quinta-feira, 31 de março de 2011

Cachoeira

Como é que eu vou fazer pra aliviar sua dor, meu bem? Como é que eu posso contar pras outras pessoas o que você sente se eu não sei o que é ou por onde você anda? Se eu me esqueço de lembrar de você pra terrível sensação de impotência não me corroer por dentro ... Me diz, o que eu faço? Se no fundo eu tenho medo de você aparecer e eu me assustar ao te encontrar... Se eu no fundo me sinto culpada por não ter feito mais por você, por não ter conversado quando eu passei semanas pensando nisso. Ninguém foi ver o que aconteceu, meu bem. Ninguém teve a audácia de descobrir a verdade por trás do mistério. Talvez seja isso que te incomode tanto, todos precisamos de uma conclusão, não é? E a verdade é que eu te amo tanto que lembrar é doloroso. Lembrar o quanto eu te amo é doloroso, eu queria ter conhecido você melhor antes de você sair da minha vida, sabe? Antes de você sair da vida de todos nós. Eu queria que você soubesse que eu te desejo o melhor, que eu te desejo paz e que você siga o seu caminho iluminado. Que você se junte a pessoas boas como você e que você ache redenção e amor.Que vá morar num lugar bem fresco e com cachoeira perto, que seja o melhor ser que conseguir. Queria que você soubesse que eu agradeço por você ter existido porque você me fez encarar a vida com novos olhos e eu sinto muito a sua falta.
Fica com Deus,

Mandis.

Um comentário:

  1. Me fez chorar esse daí, mermã.
    Lindo. Perfeito.
    Que ele saiba disso.

    ResponderExcluir