quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Please Don't Leave Me

Você prometeu que estaria aqui, que não seria doloroso e que daqui a pouco a gente ia se ver; que daqui a pouco as coisas iam voltar ao normal se eu tivesse ao menos um pouco de paciência e tato pra saber lidar com sua ausência sem ausentar a parte de você que falta em mim.
Você disse que seria uma transição fácil, como brisa em vela de barco, como água deslizando de garrafa pra copo, algo natural... Mas com o tempo aprendi que suas promessas foram furadas e afundaram e agora pra eu conseguir voltar é como tentar nadar em gelo, ou seja, não está sendo fácil... E foda-se como está sendo pra você, porque nem me contar mais você me conta, nem faz mais questão, então eu só sei o quanto dói em mim sentir que agora, oficialmente, eu sou a "coitadinha" que eu nunca esperei ser...
Minhas metáforas pioraram, percebeu? Estão menos profundas, mais 'ordinary'...
"You wanna know what happened to me? You happened to me"
Odeio o monstro em quem você me transformou, e não odeio você ainda, então fique calmo.
Odeio ser a pessoa quem ajuda a destruir o que a gente construiu e odeio ainda mais ser a pessoa quem súplica, então em minúsculas e menor, pra você se ver diminuindo em mim:
i always say that I don't need you, but it's always gonna come right back to this, so please, please don't leave me.

2 comentários:

  1. Ouch. Essa doeu no pâncreas.
    Lindo lindo Bih

    ResponderExcluir
  2. Odeio ser a pessoa quem ajuda a destruir o que a gente construiu e odeio ainda mais ser a pessoa quem suplica, então em minúsculas e menor, pra você se ver diminuindo em mim

    adorei essa parte xD

    ResponderExcluir