segunda-feira, 30 de abril de 2012

A Minha Sorte Grande...

Cada vez que tuas mãos tocam as minhas eu me lembro do motivo pelo qual desde o início você sempre me pareceu tão interessante e tão merecedor do meu coração. Gosto da eletricidade que percorre nossos dedos, da sensação de calor e pertencimento que isso dá. 
Você não só me passa segurança, como me transmite uma expansiva felicidade, você me conhece, me entende, cuida de mim, me dá os melhores beijos que eu já recebi, daqueles de arrepiar o corpo todo, de querer perder o fôlego mas nunca parar de sentir seus deliciosos, macios e doces lábios, de prendê-los com meus dentes, de fazer um duelo de línguas no qual terminamos sorrindo, vitoriosos. Hoje eu não tenho do que me queixar, não tenho. De alguma forma eu sei que nós vamos ser sempre felizes juntos, por mais que sejamos dois universos inteiramente diferentes buscando unidade e sincronia, o que nem sempre é fácil.
Mas tenha certeza que eu te quero com desejo na minha cama toda noite e com ternura suficiente pra ser o pai dos nossos filhos, te quero porque não sei tudo sobre você e talvez nunca saberei, mas a cada novo detalhe me percebo encantada pelos aspectos mais diferentes da sua alma.
Eu que fui idiota, pois quando as coisas ficavam feias eu me perguntava se era isso mesmo, se era você, tão diferente de mim, a pessoa com a qual eu estaria destinada a envelhecer ao lado, mas parece que o meu coração calou a mania de perguntas da cabeça. "Calada, querida mente, me escuta... Ele é sim o homem da sua vida, ele sempre foi o homem da sua vida. Todas as diferenças e as brigas foram pra vocês dois construírem um futuro brilhante, cheio de amor e felicidade, pra se moldarem um ao outro, ele não é só o homem da sua vida como dos seus sonhos também, com ninguém além dele você quer estar, conhecer, saber, desvendar e além disso, querida, diz se quando ele te olha, ele não dá o sorriso mais repleto de bem querer desse mundo".

Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você.Eu amo você. E ainda parece pouco, porque nós temos as melhores conversas, das mais profundas até as mais bobas. Porque seu peito é meu lugar preferido pra estar, poque você me faz sorrir e me faz suportar muitas coisas e desabafar muitas coisas, porque você é incrível e cavalheiro e se preocupa comigo e com meu bem estar, porque faz com que eu me sinta tua mulher, porque coloca nós como prioridade nos seus planos, porque é generoso, honesto, inteligente, leal, desastradinho e incrível.
Obrigada por fazer de mim o seu par pra vida inteira, por dançar essa dança comigo, por querer o melhor pra mim e por me desejar, me abraçar, me beijar e por ser tão meu quanto eu sou sua.
Toda a sorte do mundo pra nós, porque amor a gente tem de sobra. 



sábado, 7 de abril de 2012

De mês em mês. Por tempo indeterminado.

Vocês também são assim? Quando uma coisa ruim acontece na sua vida, ela fica te perseguindo? Na sua cabeça? Nas ruas? Nas outras pessoas? No remorso? Na raiva?
Ou é só comigo?
Mas não é aquilo que dura 1 mês, 4 meses, 1 ano nem 2...
Parece que não vai sair da minha cutis, do lugar do meu cérebro reservado, bem etiquetado escrito "Remorsos - revisá-los de mês em mês".
E também não é remorsinho bobo não, é pesado, violento, que mexe no fundo do coração que você nem sabia que tinha mais, que corta todas as fibras do seu ser com um tiro só, da memória.
Memória. Às vezes pra quê? Tormento doloroso lembrar uma coisa que AINDA te faz sorrir mas você só quer sofrer. Mentira, você não quer sofrer, lógico que não. Não é o tipo de dor "boa", dói porque agora é memória.
Mas penso bem, isso me faz falta? Faz. Mas eu quero fazer algo pra mudar isso? Não. Por que? Porque não importa o quanto tentemos forçar, nada vai voltar a ser daquele jeito, natural, de um jeito que nunca mais será.
Será?
Por esse breve momento desprezo friamente todos esses remorsos ainda não digeridos.

Deixa pro mês que vem agora.