religião, medicina e filosofia da Antiguidade grega, libertação, expulsão ou purgação daquilo que é estranho à essência ou à natureza de um ser e que, por esta razão, o corrompe
1.1 Rubrica: religião.
no orfismo e no pitagorismo, período de purificação por que a alma desencarnada deve passar até que, apagadas as marcas dos crimes cometidos em sua última existência material, possa ter acesso a uma realidade superior ou reencarnar em um novo corpo
1.2 Rubrica: religião.
conjunto de cerimônias de purificação a que eram submetidos os candidatos à iniciação religiosa, esp. nos mistérios de Elêusis
1.3 Rubrica: filosofia.
no platonismo, libertação da alma em relação ao corpo por meio da renúncia aos prazeres, desejos e paixões, iniciada ainda em vida mas só completada com a morte
1.4 Rubrica: estética.
no aristotelismo, descarga de desordens emocionais ou afetos desmedidos a partir da experiência estética oferecida pelo teatro, música e poesia
1.4.1 Derivação: por extensão de sentido. Rubrica: estética, teatro.
purificação do espírito do espectador através da purgação de suas paixões, esp. dos sentimentos de terror ou de piedade vivenciados na contemplação do espetáculo trágico
Obs.: p.opos. a distanciamento
2 Rubrica: psicanálise.
operação de trazer à consciência estados afetivos e lembranças recalcadas no inconsciente, liberando o paciente de sintomas e neuroses associadas a este bloqueio
3 Rubrica: psicologia.
liberação de emoções ou tensões reprimidas, comparável a uma ab-reação
4 Rubrica: psicologia.
efeito liberador produzido pela encenação de certas ações esp. as que fazem apelo ao medo e à raiva, utilizado pelas terapias que se baseiam no método catártico


Etimologia
gr.
kátharsis,eós 'purificação, purgação; mênstruo; alívio da alma pela satisfação de uma necessidade moral; na acp. derel 'id.'; ver catar-

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Aquela Música

"Deixava aquela música invadir a sala pra preencher o espaço que você deixou.
Quem sabe você volta até a música parar"

Tic-tac-tic-tac, me dizia o relógio.
Que horas são que você não volta?
Nossa música está passando no rádio.
Você não liga mais?
Não liga para o que somos?
Não liga para o que fomos?

O fogo da lareira está subindo, aquecendo.
Como se isso fosse me consolar.
Nossa música está passando no rádio.
Nossa música é só o que eu ouço.
Você não liga mais?

Meus olhos estão inchados.
Meus olhos estão fechados.
Nossa música é só o que eu ouço.
Nossa música e o tic-tac.

Você virá, eu sei.
Você sabe que não vive sem mim.
Só peço quem venha rápido.
Porque a música tá acabando
{e se acabar, amor, acabou}

Tic-tac-tic-tac, me dizia o relógio.
Que horas são que você não volta?
Nossa música está passando no rádio.
Você não liga mais?

domingo, 16 de agosto de 2009

Io ti amo

Atrás de momentos de glória e felicidade, os meus caminhos encontraram o seu e isso me pareceu suficiente pra alcançar o que eu buscava.
Você não se contentava em ter aparecido na hora que eu mais precisava, como também se provava a cada dia mais digno do meu amor, mesmo eu sabendo que não deveria sentí-lo, que isso é errado em tantos níveis quanto imaginávamos.
Eu tentei evitar o seu caminho e tentei provar pra mim mesma que eu não sentia isso. Que era coisa da minha cabeça, talvez solidão em excesso.
Mas eu me permitiria tentar, se tentar fosse possível.
Mas eu não posso te ter.
Mas eu não devo te ter.
Mas eu só quero te ter.
Sou uma idiota confessa.
Eu deveria ser presa, eu deveria ser morta por ousar imaginar você e eu.
Existem coisas que simplesmente não tem cabimento e essa é uma delas.
Se eu pudesse representar o meu amor por você num gráfico ele seria positivo e tenderia ao infinito.
Se eu pudesse, se eu tivesse a coragem eu jogaria todas as porcarias pra cima e ia lutar por você.
Apenas pelo fato que com você eu me sinto eu mesma.
Apenas pelo fato que você é maravilhoso e que quando eu não falo com você meus dias parecem tão vazios.
Eu não sei do começo, do meio ou do fim. Eu sei tão pouco, amor meu...
E do pouco que sei, tudo o que te dei foi esse amor que sempre foi mais seu do que meu.
Mais seu do que eu.
Eu sinto sua falta



"And through it all
We've never moved on
No we never
Even begun".

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

ecavéi

REPARA NA GOSMINHA CINZENTA!


Vééi, adorei a gosminha! xDDDDD
E, caara, dá vontade de cutucar! Vai dizer que não?!
Quando vejo uma massa cerebral, tenho uma vontade louca de, primeiramente, apertar com uma mão, usando as unhas principalmente...
Depois, você segura como se fosse uma bola e a aperta com as duas mãos...
Por último, a vontade é de comprensar numa porta ou algo do gênero, de modo que você comprense devagar, pra vê-lo se esmagar devagarinho...
Como uma geleca. Ou um cérebro gosmentinho mesmo...
Enfim...
Só queria compartilhar isso com vocês :)
OBS: quem compartilha da mesma vontade ou quer apenas se expressar sobre, à vontade! \o/

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

If Tomorrow Never Comes

A gente sabe que vai acabar.
Tudo, no fim vai acabar.
A gente não sabe como.
A gente não sabe quando.
Mas a gente sabe que no fim das contas tudo vai acabar.
Felicidade. Tristeza. Amargura.
Diga o que você sente... Ela passa.
Mas o final.
O final que pega. Porque a gente sempre espera algo. A expectativa sempre existe indiscriminadamente, seja lá o que você sente.
A gente se agarra à expectativa ao extremo. Ela é o nosso elo.
E ela é sempre quem nos derruba, porque NUNCA termina da maneira como a gente espera.
E o que eu queria dizer é que o final perfeito seria um filme hollywoodiano.
Que termina antes que tudo desande.
Que acaba antes que o mocinho e a mocinha percebam que a magia algumas vezes acaba.
Meu final?
Eu queria que fosse um perfeito. Me agarrando nos momentos de céu na Terra. Nos meus momentos de céu nessa Terra falha e decadente.
Nu momento em que tudo dá certo e que uma magia acontece.
Então...
Será que só dessa vez...
Poderia acabar do jeito que eu quero?

sábado, 8 de agosto de 2009

Como foi sua tarde, nobre ser?

. diz:
olá :)
como foi sua tarde, nobre ser?


Calígena diz:
foi boa, pura alma
estava sendo um pouco assombrada pelos meus próprios demônios, mas nada como um cochilo ao entardecer ao som de Qntal
no momento, sinto-me revitalizada
e como foi a sua?


. diz:
horrenda, cara amiga, temo ter passado todo o meu dia sem realizar ao menos uma tarefa produtiva

Calígena diz:
pois então acalma tua consciência, uma vez que eu, tua amiga que quer teu bem, também não fizeste nada, mesmo estando em uma situação de necessário estudo para um teste caracterizado de dificuldades o qual será realizado em breve

. diz:
porém, vossa senhoria, previamente, obteve um resultado considerado elevado
não tendo assim razão para se atormentar
no entanto, eu falhei em tal teste
e, no lugar de tentar ressarcer tal prejuizo, gasto meu tempo no ócio


Calígena diz:
não fostes bem no teste da fria, porém aceitável, manhã de hoje?

. diz:
temo que não
como sabes, não me apliquei como deveria nessa tarefa
sendo assim, não aguardo boas notícias por parte daquela instituição diabólica


Calígena diz:
oh, amiga, que tristeza saber disto...
mas, não te preocupas, pois ainda é cedo, e não vejo motivo justificável para sofrer antecipadamente


. diz:
espero que estejas certa
tenho que me retirar agora
devo voltar em breve
até logo
:*


Calígena diz:
tudo bem, até *acena uma saudação do tipo miss*


--------------------------------------------------------------------------------------------
O Ministério de Comunicação Via MSN adverte que esta conversa contou com a participação especial de Dona Gi-giba, autodenominada como "." (leia-se: ponto).
Calígena sou eu -oi

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Words of...

Você não pode voltar no tempo, mesmo que você deseje isso com todas as fibras do seu ser, seu coração e alma, mesmo que você pense nisso todos os dias. Acredite em mim. Eu sei.

Mas é isso que nós não entendemos. Encontrar duas pessoas que tem o mesmo coração não é uma coincidência. É um milagre. E acontece todos os dias.

Eu vou fingir que você quis dizer sobre o tempo quando me perguntou como vão as coisas. Eu vou responder frias e secas.

Às vezes nós esperamos demais por coisas que nunca virão.

Se você não pode dizer sim, pelo menos responda. Eu prefiro viver com a resposta do que morrer com a pergunta...

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Pensamentos bem trancados na cabeça [?]

Só uma boca aberta gritando num cenário imaginário
Me levando a viver tudo novamente
Me arrastando pelos cantos
As grandes aventuras que nos trouxeram até aqui
Você disse que nos tornariam melhores
Mas era muito tarde pra recomeçar
Eu não acreditei em você
Aí surgiu essa fome e o medo
E a vontade de ficar só por um instante
Por um instante só
Você me conhecia melhor que isso
Caminhos bem diferentes
Intenções vis e planos inteligentes
Existe algo de estranho no ar e os sorrisos inesperados
Sempre apareciam nos lugares em que você dizia
Que achava possível voar
E você carregava uma auréola
E me deixava satisfeita na maior parte do tempo
Eu não acreditei
Eu quis ficar só
Por um instante só
Você me conhecia melhor que isso
E agora eu tento me espremer dentro da minha cabeça
Eu estou te vendo esconder
Aquele restinho de tempo que poderia ter sido nosso
E eu lembro de todas
As estúpidas mentirinhas
A bebida e as risadas
A felicidade
E a vida era só isso
Por um instante só
Eu vou lá fora trazer tudo ao seu lugar
Mesmo que eu não saiba se você vai voltar
Só por isso
Porque por um instante só
Você me conhecia melhor que isso...

E eu não acreditei em você.

domingo, 2 de agosto de 2009

There'll always be a place for you, my (stolen) heart

Invitation only grand farewells, crash the best one of the best ones.

Fotografias estragadas. Eu estou vivendo em suas cartas. Respirando profundamente este envelope que cheira como você, e eu não posso existir sem essa essência.
Está me preenchendo com tudo que você significa para mim.
Você não me deixará afundar, embora eu esteja lhe implorando. (De todos os recados na minha secretária eletrônica nenhum é seu). Está cada vez mais difícil manter contanto, está cada vez mais difícil passar do "bom dia".
Não há necessidade de testar o meu coração com esse espaço inútil. Essas estradas continuaram eternamente, e sempre haverá um lugar para você no meu coração.
Ninguém jamais foi suficiente para preencher o vazio que você deixou.

— A verdade é que meu coração nunca bateu mais forte por você... Eu sinto muito.
— O que você quer dizer?
— Eu não tenho um coração.
— O que?!
— É... ele foi roubado...

You are the best one of the best ones. We all look like we feel.
Foi roubado há muito tempo, por alguém que o levou embora e não voltou mais.
Mas de vez em quando, quando eu penso que não preciso de mais ninguém, quando eu penso que tudo é muito melhor assim longe dele e daquele lugar, que tudo não passou de algo que permanecerá escondido em mais linhas do passado que eu prefiro reprimir...
Ele aparece.
E eu consigo sentir as batidas novamente.

Até ele ir.

You have stolen my heart.