quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Caixa de memórias.

Resolvi mexer na caixa, sabe? Tudo isso porque eu tive um sonho com você. Mas nunca são só sonhos, são presságios, como sempre, desde o primeiro dia. E desde que eu te conheci eu não consigo parar de pensar em você, na forma como a gente briga, na forma como a gente pensa igual e em todos os momentos que passamos. Lembrei do teu sorriso, da tua voz, lembrei da curvinha que tem o teu nariz e do sotaque inebriante. Você sempre vai morar no meu corpo, em cada pedaço de mim. Tudo tem um pouco de você e esse peso eu tenho guardado pelos últimos tempos. Entre meu ódio e meu amor prevaleceu o amor.
Mas isso não quer dizer que você se importa.
É.
Talvez eu deva jogar essa caixa fora.

Um comentário:

  1. Como se a maldita caixa fosse a porta de tudo né? Sei bem como é, essas tais lembranças que são na verdade assombrações, um sentimento passado presente, alguém que não se importa. Só te desejo força e fé.
    Um beijo grande eu adorei passar por aqui, vou seguir!

    ResponderExcluir