sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Transbordando

 
Na vida a gente tem os momentos de consolação e os de desolação, e estes últimos duram o tempo que for necessário até que a gente aprenda que existem coisas na vida que a gente não pode controlar, que a gente tem que entregar pra Deus — ou à qualquer outra coisa que a gente acredite ser maior que nós — e ter um pouco de fé que logo virá aquele momento de consolação onde a vida faz sentido novamente.
Eu fiquei desolada por tanto tempo, esperando que isso tudo fosse um pesadelo e que você só estava ausente porque eu fui um dia relapsa contigo, eu queria me desculpar contigo, fazer tudo que estivesse ao meu alcance para ver você voltar a sorrir pra mim e dizer que me ama, eu precisava de você.
Correção: eu preciso de você e isso ficou mais do que provado nos últimos tempos. Nunca pensei que eu fosse me sentir tão ligada a outro ser humano como eu me sinto ligada a você e agora que aconteceu, parece fluido, sem esforço e ouvir que você me ama ainda é o melhor som que eu já escutei na minha vida.
Então agora, eu estou aqui, como um copo cheio de sentimentos transbordando pra tudo quanto é lado, fazendo uma tempestade porque você voltou pra mim, você veio pra ser meu e de mim ninguém mais te tira, a gente prometeu; fizemos votos que reafirmam tudo isso. 
Nosso amor é melhor que qualquer romance que eu já li, estou oficialmente consolada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário