sábado, 6 de março de 2010

Qualquer semelhança é mera coincidência.

Você e eu,
Éramos só dois errantes de amores sofridos...
E por inútil costume, seres defendidos.
Éramos apenas egos inflados...
Dois egocêntricos separados.


Ela: O que você sente hoje em dia?!
Ele: Nada. Absolutamente nada.
Ela: ... E o que você sente quando me vê?
Ele: Nostalgia, arrependimento...
Ela: Eu sinto que você foi embora.
Ele: Eu fui embora.
Ela: Eu sei...
(O pior é sentir e saber que é verdade)

Ele: Isso aqui não sou eu.
(Eu me pergunto o que estamos tentando fazer. Não somos mais os mesmos, não somos nada.)
Ela: Então porque você não volta a ser você?
Ele: Porque eu não sou mais quem eu era
Ela: Hum, eu vou sentir falta dele então.
Ele: Eu também.
(Se você não é mais quem você era e esse não é você...










Quem é você?)

2 comentários:

  1. Coincidência.


    Conheço uma história assim, ela não terminou bem
    E até hoje, acho que nem ele mesmo sabe quem ele é.

    ResponderExcluir