segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Então, o que é que nós temos?

Pra mim o amor tem que ter leveza, paz, um estado de espírito bom e um senso de humor similar. Pra mim o amor tem que ser criado dia-a-dia. Amor não tem que ser espera, tem que ser construir os caminhos aos poucos. Amor cheio de espera cansa. Amor é trabalho, amor é esforço, amor é cercar-se de amigos, amor não enche barriga mas é barriga cheia de vida. Amor é perdoar, amor é rir das brigas, amor é relevar, amor é saídas e músicas e jantar a luz de velas. Amor é deitar na grama e não se importar com o resto. Amor é escrever, assim, do nada. Amor é ter o mesmo plano pro futuro, é ser diferente, mas ter a mesma visão de mundo e do que se quer alcançar. Amor é a dor de parir, amor é mandar pra puta que pariu tudo que não acrescenta. Amor é aquela vontade de beijar com os olhos. Amor é dormir do lado, ouvir o ronco e sorrir. É agradecer. É sentir o cheiro. É lembrar do gosto. É viajar. É assumir responsabilidade. Amar não é pra você, é pelo outro. É assegurar a felicidade de quem se ama. Amar é zelar, amar é ser paciente. Amar é crescer, amar é mudar. Amor não muda, amor transforma, amor é palavra e gesto. Amor não é só ter um ao outro. Então, o que é que nós temos?

Forgive

Eu queria te dar de Natal um lindo presente que eu sei que você ia gostar muito. Pensei em livros, cadernos de anotação ou coisas de Freud, porque sabe lá Deus o porquê de você gostar tanto desse cara, mas depois de quebrar minha cabeça, - e meu cofre - eu percebi que eu deveria dar a você um bem muito mais precioso: meu perdão.
Você me fez acreditar que tava tudo bem e que nada, absolutamente nada, poderia dar errado e mesmo a gente tendo um prazo de validade, ou seja, mesmo eu sabendo que você ia embora e que isso ia acabar, você conseguiu desviar do plano inicial e cair fora bem antes. Eu te perdoo por jogar comigo o mais vil dos jogos, sabendo como eu era ruim nesse tipo de coisa, sabendo como eu precisaria de várias e várias sessões de terapia pra superar os meus problemas do passado que me quebraram lentamente. Você me alimentou de esperanças, de felicidade e de "amor", esperou até que eu me envolvesse pra poder repentinamente cortar laços comigo sem que eu tivesse a chance mesmo de lutar, me defender ou só de gritar com você.
Que porra de jogo é esse, cara? Você disse que não ia fazer isso, que comigo era diferente e eu não precisava me preocupar com isso, porque os outros caras faziam jogos... Não você. 
Tu criou outro nível de mágoa, uma que queima, arde e demora pra caramba pra cicatrizar só pra me lembrar todos os dias que você esteve aqui.
Você esteve aqui e sumiu.
A culpa não é só sua. Eu que fui burra e caí na sua, quando eu devia ter ouvido meu instinto falando que era uma cilada de novo, que eu ia me foder de novo e que não ia ser só no bom sentido da coisa.
Eu odiei você porque você me magoou.
Mas no espírito do Natal, eu vou largar isso de mão, vou enxugar umas lágrimas bestas da cara e vou te dar um enorme presente.
Toma aqui meu perdão...
E não volta mais.

domingo, 29 de dezembro de 2013

Sobre a dureza das coisas

O que é pra durar, dura.
A vida é pra durar, dura.
A rapa é pra durar, dura.
E a água mole em pedra dura...
Bateu, furou.
Tirou o ar do peito,
Inundou,
De despeito,
Naufragou o respeito.
E o amor,
Que era pra durar,
Foi só efeito.
Rarefeito.
E pouco a pouco desfeito.
No meu imaginário,
Não era pra ser duro assim,
Era só
Pra durar.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Fragrante flagrante

O seu cheiro me tomou de assalto no meio do dia. O espaço ermo estava carregado agora das lembranças, nítidas e ainda tão distantes, das coisas que eu e você vivemos. Um fragrante flagrante. Eu não penso mais tanto em você como eu costumava, mas quando eu penso ainda dói um pouco, uma dor obtusa mas branda, que me preenche toda e se esvai. Ainda sinto sim falta do teu abraço, da tua forma de me olhar, ainda que tão distante da forma como eu desejava ser olhada. E senti falta do seu sorriso mesmerizante e da sua voz que completava perfeitamente o tom da minha nos dias de música. Senti sua falta e passou.
Busquei eliminar as portas, as janelas, criei muros, uma vida longe de você e uma persona longe de você.
Por que o seu cheiro me tomou de assalto e me trouxe á tona uma verdade impiedosa: eu nunca estarei pronta pra te ver de novo.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Aquele Abraço

O seu abraço apertado, aquele cheio de paixão e que me faz pensar que todo mundo foi embora e só tem eu e você.
Saudades dele.