segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Verb: Could Be

So... It could go like this:
I drive.
You drink.
We fuck.
They will never know.
He, she and it don't matter in that process.

domingo, 30 de outubro de 2011

Grown Up

Eu já estou bem crescidinha, olha só pra mim!
Eu já brinquei com bonecas, já me descobri por inteira, já sofri e fiz exatamente o que você fez... O pior é que você sabe de tudo isso que eu estou dizendo, não sabe?
Eu sou crescida e eu sei que eu tenho liberdade pra fazer o que eu quero na hora que eu quero e que nada pode interferir nisso, você não paga as minhas contas, você nem faz questão de conversar comigo direito... Honestamente, você prolonga as coisas comigo, sabendo que não tem mais volta.
Então, não me dê razão pra sentir vergonha só porque eu consegui crescer mais do que você e talvez, ao invés de me julgar, você possa crescer também.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Needy

Talvez seja a carência ou a lentidão com a qual as pessoas avançam numa relação hoje em dia, mas eu me sinto completamente estranha por estar esperando por coisas cujas chances de acontecerem são quase nulas. Geralmente neste estágio em que as pessoas ficam buzinando contínuamente no seu ouvido que você vai conseguir o que quer... Quando você não está concentrada em conseguir aquilo.
Como quando a gente perde uma coisa, procura loucamente por ela, não encontra e quando vai procurar outra coisa que perdeu, a gente acha a primeira. Eu passei minha vida inteira procurando por algo nos lugares errados, ou eu estava procurando a coisa errada nos lugares certos? De qualquer forma, eu sei que eu encontrei alguém que supre minhas necessidades...
Só eu achei isso incrivelmente impessoal?
Ok, por falta de melhor expressão, vai essa mesma. Ele me dá o que eu preciso pra ser potencialmente feliz e eu não sei se é a carência ou a lentidão com a qual as pessoas avançam numa relação hoje em dia, mas parece que eu vou ceder à algo que pode ser menos unilateral... Mas será melhor?

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Raiva.

Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva. Raiva.

Não importa quantas vezes eu diga isso, o sentimento não muda, eu estou com raiva, você está sentindo? Você tá me vendo partir você em mil pedaços só com os meus olhos? Eu não quero que você morra, nem que você fique gravemente ferido, eu quero que você perceba, nesse instante, que eu esgotei todas as coisas que eu tinha pra te dar.
Atenção. Amor. Carinho. Lições... Acabou tudo dentro de mim e eu só consigo sentir raiva. E eu sei que isso me consome muito mais do que consome você, mas eu não consigo encontrar qualquer outra coisa no meu baú de sentimentos pra alimentar do que isso, então você vai ter que se contentar com ao invés do meu amor, você ter minha raiva.
E se isso te agradar, se me irritar faz parte do seu plano sádico de ver que eu realmente me importo com você, parabéns, querido, todos estão te aplaudindo de pé por você ter conseguido essa proeza. Agora, curve-se diante da platéia, dê meia-volta e vá para sua casa vazia... Cheia da raiva que eu sinto por você.

Estático

Eu sou dinâmica e você é estático... Sabe o que isso diz? Que um dia a gente vai se colidir, querido, porque eu estou correndo loucamente na sua direção e você continua parado pra ver se aguenta o choque ou se vai desmoronar.
Isso não devia ser assim unilateral, ou essa é só mais uma divagação libriana sedenta por um senso de justiça? Você deveria vir correndo até mim com a mesma voracidade que eu quero consumir você, você deveria me querer pelo menos de um jeito um pouco mais ardente e menos parado, esperando que eu tome as decisões por você. Você me deixa na dúvida se eu deveria parar de vez e esperar que você venha até mim, me querendo como eu te quero agora.
Mas o bom de ser dinâmica, meu bem, é que se eu correr até você e você continuar parado... Eu vou passar retinho e nem vai doer.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Expectativa

Esperar ativamente é uma expectativa se a gente for parar pra analisar um pouco a palavra.
Ou eu analisei ela dessa forma e estou compartilhando isso com vocês.
O problema com expectativas é que você - ou pelo menos eu - espera ativamente para que uma coisa aconteça e, na realidade, ela nunca acontece, você se decepciona e perde a fé nas pessoas, até que uma das pessoas que não te decepcionou diz que te avisou que pessoas não prestavam e que você não deveria confiar nelas.
Ignorando a ironia da conclusão acima, vamos ao resto...
As pessoas costumam dizer, por sabedoria popular mesmo, que a gente deve esperar o inesperado pra que a gente não fique tão decepcionado assim, mas o conceito de esperar algo que a gente não sabe o que é, não só é abstrato, como é levemente pirado, porque a gente acha que qualquer pessoa que aparecer da próxima vez pode ser aquele sinal divino de que tudo vai dar certo e de que você estava certo de que as coisas não aconteciam por acaso... Aí você vai e constrói algumas expectativas sobre aquela pessoa - ou situação, não sei - só pela força do hábito e cai de novo da mesma armadilha.
Vê como tudo é um ciclo vicioso sem fim? Então, eu não digo: parem de esperar coisas... Porque além de ser humanamente impossível, com certeza a gente espera ativamente não esperar nada e falha sem nem mesmo começar. Eu só estou avisando: espere ativamente... mas se prepare pra tudo.

Perspectiva

Você ferra minha cabeça.
Parece que deixou uma semente estranha que vive crescendo dentro de mim, mas que nunca vai pertencer à mim e que meu corpo tenta desesperadamente arrancar, como uma erva daninha no mais lindo jardim. Você cultivou algo em mim que nem eu mesma sabia que existia, e o que eu pensei ser uma linda flor que desabrocha, mesmo nessa primavera fria, tornou-se uma planta carnívora que me devora de dentro pra fora.
Eu digo que eu vou parar de cultivar, meu corpo vai parar de te alimentar e você vai morrer, mas eu não sei se quem vai sofrer mais serei eu ou você. Uma metade de mim ainda acredita que um dia você vai parar de cultivar o que me faz tão mal; a outra metade quer te arrancar pela raiz, seja com um facão ou com as próprias mãos. Doeria em você, ver a única marca que você deixou em mim ser finalmente - e ultimamente - destruída, como se a impressão que você fez fosse como qualquer uma das outras, como se você fosse qualquer um dos outros.
Eu não quero magoar seus sentimentos.
Mentira... Quero sim. Parte de mim quer ver você comer o pão que o diabo amassou só pra no fim perceber que você não passa de um ignorante que perdeu a melhor oportunidade da vida; parte de mim quer te ter por perto twenty four seven.
Merda.
Eu não quero deixar você ir...

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Hurt

Eu quero que você me ame.
Pronto, falei.
Eu quero que você seja meu melhor amigo, mas não seja dependente de mim, quero que a gente se ame na medida certa. Quero te deixar doido doido doido e ver você fazer o mesmo comigo, um tipo de equilíbrio inesperado, sabe?
Eu quero que você não queira conter suas mãos, que você me toque a hora e onde você quiser, eu não vou me envergonhar... Juro.
Outra coisa? Eu quero que você pare de mentir.
Porque quando você mente, você me afasta alguns passos de você, parece que eu não posso chegar muito perto e você quer me afastar, como se fosse uma dança.
Céus, até nisso a gente é sincronizado, à medida que você se afasta eu me aproximo, só pra que nosso perfeito equilibrio não seja perturbado, porque quando é, amor, eu me parto, eu parto de você e dói de uma maneira inimaginável.
Amar é cuidar e não mentir; e se mentir, é só pra não me partir.
Eu só quero que você me ame.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

E Não Apareça

Eu queria que você crescesse, mas não que você mudasse.
Seria pedir demais que você me levasse à sério ao invés de brincar comigo como se eu fosse mais uma de suas bonecas? Era demais pedir que você desfizesse as maria-chiquinhas e brincasse como uma adulta comigo ao invés de ficar se atendo à todas as coisas que você não poderia ter, como se você fosse uma criança mimada numa loja de doces que quer tudo, mas os pais não deixam levar? Acho que era.
Então eu me cansei e pedi que você crescesse, que você desse um passo pra frente comigo ao invés de dois passos para trás, mas você queria que eu te seguisse nas suas brincadeiras de criança, dizendo que o regresso que fazíamos só nos impulsionava pra frente e sabe no que isso resultou?
Uma mulher velha de coração e de alma que não tem nada a ver com a pessoa por quem eu me apaixonei, em primeiro lugar, uma mulher que envelheceu rápido porque não soube crescer e pôr os pés no chão ao invés de viver na nuvem e na bolha que projetou pra si. Se eu te abandonei, foi apenas porque você não conseguiu me acompanhar e eu estava cansado de andar de marcha ré.
Mas a quem eu estou enganando? Essa velha ainda tem um brilho nos olhos que eu reconheço, ela ainda tem os lábios cheios e convidativos que me fazem querer tomá-la pra mim como se fôssemos animais e nos comportássemos como se não houvessem regras, apenas instinto.
Mas o fato de você querer estar perto de mim denota algum tipo de amadurecimento ou só que você está sendo jovem e impulsiva de novo, achando que palavras novas e cheias de paixão podem me fazer querer correr atrás?
Cresça direito, e não apareça até você se convencer de que seu coração e alma estão velhos o suficiente para aguentar alguém como eu.

Retribuo a Sinceridade,
R.

Cresça

Eu cresci, tá vendo?
Olhe bem pro meu rosto e veja as minhas rugas de preocupação, de chateação e de raiva, olha pras bolsas embaixo dos meus olhos e veja quantos dias em claro eu passei só ponderando sobre esse momento agora. Se permita, nem que por um segundo, ver que o que você desejou sua vida inteira está bem na sua frente, mas não está do jeito que você queria. Pára pra pensar no tanto que suas palavras enrugaram meu coração e o tornou alguns centímetros menor.
Cuidado com o que deseja, você deve estar pensando. Porque cá estou eu, mudada em todos os aspectos que você desejava, minha vivacidade foi embora, porque viver estava se tornando cada vez mais insuportável sem você pra me apoiar; minhas expectativas foram todas quebradas porque minha vida, e consequentemente minhas expectativas, estavam todas baseadas em você e agora o que sobrou?
Uma mulher velha de coração, velha de alma, cansada de esperar por quem só queria mudar exatamente todo o aspecto que você amava mais em mim. É essa agora sua tática de aversão? Drenar todas as coisas que me façam quem eu sou só pra que você consiga parar de me amar?
Ou provar que eu faria tudo por você?
Agora resta uma mulher velha de coração, provando exatamente o que você queria. Satisfeito?
Agora resta uma mulher velha de alma, pedindo que você a permita ser jovem de novo para que juntos, conquistem mais do que o mundo... Conquistem um ao outro.

Sinceramente,
B.

Kisses and Hugs

Tudo começou com um beijo... Mas não foi um beijo qualquer, foi um desses beijos hollywoodianos que a gente espera a vida inteira pra acontecer e quando acontece, é melhor que as expectativas. Você sabia exatamente como push all my buttons e eu fui pega desprevenida, sem saber se corria ou se te amava só mais um pouco.
Você parecia que conversava comigo enquanto olhava bem nos meus olhos, dizia todos os seus segredos e suas falhas enquanto eu estava cada vez mais ávida pelo seu toque, eu não te escutei, eu preferi me render àqueles sentimentos tão latentes que estavam tomando conta de mim... Ou talvez eu tenha ouvido seus segredos, mas não prestei atenção.
O fato é que você olhou nos meus olhos e nunca para qualquer outro lugar, e através deles você me disse basicamente que você era o meu próprio feitiço ricocheteando contra mim, batendo tão forte que eu não sabia se era seu toque intenso ou se era outra coisa se passando dentro da minha cabeça. Eu quis me entregar, me render à todos os seus caprichos sem nem ao menos pensar nas consequencias. Eu queria você e todo a satisfação que você me pudesse dar.
Na verdade verdadeira, eu queria também só mais uma coisinha: uma promessa de que você seria o elemento surpresa, aquela pessoa diferente pela qual eu esperei por toda a minha vida. Mas você olhou nos meus olhos e me disse que desde o início, você me queria apenas pra saciar uma vontade, você olhou nos meus olhos, me contou seu segredo - que eu não quis entender naquela hora - e depois me abraçou, me dando adeus.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mental Control

Eu tentei controlar minha mente.
Disse repetidas vezes pra mim mesma que te esqueci e que de ti não queria mais nada, nem mesmo amizade. Por que de que me valeria a amizade se sua ferida foi recentemente fechada e eu potencialmente poderia querer mais?
Então eu nem desejava que você reconhecesse minha presença, tampouco quisesse estabelecer algum tipo de contato amigo. Eu treinei minha mente para que não haja nenhum tipo de resposta física sobre você, nada de corações se acelerando ao mesmo passo que se partem, isso doía demais e a partir de agora eu vou dar um sorrisinho bem desdenhoso pra você saber que eu não quero mais você.
Isso vai doer em você como doía em mim. Mas não me entenda mal, eu não acredito em vingança... Só em justiça.
Até que você passa e todo meu treinamento mental vai pro espaço, mas eu tento manter meu carão e dizer que eu sou forte, então faço um esforço fora do comum para pôr um pé na frente do outro, para esquentar minhas mãos e para domar meu coração estúpido que troveja dentro de mim. Eu digo que vou te matar por dentro, mas a cada dia que passa você está mais indiferente e eu mais apaixonada.
Loucura, não?

domingo, 9 de outubro de 2011

Hoje

Eu queria tanto isso por nós e nós agora parece o plural de algo todo enrolado, sem solução. 
Não queria ter que desatar, mas no momento está tudo tão claro.
Eu tenho que me livrar de tudo o que me faz mal, de tudo e todos que não me dedicam o mesmo tempo que eu dedico, tudo que não age se eu não impulsionar, eu tenho que abrir mão de tudo que não se importa comigo...
Hoje, e daqui em diante, vou gostar não do que me interessa, mas sim, do que me acha interessante.

Querido, meu amor...

Como o Amanhecer precisa do Sol, como a Noite precisa da Lua... Como tudo é tão diferente e se complementa, assim somos eu e você. Você me suspende, me lança ao mar de estrelas, me tira de órbita, ninguém me entende, me eleva, me enaltece e me cobre de sensações amorosas e acolhedoras como você.

Ai, querido...

Esse é o feitio da felicidade?

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Pre Tend

Eu não pretendo ficar apaixonada por você pra sempre para que num belo dia, no futuro, você diga pra mim que só foi me ver agora. Eu não sou invisível, tanto que você me vê todo dia. É incrível como você tem a tendência a ter sua atenção seletiva se focando em pessoas que não te fariam bem quando todos os meus poros exalam meu desejo por você.
Eu quero, não no futuro, agora, que você me abrace forte e diga que eu - pelo menos por enquanto - sou a única mulher com a qual você se vê, pretendo te beijar e te tratar bem, mas sempre respeitando quem eu sou e abraçando o fato que eu não sou aquela pessoa que vai te falar as coisas mais bonitas do universo e vai constantemente dizer que te ama, mas eu juro escrever lindos textos de amor e realmente despejar meu coração na sua alma para que você entenda que a minha falha oral é compensada pela minha escrita. Eu pretendo te mostrar todo o dia que a minha habilidade de te gostar e te cuidar é maior do que eu admito ser.
O problema é que a gente tinha que seguir uma linha reta, mas a gente tende a sempre complicar nossos caminhos, você finge que não me olha e olha pra ela e eu finjo que não me fere e fico calada. A gente tem a tendência de não dizer o que a gente sente quando existe uma deixa e de fingir que o amor não é para nós.
Pois adivinhe só... Eu estou olhando pra você agora e meus olhos estão refletindo completamente a mágoa que existe em mim quando você me torna invisível e torna quem não te ama visível até demais. Eu estou olhando pra você tão profundamente que eu consigo sentir você olhando aos poucos pra mim...
Será?

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Under "Toads" Doses

Entre doses e doses infinitas de paixão, você me olhou bem nos olhos e me disse que se lembraria do meu aniversário... Que me cobriria de presentes e carícias, que eu nunca esqueceria.
Entres doses e doses infinitas de álcool, você me prometeu o inimaginável, qualquer coisa que viesse à cabeça só pra ver um sorriso no meu rosto e eu pensei que talvez isso fosse algo mais forte do que eu já tinha sentido na vida, não havia nenhum abismo entre nós, nada que nos separasse além de nossas roupas e nossa coragem.
Ah, querido, dentre essas doses, você reparou que nunca houve amor? Dentre essas doses, você sabia que eu me embriaguei de ilusões e impressões que você potencialmente poderia ser alguém digno de mim e de toda minha bagagem emocional?
Sabia que se eu trocasse quaisquer tipos de palavras com você, o encanto acabaria. Estamos sóbrios enfrentando a vida com overdoses de realidade que cismam em nos bombardear, nos destruir e destruir o que temos aos poucos... Talvez por isso agora o encanto todo se passou e eu vi que você é só mais um desses sapos aproveitadores que não gostam realmente da gente, mas gostam de como a gente pode suprir a necessidade.
Depois de uma dose de beijo de príncipe, o abismo entre nós foi crescendo e as promessas já estavam estilhaçadas no fundo dele, depois de um beijo do príncipe, ele virou sapo.

sábado, 1 de outubro de 2011

Fotamecus

Eu preciso de você. Cansei de continuar aqui, no mesmo lugar, emperrada, como uma porta empenada. Só quero sair daqui, um tempo só pra mim, pra eu conhecer as Maldivas e as benditas moças que cruzarem meu caminho. Quero um tempo pra aprender a tocar piano e adormecer na grama em algum lugar tranquilo. Quero tempo pra viver só com meus pensamentos, pra meditar no Tibet. Quero escrever cartas e sentir saudades de quem sentir saudades. Quero viver pra descobrir quem eu sou...
Então me dê tempo, tempo pra que eu junte o necessário pra parar de ser boazinha e passar a ser excepcional.