segunda-feira, 1 de março de 2010

18

E que entrem pela festiva estrada da vida
Esses meus alegres e inconsequentes 18 anos.


Finalmente.
Cheguei à idade que tantos falam, a idade das loucuras, histórias; das descobertas, do começo de uma "vida nova". Ou não.
Mas acho mesmo que tudo tem que/vai mudar agora, mesmo que eu me sinta, pra falar a verdade, do mesmo jeito que ontem, algo mudou. Alguma coisa peculiar.
Talvez seja meu cabelo, ou meu ingresso próximo à faculdade...
Posso ser considerada adulta pela lei, posso pagar pelos erros que eu cometer, posso dirigir, posso entrar numa sex shop... hahaha.
Cada dia que se passou nos últimos meses até chegar aqui, senti que minha energia jovem está cada dia mais aflorada, com mais vontade, verocidade e determinação.
Eu quero guardar boas memórias, boas aventuras, risadas, amizades.

Por isso obrigada, família. Obrigada, saúde. Obrigada, escola. Obrigada, faculdade. Obrigada, festas e namoradinhos. Obrigada, fotografias e textos. Obrigada, terra natal. Obrigada, Brasília. Obrigada, sol e chuva. Obrigada, músicas. Obrigada, cabelos e piercings. Obrigada, instrumentos musicais. Obrigada, brigas. Obrigada, arquitetura! Obrigada, roupas. Obrigada, artistas. Obrigada, professores. Obrigada cheiros, gostos, sentimentos, emoções. Obrigada, momentos. Obrigada, cores. Obrigada, risos. Obrigada, AMOR. Obrigada, Deus. Obrigada, amigos. Obrigada aos que me ligaram à meia noite, aos que mandaram msg, aos que lembraram mas não tiveram como falar comigo, aos que deram parabéns antecipado, aos que escreveram depoimentos, e-mails, scraps e aos que me desejaram felicidades pessoalmente também. Obrigada, eu-mesma, por me aguentar, por me entender (às vezes), por me suportar, por me ajudar, por me viver, por me sentir, por me aceitar e por não ter desistido de mim.

E para não passar batido, parabéns para nós, Alfatal, por mais um ano de irmandade e amizade.
Quatro garotas com suas diferenças, com suas semelhanças, em busca de algo maior nesse mundo. Vivemos as amizades que se passam nos filmes, que as pessoas anseiam, é algo verdadeiro, quase como quatro amigas e um jeans viajante haha (aaavemaria) - mas claro que do tanto que a gente já viveu daria um filme tri bom de verdade -

Então é isso, garotas. E é claro que eu vou festejar minha maioridade enchendo a cara! Hahahaha.

"Porque a gente conta o tempo em anos?
Por que não em luas, como antigamente?
Ou em sóis que a gente viu nascer?
Abraços que a gente deu.
Lugares que conheceu.
Sorrisos, talvez.






Quantos sorrisos você tem?"

2 comentários: