segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Toda Vez

Toda vez que eu encosto minha cabeça no seu colo, eu perco um pouco o juízo. Meu coração é tomado por uma paz inexplicável e eu, com minha pose de fera, viro uma gata domesticada e dengosa. Te olho com a cara mais pateta do mundo e o sorriso se alastra pelo meu rosto. Ah, é você de novo. E eu até me esqueço que tem uma semana inteira pela frente. E naquele último segundo em que teus olhos se despedem do meu, eu me estilhaço, frágil, fragmentada. Você é a melhor parte dos meus dias e a dor que toma meu peito é angustiante naquele segundo suspenso em que te vejo ir embora ou a porta do elevador se fecha. Esperar é uma coisa que eu nunca soube fazer muito bem.
Com você só piorou, meu peito urge por você, pela tua pele na minha, pela tua voz e teu cheiro.
Ai, meu amor, toda vez que você chega, meu corpo vira saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário