segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Telling a secret to my pillow

Eu sei que esse tipo de coisa parece só acontecer comigo. É tudo que eu esperei e agora eu não sinto mais vontade, vontade nenhuma. Por que você era uma pessoa, eu te via de um jeito, o meu astro, eu te admirava e te queria do meu lado, essa é a verdade. Você era meu amigo, pelo menos eu achei que fosse, mas eu nem percebi o que você estava fazendo. Eu nem notei o quanto você me intrigava e me prendia na sua rede de mentiras. Eu fraquejei, hesitei e por um momento me perguntei se eu estava fazendo a coisa certa. Acontece que a vida é curta demais pra se errar tantas vezes pela mesma razão e eu nunca fui estúpida. A minha vida inteira eu desejei ter pessoas íntegras e interessantes ao meu lado e acho que é por isso que tantas amizades minhas se perderam. Eu fui mudando e melhorando e deixei de ser aquela garota que ninguém enxergava, pra ser a garota que se destaca, ainda que do meu jeito e que só eu entenda o que me estimula ou não. Mas apesar disso eu nunca precisei descer como você desceu. Eu sinto repulsa e ao mesmo tempo não tenho a menor intenção de te magoar. Você é fraco, pequeno, mesquinho e pouco se importa com quem se parte no caminho. Tão diferente de mim. Você é vazio e eu me sinto completa. Completa porque ele me oferece mais do que aquilo que eu preciso e eu não saberia magoá-lo. Eu não suporto vê-lo sofrer porque ele é o amor da minha vida. Ficou uma situação chata pra todos. E eu tenho medo de você quando você foi capaz disso. Tenho medo do teu sorriso e de não saber para de encontrar malícia e falta de caráter no seu olhar... Nada mais importa. Eu tenho amigos agora, eu tenho um amor dos grandes agora, uma família completa agora. Pessoas que se importam comigo e que não me colocariam nessa posição. Eu tenho meus sonhos, o nome das minhas filhas, meus estudos. E quer saber a verdade?
Prefiro mil vezes ser vilã agora, do que eternamente vítima dos seus caprichos infantis.
Olha só...
A garota cresceu.

Melhor ir dormir agora.
Boa noite.

3 comentários:

  1. HMM, TOMA! ACHO É POUCO! (como diria um amigo meu, hahahahahaha!)


    Muito bem feito, amora! \o/

    ResponderExcluir
  2. FOI PRA QUEM?!
    Fico confusa com esses acessos de raiva repentinos, mas confesso que me identifiquei grandão!
    tipo
    GRAN-DÃO!

    ResponderExcluir
  3. "Acontece que a vida é curta demais pra se errar tantas vezes pela mesma razão e eu nunca fui estúpida".

    Lindo!
    Um brinde às vilãs.

    ResponderExcluir