domingo, 28 de fevereiro de 2010

Gift

Eu só quero você de aniversário este ano.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Só dói quando eu respiro

Olha pra mim, ssh, não chora. Vem aqui, me olha. Agora presta atenção: eu sei que ele não é bom o suficiente, mas não é por isso que EU não vou ser, entende? Você é maravilhoso, esplêndido, perfeito... mas você sabe que eu tô de passagem. Um dia eu venho, eu venho de verdade. Ei, não! Continua olhando pra mim, por favor, é tudo que a gente pode fazer. Você vai me receber? Como assim quando?! Quando eu vier de verdade, oras. Vai? Chega mais perto de mim, deixa eu sentir teu cheiro; fazia muito tempo que eu não sentia. Você cheira à felicidade [...] Não, bobo, não é nenhuma analogia. Claro que cheira! É felicidade sim, por que não? Algumas vezes eu fechava os olhos e tentava lembrar do seu cheiro. Chorei por causa disso. Não sentir cheiro de felicidade ou não se lembrar dele, dói. Não! Pára com isso! Não foi VOCÊ que me fez chorar. Você só me fez bem até hoje. Algumas coisas só de pensar deixam a gente feliz. É. Você é minha lembrança feliz. Não. Meu Deus, não repita mais isso! Você não é passado, você é meu presente, tá aqui comigo agora, não tá? Eu sei que não é como a gente quer: você é meu presente não-presente. Mas você é um presente, sim, um dos grandes. Mas eu vou te desembrulhar no tempo certo, você consegue entender isso?! Eu sei, também não entendo muito bem... Mas você consegue aceitar isso por enquanto? Viu! Você é lindo demais. Sei, eu sei sim. Eu acredito, amor, você vai estar aqui quando eu vier. E eu te agradeço, e confio e te amo muito. Não sabe se até lá ainda vai estar cheirando à felicidade?! Hahahahaha. Não é por causa do perfume...















você cheiraria à felicidade mesmo se eu estivesse com o nariz tampado.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Pphántasma

"Amor...".
(breve silêncio)
"Hm", ele respondeu finalmente, cabisbaixo, com o olhar distraído.
"Você conhece a definição para fantasma?".
Então ela prosseguiu antes que ele se pronunciasse.
"Visão apavorante que é produto da fantasia... Suposta aparição de pessoa morta são algumas delas... E a palavra deriva do grego, sabia?".
"O que você quer me dizer com isso?", subitamente, ele encarou-a nos olhos.
Ela parou e o observou.
Como numa sequência já programada, ela fechou o dicionário que estava em suas mãos e o colocou sobre a mesa ao lado. Aproximou-se dele, ao ponto de segurar seu rosto em suas mãos, e disse-lhe:
"Só que eu te amo.", e beijou-o ternamente nos lábios, com os olhos entreabertos.

E, mais uma vez, ela os iludiu.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Fairy Tables

Sentada na mesa eu imaginei os olhos dele tão ternos encontrando os meus naquela noite fria.
- Ele pediu pra te avisar que não virá, tá ocupado hoje.
- Ah sim, eu imaginei.
- Mas me pediu que eu te fizesse companhia, você sabe muito bem que ele não te deixaria ficar sozinha, você sabe como o Ítalo é.
- É, eu sei. Mas acho que ele não quis vir por que brigamos ontem, sei lá, Rafa, ele anda estranho ultimamente, distante. E ele sabe que eu vou ter que sair do país por uns tempos e nem pareceu incomodado com isso.
- O Ítalo é meio cabeça-dura mesmo, você sabe disso. Mas ele te ama, não sei como ele vai sobreviver longe de você.
- Você diz isso por que ele é seu primo e você sempre vai estar do lado dele.
- Não estou do lado de ninguém... Juro, Marina.
- Não me entenda mal, eu o amo, mas algumas vezes ele fica frio e distante e eu penso que tudo o que eu procuro dar a ele é conforto, carinho e não mereço isso. E a verdade é que eu o amo tanto e é por isso que ele me magoa mais do que todo mundo.
- É, é complicado, mas não é a intenção dele. Ele tem um coração bom e enorme, sabe?
- Eu sei disso. Só que... Sei lá.
- O quê?
- Em algumas coisas ele podia ser mais parecido contigo.
Ele corou.
- Comigo? Em que aspectos?
- Ele podia ser mais contido, mais calmo. Não que eu não goste da espontaneidade dele, mas é só que algumas vezes ele exagera. E você é sutil, me ofereceu uma flor como se fosse um gesto natural, sei lá... Ele me deu uma flor uma única vez e mais parecia um pedido de desculpas do que assim, um prêmio, uma mostra de afeição. Ele é uma pessoa muito diferente, muito mesmo, não me entenda mal, eu o amo.
- É. Eu sei que sim.
- E eu juro que se não o amasse, eu poderia me apaixonar por você.
Ele corou mais ainda e ficou ali petrificado sem esboçar reação alguma.
Acordei do meu devaneio e olhei o relógio. 22:00 e nada dele aparecer. Até eu fitar o homem sério e elegante caminhando na minha direção. Sentada na mesa eu temi os olhos dele tão ternos encontrando os meus naquela noite fria, justo como eu havia imaginado.
- Ele pediu pra te avisar que não virá, tá ocupado hoje.
- Ah sim, eu imaginei... - e sorri, calando.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

The Fear You Won't Fall

Comecei um romance com você.
Só isso, comecei e fiquei observando o que ele se tornaria.
Será que no meio do caminho eu me envolvi?!
Será que no meio do caminho voce se envolveu?!

Eu não queria me apaixonar, sério.
Eu não pretendo me apaixonar por você, eu não sei exatamente o que você sente.
Se é que você sente algo, exceto por aquele desejo de ter algo que você quer muito.
Eu queria que você soubese que desde que você foi embora é como se algo estivesse faltando.
E não quero dizer só dos beijos ou dos encontros secretos.
Mas sim as risadas e os momentos em que a gente só falava besteira pra passar o tempo.

Não sei...
Talvez parte da beleza de me apaixonar por você é o medo que você não se apaixone...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Surprise. The words were said with fury...

I miss you always.
Even when we don't talk.
Even when you think I don't give a shit,
never did. Even when I'm the asshole you
always wanted me to be, the asshole I told
you I would be. I miss you then.
I miss you all the time.
Every day, you stuck in my mind like
glue, or a scar, or a wound you like to
show off - your most prized possession.
I miss you now. I miss you always.
But how could you know that?

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Between heaven and hell

Talvez nunca mais o veja, nunca mais ouça falar dele.
Mas de uma coisa eu tenho certeza, ele deixou uma marca irremediável em mim.
Aprendi com ele coisas que levarei para o resto da minha vida.
De coisas maravilhosas a coisas aterrorizantes.
Mas quando me deparar com as mesmas situações, me lembrarei dos olhos
inocentes e crueis.
A verdade é que se ama em um dia,
se odeia no seguinte
e se ignora no outro.
Aproveitando-me de hoje ser um dia de amar...
Talvez eu não tenha sido o amor da vida dele.
Mas eu fui o amor de algum tempo.
E eu me orgulho de saber que um dia meu lugar pertenceu ao coração dele.