segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Settle

— Steph?
— Fala, Carol.
— Lembra do Ricardo?
— Seu Ricardão? —  Stephanie riu dobrando as cobertas.
— O próprio. —  Carol riu também — Sabe que eu quase casei com ele?
Stephanie arregalou os olhos, pôs a coberta na cama e colocou a mão na testa da amiga e depois na sua.
— Desculpa, Carolzinha, só queria saber se isso não era um momento de delírio e tal.
— Sério mesmo, Steph, eu sabia que você ia reagir assim, ninguém gostava dele.
— Nem você, Carol, fala a verdade.
— Não, eu não gostava dele. — Carol riu — Ele era extremamente irritante, não é?
— Amém, sister.
— Mas é porque depois de um tempo, quando a gente tá muito muito fucked up, a gente pensa que não pode mais sentir aquela coisa intensa de novo, como se ela fosse desgastando aos poucos. E seria bom pelo menos pra variar, ter alguém que quisesse me fazer feliz de um jeito pegajoso e possessivo, mas não menos apaixonado, porque tudo que eu via nele era realmente o que eu queria ser, o que eu queria sentir naquele momento...
Stephanie sentou-se ao lado da amiga, segurando-lhe a mão
— E seria bom... — Carol suspirou — Estar num relacionamento em que alguém me amasse mais do que eu a amava.
— Por que?
— Assim, se acabasse, como acabou, né... Como eu poderia sair ferida, se já tá tudo ferrado?

Um comentário:

  1. Que visão pessimista de relacionamentos, mas tem gente que se casa por muito menos, né, little Celine?

    ResponderExcluir