quinta-feira, 3 de novembro de 2011

A Sombra - Ação

Não se assombre, meu doce veneno, se me deleito com tua acidez.
Me devora de dentro pra fora? Vai...
Queima tudo dentro de mim, me faz sentir tua ira e teu amor, me faz perder o foco e vem me invadir feroz e sereno como o mar pra eu me afogar em teus beijos...
E aí eu viro brasa, eu morro aos poucos pra me libertar dessa casca e poder deitar ao seu lado toda noite.
Do que é feito a alma se não de paixões e soluços?
Do que é feita a mente se não de objetivos e tropeços, de imaginação e remorsos?
Ai ai, se tudo fosse simples essa noite o telefone tocaria, seria você dizendo "sabe quem é?" e eu responderia com um sorriso nos lábios: "eu nunca me esqueci". Você, como minha sombra, nunca saiu de mim.

Um comentário:

  1. NOOOOSSSA, XU.
    Amei muito muito muito muito muito muito muito muito muito mesmo. *-*

    ResponderExcluir