quinta-feira, 20 de outubro de 2011

E Não Apareça

Eu queria que você crescesse, mas não que você mudasse.
Seria pedir demais que você me levasse à sério ao invés de brincar comigo como se eu fosse mais uma de suas bonecas? Era demais pedir que você desfizesse as maria-chiquinhas e brincasse como uma adulta comigo ao invés de ficar se atendo à todas as coisas que você não poderia ter, como se você fosse uma criança mimada numa loja de doces que quer tudo, mas os pais não deixam levar? Acho que era.
Então eu me cansei e pedi que você crescesse, que você desse um passo pra frente comigo ao invés de dois passos para trás, mas você queria que eu te seguisse nas suas brincadeiras de criança, dizendo que o regresso que fazíamos só nos impulsionava pra frente e sabe no que isso resultou?
Uma mulher velha de coração e de alma que não tem nada a ver com a pessoa por quem eu me apaixonei, em primeiro lugar, uma mulher que envelheceu rápido porque não soube crescer e pôr os pés no chão ao invés de viver na nuvem e na bolha que projetou pra si. Se eu te abandonei, foi apenas porque você não conseguiu me acompanhar e eu estava cansado de andar de marcha ré.
Mas a quem eu estou enganando? Essa velha ainda tem um brilho nos olhos que eu reconheço, ela ainda tem os lábios cheios e convidativos que me fazem querer tomá-la pra mim como se fôssemos animais e nos comportássemos como se não houvessem regras, apenas instinto.
Mas o fato de você querer estar perto de mim denota algum tipo de amadurecimento ou só que você está sendo jovem e impulsiva de novo, achando que palavras novas e cheias de paixão podem me fazer querer correr atrás?
Cresça direito, e não apareça até você se convencer de que seu coração e alma estão velhos o suficiente para aguentar alguém como eu.

Retribuo a Sinceridade,
R.

Um comentário:

  1. O tempo passa mais rápido do que percebemos, e de repente já não somos as crianças de outrora, e também não somos quem pensávamos que seríamos... Mas somos quem somos, e deve-se respeitar isso.

    ResponderExcluir