quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Broken glass and distortions

Você pode enxergar entre as partes que você deixou no chão? Eu queria um homem no qual me espelhar, não o reflexo de um homem. Você é pura cólera, você é um copo cheio de vodka, é alcóol, me deixa tonta e alta com apenas uma boa dose de pessimismo e intolerância. Você não sabe quem eu sou de verdade, mas eu sei que não foi mentira. É a maneira como você se comporta que me causa desconforto e agonia. Não somos mais adolescentes, baby, nossas decisões causam distorções ao nosso redor. Mas ficar sem você não me faria nem um pouquinho melhor. Essas afeições suas conseguem, cegamente, me manipular. E enquanto você adora apagar as coisas, eu sempre gostei de brilhar. Se eu era uma estrela e morri, virei só buraco negro, sugando toda felicidade, toda minha felicidade pra algum cantinho escuro. E você era meu porto, mas não é mais seguro. Eu costumava te ouvir gargalhar de tarde e me olhar como se eu fosse a coisa mais linda do mundo e eu te amo por isso, e eu te amo, mas amor só não é suficiente, embora seja profundo... Amor sempre foi um problema pra mim, está carregado no meu nome e no meu peito. É, eu não sei se devo falar desse jeito.
Você me machuca e eu disfarço, faz cortes e eu escondo com pó de arroz e um ar de que nada aconteceu. Eu nem sei dizer em que ponto a gente se perdeu. Mas você me machuca de novo e de novo e de novo e de novo e nunca mais. Eu não quero te machucar ainda mais. É doença isso, me fazer sentir assim. Eu penso tanto em você que não parei pra pensar em mim. Eu detesto ter acordado e me ver tão preocupada em não te magoar. Tão mais preocupada contigo do que comigo e isso não vai sarar. Preciso de cuidados, mas não de bandagens. De alguém que me leve a sério e não viva de molecagens. Cansei de não desabafar tudo o que me incomoda e eu sei que você se importa como ninguém jamais se importou. Eu sei dos seus segredos e do seu calor. Eu sei o que te faz bem, meu bem. Mas nós precisamos conversar, porque só hoje eu me dei conta  de que tudo que eu preciso é respirar.

Um comentário:

  1. Pensar nos outros é bom, mas sem esquecer de pensar em si. Não é egoísmo, é sobrevivência.
    Sofrer todo mundo sofre, mas sempre (eu disse sempre) passa.

    Bater e assoprar não serve.
    E tantas vezes, só o amor não é o bastante.

    ResponderExcluir