quarta-feira, 18 de agosto de 2010

From G., to M.

M,
Hoje eu tomei coragem pra dizer pra você o que eu nunca consegui. Eu quero te dizer que eu não sou tudo que você sempre quis, eu não sou tão bonito, não sou tão esperto, muito menos um personagem recém-saído de um conto de fadas.
Eu sei que eu não sou aquilo que você sempre sonhou, eu sei disso. Conta pra alguma coisa? Eu acho que você está vulnerável e que precisa de alguém agora, que pode te amar sem limites como eu amo você. Fica perto de mim que eu não vou fazer nada que você não queira, só queria que você percebesse que esse tempo inteiro eu desejei você, desde o início. Desde o primeiro dia e foram precisas inúmeras indiretas para que você tentasse entender a real extensão dos meus sentimentos.
Eu sei que eu não sou nada agora. Eu sei que eu sou ninguém, mas, sinceramente: eu acho que ninguém no mundo quer te fazer feliz tanto quanto eu quero. Eu sei que ninguém vai tentar te fazer feliz com a mesma intensidade que eu, então mesmo que você não goste de mim, eu gosto tanto de você, gosto por nós dois. ´
Eu estou aqui, te dizendo que eu vou tirar a tristeza do seu rosto e cobrí-lo de beijos até você ceder àquele sorriso lindo que você tem, então eu não te estendo minha mão, eu me estendo completamente pra você.
Eu te amo e amarei enquanto eu respirar.
Beijos intermináveis e abraços infinitos
G.

2 comentários:

  1. "então eu não te estendo minha mão, eu me estendo completamente pra você".

    Também te gosto por nós dois.

    Lindo, G.!

    ResponderExcluir
  2. "Eu sei que ninguém vai tentar te fazer feliz com a mesma intensidade que eu, então mesmo que você não goste de mim, eu gosto tanto de você, gosto por nós dois."

    Perfeito, M.

    ResponderExcluir