domingo, 31 de janeiro de 2010

My Love

Nada no mundo pode explicar esse amor.
Arrebatador. Hipnotizante.
Nasceu do nada, e plantou-se no meu coração para nunca mais sair.
Eu já lhe disse, amor: você pode me decepcionar o tanto que você quiser e eu sempre estarei ao seu lado.
Não consigo contar as vezes que eu já chorei por você. Não consigo contar tantas brigas que eu me meti apenas pra te defender.
Você é meu amor e eu não vou abrir mão disso.
E me dá arrepios e tremores.

Então para um pouco pra pensar, eu sei que você me ama também.
Por que não para de se esconder e mostra o seu potencial, o quanto você pode me amar também.

De uma coisa eu tenho certeza, meu coração tem três cores, essas cores são as suas, as cores que te olho.
E não importa o quanto eu tente...

Vai ser sempre você.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Vocab Próprio

. diz:
hsuhsuas
obss:
adorei seu nick =P

Nobre Criatura diz:
ohhh, orbigada
sim, eu queria digiar "orbigada" mesmo
eu sou neologista, sabe
mesma coisa pro "digiar"

. diz:
HSUAHSUAHSUAHSA
claro claro
todos somos
pessoas com nós não erram
apenas fazem uso de um vocabulario próprio
^^

domingo, 24 de janeiro de 2010

Ewige Wiederkunft

E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!". Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderías: "Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: "Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?" pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou, então, como terias de ficar de bem contigo e mesmo com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?
A Gaia Ciência, de Friedrich Nietzsche.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Desabafo

Por que às vezes o simples fato de escrever, de transpor o que você pensa ou está pensando parece tão... complicado?

Talvez nem seja tudo isso. Talvez o problema esteja no perfeccionismo, naquilo de querer fazer tudo certo, sem deslizar sobre erro algum. Mais, deve ser mais do que isso. Definitivamente. A maior dificuldade é no traduzir do pensamento. Como repassar a sensação por meio de palavras?

Palavras, meras palavras.

Analisando ligeiramente, acredito encarar a palavra de maneira maniqueísta. E como!
Além do mais, pergunto-me como algo abstrato pode soar tão sólido e infiltrar teu ser; a palavra aparenta-me esplêndido ao mesmo tempo em que mostra-se insuficiente.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Pause

When being social I enjoy, drinking, house parties,
intelligent conversations, not loud clubs, art,
taking photographs, getting really drunk,
sarcasm, more drinking.
This feels stupid and weak but I am so fucking
sick of writing words on a page. I want real
contact. I want something to really happen.
I don't want to be loved and admired through a
computer screen. I want your mouth on mine.

domingo, 17 de janeiro de 2010

You're stuck in my head like a song

I was blue for so long,
I was wrong and damaged.
But now...
I have new eyes, everything seems colorful and bright.
I have new ears, all those crappy romantic shit and those love songs make (some) sense.
I have new skin, since it have been touched by the sun and by somebody's hands i don't look sick any longer.
I have new mouth, it feels so much soft.
I have a whole new body and new head.
I'm a little bit scared, but don't worry. I'll find out some way to make it right.
I always do.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Close to you, don't close your eyes

Why do birds suddenly appear every time you are near?
Just like me they long to be close to you.
Why do stars fall down from the sky every time you walk by?
Just like me they long to be close to you...
On the day that you were born the angels got together, they decided to create a dream come true. So they sprinkled moon dust in your hair and put the starlight in your eyes so green...
That is why all the girls in town follow you all around, just like me they long to be
close to you.


And for the second time in my life I could see those eyes looking through me so hard.
But this time it was different, it was a different look, and now I have this one everyday...
Everyday till now.
Where we got on our own ways.

I'll keep those open eyes in my mind till the day I'll see them again.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Superestimado.

Eu o vi lá sorrindo.
Vi. Ele e seus gestos gentis.
Ele me fez parar de respirar, é.
Mas parar de respirar é superestimado.
Tudo o que eu preciso é de um pouco de ar.
Tudo o que eu preciso é fechar os olhos e descansar.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Bloqueio Criativo

- E se dessa vez eu não escrevesse sobre amor?
Ele gargalhou como se eu tivesse contado a maior piada do mundo
- Eu falo sério – protestei – Cansei das minhas histórias clichês sobre meninas que não acreditam no amor e o encontram depois.
- Cansou de falar sobre você?
- Não, eu nunca encontrei nada disso.
- Meninas que não acreditam no amor? Encontram depois nos braços do cara mais impossível do mundo? – ele riu novamente – Certamente parece com você.
- Eu não encontrei isso ainda.
- Mas homens impossíveis são exatamente o seu tipo.
- Mas eu ainda não encontrei isso – suspirei – se não escrever algo diferente vou entrar em parafuso aqui.
- Então não escreva sobre amor.
- Não escreverei.
- Escreva sobre heróis e ficção.
- Sim... E sobre pessoas.
- Aí não...
- Por que?
- Pessoas precisam de amor.
- A minha pessoa não vai precisar de amor.
Ele gargalhou novamente e disse:
- Você não consegue não escrever sobre amor.
-Por que não?
- Porque você aconselha sobre amor, você estuda, analisa cada ângulo desse sentimento. – ele fez uma pausa – Você é amor.
Eu suspirei, vencida:
- Você sabe que se não fosse gay, seria minha alma-gêmea, não é?
- Igualmente, amor. – ele riu
- Não gostei do trocadilho... – sorri

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Cheers to a new beggining

A whole year passed. Another is beggining and I'm not sure of what exactly I was suppose to feel...
All this lights and all this happiness and I'm kranky, I feel empty, but I understand why everyone is laughing. It's always like this but it never felt this way, it never was this good to be in such a pain.
Happy new year and all those new things should be scary and not funny, but I have an unique sense of humor...
The truth must be told: I've always hated the end of the year because it makes me kind of depressed and I start to think that I haven't done at least half of everything I desire to do, to achieve...
I feel ike a failure... I'm a failure, but I'm not.
See? Who could possibly understand someone like me? I'm crazy.
I wish I was a little bit more normal, I wish I could have you here by my side, that would make my day complete.
Because then, looking at you, I would forget all of my mistakes, I would simply love you...
So don't.
Don't ask me to be happy and excited because I'm just not that kind.
Don't look at me like I should pretend I'm having a good time.
And please don't, don't ever leave me...
Because for the first time even the pain is not that painfull...
Your love heal me.
Your love saved me.
And for the first time I have something I am really glad to have.
So cheers, my love...
Cheers to a new beggining.