sexta-feira, 5 de março de 2010

Something in the way she moves attracts me like no other lover

Foi o jeito como ela me envolveu desde o começo, foi assustador e intenso. Ela fez eu me mover, me sentir e me  buscar.
Foi a forma como ela me livrou da minha claustrofobia interna e fez com que eu parasse por um tempo de pensar em mim, nos meus problemas, nas minhas dúvidas.
Foi descobrindo-a que eu encontrei minhas divindades e o divino em mim. Em cada gesto, em cada olhar, na forma de se portar.
A sala estava cheia de gente, mas no reflexo do espelho éramos só nós duas.
Eu e ela, ela e eu... Me senti completa e livre pra ser quem sou.
No seu compasso exclusivo ela me abraçava, me acariciava, doce e delicadamente, se infiltrando nos meus poros e fazendo morada na minha pele.
Eu tinha a impressão de ter nascido pra ela, pela forma descontraída como a gente se comunicava, como meu corpo reagia perto dela, pela interação que ela me proporcionava e aí quando eu me peguei emanando vivacidade novamente com algo é que eu percebi que ela era e sempre havera sido meu sonho maior.
Éramos íntimas, sempre fomos e ela era minha musa e minha vida.
Por que no fundo eu sempre precisei dela pra me expressar, pra me libertar...
Ela é a dança.
E eu a amo.

3 comentários:

  1. It makes us fly and forget the rest. *-*


    Me sinto do mesmo jeito. :D

    ResponderExcluir
  2. Ahhh, eu sabia! *-*


    "No seu compasso exclusivo ela me abraçava, me acariciava, doce e delicadamente, se infiltrando nos meus poros e fazendo morada na minha pele."


    Adorei essa parte, ficou tão intensa.

    ResponderExcluir
  3. Ahh, que lindo!

    "No seu compasso exclusivo ela me abraçava, me acariciava, doce e delicadamente, se infiltrando nos meus poros e fazendo morada na minha pele." [2]

    Ooh, a dança, o que ela faz conosco hauhsuas (:

    ResponderExcluir