quinta-feira, 22 de abril de 2010

Aprender

Minha vontade é que ele me pergunte se quero um pouco de chá gelado e se eu gostaria de ver um dos seus filmes estirada nas grandes almofadas...
Eu mais uma vez me pergunto como é mesmo que se faz a coisa mais profunda do mundo com total superficialidade.
Como é que se ama sem amor? Como é que se entrega de dentro de uma prisão? Nunca soube...
Ainda é cedo e eu preciso de amor. Só um pouquinho de amor... Quero que ele veja o quanto mudei por causa dele, na esperança de que seu riso congelado saia do automático e eu ganhe um único sorriso verdadeiro...
Talvez meu amor tenha aprendido a ser menos amor só para nunca deixar de ser amor...

2 comentários:

  1. Amo esse texto desde a primeira vez que o vi.

    ResponderExcluir
  2. "Talvez meu amor tenha aprendido a ser menos amor só para nunca deixar de ser amor..."
    Chorei litros de garrafas pets com essa declaração. LINDO!

    ResponderExcluir