domingo, 27 de março de 2011

Fragmento de um sonho

Entro no ônibus e me sento.

- Oi. Qual seu celular? - pergunta a moça de cabelo médio-longo preto, rosto bonito e altivo, no banco ao lado.

- Pra quê? - estranho a interação repentina e o interesse óbvio para um contato comigo, ainda mais no ônibus, onde ninguém fala com ninguém, mal diz o cumprimento do dia.

- Ah, nada, era pra saber só... - ela disfarça e parece não querer perturbar mais.

- É... - hesito - 1001-1000*.

- E você está com alguém? Assim, que você considera...

- Ah, não sei te dizer... - rio comigo mesma; eu realmente não sabia dizer - Eu tô enrolada.

- Com quem?

- Com o Fulano*.

Ela sorri. Um grande número de pessoas entra no ônibus e senta-se entre nós de maneira que ela acaba se mudando para o banco da frente, perto da catraca. Percebo que ela puxa papo com pessoas sentadas atrás dela. Gostaria de ter conversado mais, simpatizei com ela. Em seguida ela desvia o olhar da pessoa com quem ela conversava para mim e sorri novamente.


*Dados fictícios por questões éticas (kkk).

Um comentário:

  1. Eu sinto que deveria haver uma continuação pra esse fragmento!
    FALEI! E adorei, eu já disse.

    ResponderExcluir