quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Amargura

Segundo Jung, no ser humano, a amargura raramente provém de um destino infeliz. Muita gente passou por agonias e situações de vida muito difíceis sem ter-se tornado amarga; a amargura, porém, emerge naqueles que lutam contra si mesmos, nos que vagamente percebem que são eles mesmos os culpados da própria infelicidade. Noutras palavras, os que se tornam amargurados são aqueles cuja mão esquerda trabalha contra sua direita e que, devido a uma contrapartida inconsciente no interior de si mesmos, estão sempre no "fogo", sem perceberem isso. A amargura é uma espécie de afeto oculto, ou de raiva, mas voltada para dentro exerce sufocante efeito sobre a personalidade.
"A individuação nos contos de fada", de Marie-Louise von Franz.

Um comentário:

  1. táquepariu
    esse jung sabia muito de mim, né. HSAUHSAUASHUASH *egocêntrica, oi*
    amei, sério.
    tudominhaculpa. q

    ResponderExcluir