terça-feira, 20 de abril de 2010

Untill the end of time

Não sei exatamente quanto tempo perdi nesse ir-e-vir cíclico antes de quebrá-lo finalmente. Não sei o que é que me faz querer você mais do que todas as outras coisas ao ponto de pensar em abdicar do resto pra te ver bem ao meu lado. Não sei por qual razão eu me rendo tão facilmente aos seus caprichos, não sei. Mas se eu fosse arriscar eu diria que é culpa sua. Sua e do seu maldito sorriso que me faz parecer a pior das tolas. E não importa quanto tempo passe, eu sei que isso há de ficar e permanecer aqui, retirando minuciosamente cada pedaço de mim, pra construir você no meu corpo. Pra não te afastar da minha mente ou dos meus sonhos. Eu pensei que amar fosse difícil, mas com você sempre foi fácil até quando não deveria ser. E sim, eu consegui sentir raiva e ficar chateada algumas vezes, consegui olhar pros lados e me sentir só, mas mesmo assim tudo o que eu queria era você. Tudo o que eu quero é você.
Você é meu destino e minha redenção.
Que venha a eternidade pra nós dois.

Um comentário: