terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Como eu amo esse menininho! *-*

[01:22:29] O Menininho diz:
Era uma vez um garoto faminto querendo apenas um copo de leite com seu querido ovomaltine bem quentinho. Até que ele decidiu entrar nesta aventura. Indo para a montanha dos desejos Kirgelh ele fez o seguinte pedido "Dê-me leite gelado para que eu possa esquentá-lo!" e foi como aconteceu. Ele chegou no outro lado desta montanha e fez outro pedido "Dê-me a especiaria mais cobiçada do mundo mais conhecida como Eggmoutline!” e foi como aconteceu. No caminho de sua jornada apareceu um bruxo com patas cheias de pequenos pelos e algumas garras, com um escudo nas costas em formato de casca dura como a unha e sua maldição ocular que lhe trocou os olhos por antenas. Quando este garoto com os desejos que ele tinha feito observou bem este bruxo ele correu logo a fim de esquentar o leite para que possa ser utilizada a especiaria mágica. Depois de ter conquistado o que queria voltou para o bruxo que escondia-se em baixo de uma colina. Lá o garoto fez seu último pedido “Dê-me a poção letal para que este bruxo possa arder nas brasas carbonizadas que queima em uma fogueira!” e foi como aconteceu, o menino utilizou a poção Fihbsn na cara do bruxo que começou a correr feito louco e acabou parado no canto da colina. Assim como o garoto não mais faminto sabia que aquele bruxo já estava com o destino marcado pela poção, fechou as portas para a montanha e voltou para seu campo de descanso.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Nômade

Você diz que seu coração está onde está a sua casa, mas assim que você se acomoda em um coração, você muda, querendo algo novo, mais excitante. Você passa de casa em casa, dando seu amor, seu carinho e realmente se despejando em cada canto daquele lugar, impregnando o lugar com seu cheiro, suas coisas. Daí você deixa tudo pra trás e vai para o próximo coração, a próxima casa pra você se alojar, onde você é uma pessoa completamente diferente.
E no fim das contas, todas as casas, todas as vizinhas estarão de coração partido e sem reconhecer uma pessoa que encheu tanto a vida delas. Todas vão te dizer tchau e vão te seguir na estrada até que você ligue o seu modo repelente e afaste todas elas e então, você, nômade, vai ficar sozinho.
Sem saber o que é amor, sem saber como elas podiam te amar do jeito que você precisa.
Você vai ficar sozinho, sem saber qual das personalidades suas é a verdadeira e qual delas é a real máscara, então eu te pergunto, nômade: quem diabos é você?

Our Passion

A gente não tem amor... ainda.
Mas a gente tem paixão e isso é inegável, nossas faíscas conseguem acender o mais mínimo dos desejos internos nossos, nos faz querer agarrar todo esse desejo, toda essa luxúria que nos circunda. Nossa faísca acende fogos e a chama ascende e ascende e ascende até que a gente fique exausta de tanta paixão.
A gente não precisa de palavras chiques ou promessas que não serão cumpridas. Não... Nossa paixão é monossilábica, rodeada de gemidos e de toques gentis. 
Preciso de você amanhã pra eu conseguir sentir que na vida existe algo além da rotina, algo além do que a gente deve ou não fazer, preciso de você pra me mostrar quão excitante é uma dança de tango.
Preciso das nossas conversas com apenas uma palavra dita por cada um de nós, escutar sua voz pra me tranquilizar num dia muito estressante, preciso só da garantia de que de noite você vai esquentar minha cama.
Porque um dia isso vai virar amor, mas não ainda.

Love Leaf

As folhas do outono estão caindo na frente da minha janela.
Como elas, algo também está me matando e eu caí de joelhos, implorando para que eu tivesse um pouco mais de seiva doce, um pouco mais de tempo, um pouco mais de qualquer coisa que me prenda aos seus galhos tão fortemente que eu não tenha vontade de cair de amores como caio agora de desilusão.
Eu queria algo mais, sabe? Você me dava tudo que eu precisava pra poder continuar vivendo, continuar te amando - e te servindo -, mas depois de um tempo eu me vi presa num fogo cruzado onde eu tive que escolher entre me manter sozinha e me manter sem você.
Eu queria só um pouco mais de amor e cuidado, era pedir muito de uma pessoa que esteve do meu lado durante tanto tempo?
Eu sei que você falou que não era bom pra mim, que eu merecia alguém que me sustentasse de um jeito o qual você não tinha capacidade, aí eu descobri que você não me dava o que eu queria, porque nem amor mais restava dentro de ti por mim. Então entre me prender à você e me libertar sozinha, eu preferi ficar aqui...
C
   A
      I
        N
           D
              O
              na desilusão.    

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sobre sonho e samba


Sonhar e amar é um pouco que nem sambar... A gente nunca acerta de primeira, é preciso experiência e gana, vontade de conseguir. É preciso ter gingado, requebrado pra driblar qualquer dificuldade, é preciso ser levado pela música, deixar o coração leve, o corpo falar. 
Amar e sonhar é um pouco que nem samba porque é preciso um certo atrevimento. Os passos não são fáceis pra quem não sabe dançar... É necessário em um momento ter os pés no chão, porque se nós tiramos demais corremos o risco de não realizar nada além de pulos no escuro, é preciso arrastar um pouco, pra preparar o terreno pra novidade, o arrastamento é uma mostra de esforço também, é a luta, é tirar toda a sujeira do coração e acreditar. Pé no chão, arrasta um pouquinho e solta...
Porque sonho que é bom voa ao se tornar real e nos dá a capacidade de sonhar ainda mais alto, fincar os pés no chão mais uma vez e se deixar levar todos os dias...

"Não deixe o samba morrer..."

Assim... Perfeito

Não tem razão pra eu gostar de você, sinceramente, porque nesse momento eu tenho mais razões pra te odiar do que pra querer você perto de mim e, acredite, eu sou capaz de odiar alguém e não querer saber dela com a maior facilidade do mundo.
Pra descobrir porque eu gostava de você, eu tive que voltar pra primeira vez que a gente se viu... Não. Tenho que voltar para a primeira vez que a gente se enxergou, porque a gente já se viu, mas nunca se enxergou na totalidade do nosso ser complexo. Mas enfim, voltando à primeira vez que a gente se viu, eu lembro que como quem não quer nada, você deslizou seu braço pela minha cintura sorrateiramente e a abraçou.
Mas foi diferente dos outros abraços que a minha cintura levou, compreende? Esse tinha desejo, como os outros, mas era como se tudo fosse um quarto mais intensificado e de repente a sua mão na minha cintura fizesse com que uma energia estranha percorresse pelo meu corpo e não era só tesão, não era só físico, você falava, me tocava, me fazia te querer cada vez mais, como uma dança que começa lenta e vai ficando rápida aos poucos. Dançamos um tango sem sair do lugar.
Quando todo mundo foi embora você me girou e me abraçou de verdade, foi um encaixe perfeito ou só eu percebi? O meu instinto de correr de algum sentimento mais forte que a luxúria foi sobreposto por uma avidez louca de você, de saber como seu gosto ia ser na minha boca, eu tinha que saber pelo menos por um tempo como seria ser a mocinha da relação que se envolve, que olha pras estrelas e pensa que ela é a princesa sortuda que encontrou o príncipe encantado. Você sabia o que dizer, você sabia como dizer, você me fazia ceder cada vez mais à você e eu cedia aos poucos só pra você não achar que eu era bem fácil, mas eu queria tudo de você despejado em mim naquele momento.
Você me abraçou e o encaixe foi perfeito e naquele momento, naquele breve momento, a gente foi amor.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Say yes.

Você sempre faz isso comigo, me enreda na tua teia, aparece na minha sacada, me olha com olhos de amor e tudo ao redor some. Você sempre faz isso comigo, fala exatamente o que eu quero ouvir, me faz rir do teu jeito, me faz encarar qualquer monstro que eu inventar... Me faz sorrir honestamente, me prende as mãos com as suas, me invade, me adora, me anima, me devora... E aí eu deixo tudo de lado, o casaco no chão, os gritos, qualquer desespero, todo medo, num instante tudo se esvai, que é pra dar espaço pra todas as emoções que você me desperta.
Promete que vai ser assim pra sempre?

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

A cada dia, um novo passo.

Em dias como esse, parece que meus sonhos são grandes pra miudeza que é minha vida.
Eu acordo e gosto de ficar um pouco deitada, agradecendo em silêncio pela nova oportunidade.
Ainda não saí do país, ainda não aprendi francês e italiano, ainda tenho que estudar muito pra ser alguém e fazer a diferença ainda que de forma simplória, quero ajudar os outros. Não só isso, existem sempre aqueles sonhos empoeirados, esperando a sorte soprá-los e dar a eles vida nova e concreta.
Tem gente se preocupando com estupro no BBB, com o cabelo, e eu aqui, minoria, pensando "que dádiva me é dada todo dia, de ter meu peludinho pra me encher a cara de lambidas, de ter pessoas maravilhosamente loucas ao meu redor, de poder aprender um pouco mais, de poder rir de tudo, até de mim mesma e das minhas tragédias pessoais".
A cada dia, um novo passo é dado e toda trilha é cheia de angústia, de medo e de descobertas.
Hoje eu não queria falar de amor, mas acabei falando.
Porque amar é isso, é se aproximar da grandeza sabendo que você é só uma fração do todo.
Só nos aproximamos disso, só enlevamos o nosso espírito quando nos conhecemos o suficiente pra seguir independentemente do que venha pela frente.
Só crescemos quando levantamos a cabeça e agradecemos...
Até por tudo aquilo que não pôde ser.

sábado, 14 de janeiro de 2012

De repente é amor

Como começar a dizer uma coisa dessas? Não sei. Podia ser pelo começo, mas não sei onde ele começa.
Você.
É que você me faz viver fora da minha linha e é isso que eu gosto em você. Dá medo, mas é um medo gostoso de ter.
Só depois que conhecemos alguém que realmente vale a pena, é que pensamos que, às vezes, a gente deixa de viver belas histórias de amor arranjando essas listas de razões intimistas. Outras vezes até andando com uma blusa estampada dizendo "Eu não ligo pro amor" ou "O amor só acontece pros outros" para lembrar a si mesmo.
Mas eu vou te contar uma coisa, colega, desapegue das suas convicções, porque, depois que você passa a gostar mesmo de alguém, vou te dizer, isso tudo se ferra.
E eu estou falando de gostar mesmo. Gostar. Você sabe o que é isso? Não é aquele carinha que te olhou por mais de 6 segundos diretos na balada, nem aquele menino que disse que você era bonitinha no ensino médio.
A ordem dos tempos modernos é grudar-se no menor vestígio de amor que venha a sedar nossas carências. Aí começa o drama.
Nunca te cansou que cada dia era um novo capítulo da novela Me-Sinto-Em-Segundo-Plano-Na-Sua-Vida?
Como eu, colega, tu vai cansar, e tu vai esperar. Ele vai ser aquele que vai te fazer dizer "Quantas voltas tu dá, hein, seu universo?". É sério.
Foram precisas 863 voltas pra você cair bem de frente à mim e a minha pupila dilatar.
Às vezes, a gente toma, e precisa tomar, algumas decisões. Nunca sabemos onde ela vai nos levar, ou se foi a certa. Mas nunca saberemos se nunca tentarmos, ou melhor, arriscarmos.
E quando tiver aquele pressentimento... Não vacile. São as estradas da vida. Só se pode seguir uma delas, sem nunca saber como seriam as outras. Acontece assim também com os amores.
Eu sei.
Se houver uma canção a tocar no rádio adequada pra tal situação, de repente é amor.

Acho que agora já posso começar, descobri onde é o começo; e acabei descobrindo o meio e o fim também. Você.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Transbordando

 
Na vida a gente tem os momentos de consolação e os de desolação, e estes últimos duram o tempo que for necessário até que a gente aprenda que existem coisas na vida que a gente não pode controlar, que a gente tem que entregar pra Deus — ou à qualquer outra coisa que a gente acredite ser maior que nós — e ter um pouco de fé que logo virá aquele momento de consolação onde a vida faz sentido novamente.
Eu fiquei desolada por tanto tempo, esperando que isso tudo fosse um pesadelo e que você só estava ausente porque eu fui um dia relapsa contigo, eu queria me desculpar contigo, fazer tudo que estivesse ao meu alcance para ver você voltar a sorrir pra mim e dizer que me ama, eu precisava de você.
Correção: eu preciso de você e isso ficou mais do que provado nos últimos tempos. Nunca pensei que eu fosse me sentir tão ligada a outro ser humano como eu me sinto ligada a você e agora que aconteceu, parece fluido, sem esforço e ouvir que você me ama ainda é o melhor som que eu já escutei na minha vida.
Então agora, eu estou aqui, como um copo cheio de sentimentos transbordando pra tudo quanto é lado, fazendo uma tempestade porque você voltou pra mim, você veio pra ser meu e de mim ninguém mais te tira, a gente prometeu; fizemos votos que reafirmam tudo isso. 
Nosso amor é melhor que qualquer romance que eu já li, estou oficialmente consolada.

Zig-Zag

Você se afasta e eu fico bem, quer dizer, eu fico ótima. Eu não penso em você com a mesma frequência, eu não fico ansiando encontrar você pelos corredores ou pensando em me arrumar excessivamente só por causa dessa possibilidade.

Entende como eu fico bem?
Mas aí algum conhecido vem e me pergunta como nós estamos e eu sou obrigada e reviver tudo de novo, desde o fatídico dia em que a gente se conheceu até o desfecho mais do que esperado e fuçando essas lembranças eu falo contigo de novo e quando eu acho que você vai dizer que é um desperdício manter essa fantasia viva, você vem dizer que nunca deixou de me querer.
Quando eu acho que você Zig, você Zag... E de repente eu me pego te querendo de novo.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Dammit

 
Eu me preocupo contigo e só Deus sabe o porquê disso, o pior é que eu não me preocupo de um jeito amigável, eu realmente quero cuidar de você, deixar você sentar no meu colo e me falar onde dói pra eu poder te curar... Ou pelo menos dar um beijo onde dói pra ver se passa, mas eu não posso fazer isso, você me diz que tá mal e eu não posso estar do seu lado pra te curar ou pelo menos te aliviar.
E talvez seja todo lance de você ser inatingível que me atrai, mas a cada dia que passa eu sinto que você é o certo e que enquanto eu não te provar, enquanto eu não tiver uma amostra da felicidade que você me traz, eu nunca vou sossegar, mas experimentar pra não ter também não me deixaria menos inquieta. Vê que eu tô num beco sem saída?
A questão é que eu não me preocupo de um jeito amigável, eu realmente me preocupo como se você fosse meu amor e que meu dever era cuidar de você primeiro antes de cuidar de todo o resto e eu nunca pensei que eu fosse me pegar assim, completamente sua.

GRR

 
Você nunca foi nada meu, então por que diabos você quer me cobrar por algo que a gente nem mesmo tem? Se enxerga e perceba que pra mim agora, você só serve como one night stand, porque eu não quero ir adiante em algo que me faz ficar com medo dessa sua agressividade contínua.

Eu construí barreiras ao meu redor e eu sei que você não sabe disso, mas todo mundo sabe que não se pode confiar em qualquer um e que as pessoas em relacionamentos tem que ir com calma e não direto usando pronomes de crianças possessivas pra demarcar seu território ou mais uma de suas conquistas.
Vê se enxerga: eu não sou sua.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Freund

Eu só queria que você viesse falar comigo, nem que fosse pra saber o que eu acho sobre o tempo ou sobre quais são os meus grandes planos pras férias. Porque você costumava ser meu melhor amigo então isso implica que você costumava ligar pra essas coisas bobas que a gente faz ao longo do dia... Ou das férias.
A realidade é que eu tô sentindo sua falta o tempo inteiro, eu vou até sua casa, eu falo com você, mas existe um abismo entre nós e eu não sei mais como remediar isso. A gente já se desculpou tanto e debateu tanto que nosso abismo constitui nas palavras, gritos e xingamentos silenciosos que a gente lança quando tá perto.
Não é o mesmo, nunca vai ser o mesmo.
Eu queria que você me chamasse pra tomar um sorvete na esquina e me contar tudo sobre seu dia, sua namorada, seus amigos e todas as coisinhas que fazem de você uma pessoa tão especial pra mim... Eu queria que você quisesse ser meu melhor amigo como eu ainda quero você pra ser meu melhor amigo.
Mas nunca vai ser o mesmo, né?

domingo, 8 de janeiro de 2012

Vira


Olha pra trás. Sou eu aqui, oi.
Eu queria dizer que há muito tempo eu espero te encontrar, mas nunca tive a coragem pra dizer o quanto eu queria que isso acontecesse pra que você soubesse que não tá sozinho nessa de gostar de um bando de gente que não nos dá o devido valor ou que esmigalham a gente e nos deixam ser espalhados pelo vento.
Mas eu queria que você me visse linda, embrulhada pra presente e futuro se você quiser, então pus o meu vestido mais bonito, um sapato sem salto, pra você ver que meus pés estavam fincados no chão e não pretendiam fugir, e um laço no cabelo solto, só pra dar o toque final.
Agora tira essa venda dos seus olhos e me veja com os olhos devidos, como eu mereço ser vista por você, eu te prometo que eu vou ser a melhor possível.
Vira.
Me olha.
Deixa isso começar?

Do Que Você Precisa

A gente tem necessidades humanas básicas, de ser amado, respeitado, limpo, saudável, etc. E pra isso a gente precisa de mil coisas diferentes.
Há quem precise de mais atenção.
Há quem precise de novas partes do corpo.
Há até mesmo quem precise de apenas um pouco mais de amor e reconhecimento.
Mas sabe do que você precisa?
Uma boa dose de mim e voilá, você está curado, Jack.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Vá ao Diabo, sério.

Eu consigo ficar dias, semanas, meses e anos sem falar com você, sério.
Mas eu preciso saber da sua vida, por quem você anda se apaixonando, com quem você anda flertando, se você ainda tem os mesmos amigos ou se mudou muito desde a última vez que eu falei contigo. É uma necessidade sobrenatural de querer te perseguir pra saber se você tá indo bem mesmo na sua vida sem mim, ou se está só me iludindo pra tornar a transição mais fácil pra mim.
Mas ora essa, desde quando você ligou pra mim?
Então eu não faço questão de passar dias, semanas, meses, nem sequer anos sem falar com você, por isso que eu sempre te encontro e digo pelo menos um oi, só pra você saber que eu ainda estou aqui, não necessariamente te vigiando, mas mais me mostrando disposta a estar na sua vida.
Então imagine o quanto não me dói ver você escrevendo pra ela, quando você costumava escrever para mim.
Para nós...

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

A Cura

A gente se fere.
Normal, certo? Não importa quantos anos a gente tenha, eventualmente a gente vai se ferir.
E dói pra caramba e a gente acha que não vai conseguir mais fazer parar, de sangrar, de doer, de arder toda vez que alguém toca nessa ferida, às vezes só de mencioná-la já dói. 
Mas a gente segue a vida, porque nunca paramos de crescer e ser adulto exige que a gente siga em frente com um sorriso no rosto e pronto pra outra pancada que a gente vai sofrer.
Coração partido dói e a dor não passa nem com muita reza, nem com muita súplica do nosso corpo pra reverter tudo que está acontecendo dentro da gente... A cura, a gente sabe que é o tempo, que só com ele que a gente vai realmente se curar e a ferida vai cicatrizar a ponto da gente nem mesmo lembrar que tinha ela, de nem reconhecer algo que faz parte do nosso corpo há tanto tempo.
Aí a pessoa volta, aquela mesma que partiu seu coração.
E a ferida, aquela que te judiou por tanto tempo, nem ao menos abre pra dizer que aquilo mexeu com você. Vocês se olham e todo aquele amor se vai, como um pássaro livre de sua gaiola.
Esse é o problema da cura: o tempo mata o amor romântico.

Perdendo a razão


Eu estava com raiva sem razão... Mas aí eu pensei no teu compasso, ávido, ritmado, nos teus olhos doces e cativantes, no teu cheiro gostoso que desafia, que inebria os sentidos, me faz querer mais, muito mais. E só de lembrar como eu me sinto contigo que meu coração acelera, me afundo em ternura. E mesmo quando eu sinto vontade de te sacudir ou quando a gente discute sobre alguma coisa bem idiota eu sei que se você me roubasse um beijo eu ia esquecer e me render.
Por que amor não é só a parte bonita, é a parte feia também, é aquela parte em que você reconhece que somos dois idiotas com sérios problemas mentais, talvez neuróticos, ciumentos, preguiçosos, mas felizes porque temos um ao outro.
Cada vez que eu penso em me afastar de você você envolve minha cintura pra perto do seu corpo, olha nos meus olhos, diz que me ama e me beija e aí...
Aiai
...
Do que que eu tava falando mesmo?

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

O Que Eu Amo

Roí unhas, bebi champanhe e coca-cola, comi uvas e muitas outras coisas...
O que eu amo nem sempre me faz bem e eu estou bem consciente disso, mas não importa. Quero ser feliz fazendo o que eu amo, sem pensar em como isso vai repercutir no futuro.
O que eu amo, me vicia e eu estou bem consciente disso, mas eu poderia estar fazendo coisa pior... Ah, se podia, mas eu prefiro ficar sozinha aqui com meu copo cheio de bebida e de esperança, prefiro roer minhas unhas do que deixá-las ficarem enormes e me incomodarem.
Antes isso do que pensar em você, que à propósito, não faz mais parte do que eu amo.

Mega-Sena da Virada

"Sorte no amor, azar no jogo."
Sempre quis saber quem foi o iluminado que disse isso e qual o embasamento científico dessa observação.
Eu costumava pensar que eu era uma dessas escolhidas que não tinha sorte no amor e tampouco no jogo, porque sempre jogava na mega-sena e nunca ganhei nada, mas eu estou tentando mudar minhas perspectivas, então eu pensei no tanto que essa frase é contraditória.
O amor é o maior jogo que a gente joga. E eu não estou falando só do amor romântico, mas todo tipo dele que exista, a gente faz jogos mentais com as pessoas que a gente ama pra conseguir as coisas da maneira que a gente quer ou pra chegar num meio termo, a gente diz pros pais que quem ama faz de tudo pra outra pessoa ser feliz só pra que eles nos dêem o melhor presente de todos os tempos. Fora as chantagens emocionais que são a "carta secreta" de cada joguinho.
Então quando se trata de amor, exceto pelo romântico, eu sempre tive muita sorte; joguei na mega-sena da virada com o propósito único de saber se um potencial azar no jogo poderia me favorecer num amor romântico e o ano começou comigo perdendo no jogo.
Quem sabe esse não é meu ano pro amor?

I'll keep you posted.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Velhas Latas de Coca

Você tem um valor sentimental muito grande, sério mesmo. Eu amo você e amo admirar como você é ou o que você faz comigo... É como uma velha lata de coca cola, valiosa, você me dá orgulho de mostrar, você faz com que eu me sinta melhor comigo mesma e que eu suba pelo menos um nível a mais do que eu penso de mim normalmente, então o que a gente tem não é de todo ruim, não é mesmo?
Mas eu não posso te carregar pra todo lado porque eu acho que você me faz sentir mais segura, não é mesmo? Preciso lidar com minha insegurança sozinha, ter um pouco de espaço pra crescimento pessoal ao invés de dependência, você me entende? Eu preciso te tirar dos meus itens colecionáveis porque me convém e te mostrar pro mundo, com toda sua glória, com tudo que eu amo e odeio sobre você.
Acredite quando eu digo que isso dói em mim tanto quanto em você.
Eu passei o novo ano longe de tudo que eu conhecia e isso me fez bem.
Pela primeira vez eu estive longe de você... E isso me fez bem.