terça-feira, 31 de março de 2009

Se você olhasse pra trás, visse que todos os seus amigos não estavam lá e de repente sentisse vontade de voltar isso não te tornaria menos idiota.

Pelo contrário, você é ridículo e eu tenho pena de você e dessa sua necessidade de auto-afirmação.
Dessa maneira com a qual você sempre surge sorrateiro pra envolver os meus sonhos mais sombrios
e fazer com que tudo volte a ser trevas como costumava ser com você.
Porque a realidade é que apesar de toda a falsa felicidade a qual você nos submeteu momentâneamente,
você não se contenta em ser infinitamente infeliz sozinho.
Eu odeio tudo que diz respeito à você, e talvez seja meu áries impulsivo falando, explodindo. Mais uma patética combustão à qual eu, tolamente, me rendo por ter essa mania besta de acreditar na bondade das pessoas.
Você é sempre a vítima. Sempre o pobrezinho. Você é como um alvo de destruição ambulante.
TODO MUNDO SABE QUE VOCÊ NÃO GOSTA DELA E QUE SÓ TÁ COM ELA PORQUE É INCAPAZ DE ESTAR SOZINHO.
Olha e eu aqui reclamando porque eu tava só. u.u
Eu passei por tantas merdas e só queria ter a porra do teu ombro pra chorar.
Aonde é que você se enfiou? Porque durante os últimos meses, durante o último ano você foi aquele amigo homem pra quem eu podia pedir conselhos e falar minhas baboseiras sentimentais.
Porque quando você tava chateado eu ligava pra você e pra como você estaria.
Mas você é muito egoísta pra perceber tudo isso não é?
Um a um, todos os homens da minha vida me abandonam ou abandonarão.
Essa é minha sina, ok, eu entendo.
Mas não é porque eu entendo que eu me conformo, que eu aceito.
Essa é a diferença entre nós. Eu não me conformo.
A ÚNICA MERDA QUE EU PRECISAVA ERA QUE PELO MENOS DESSA VEZ VOCÊ, VOCÊ FICASSE.
Que você não exigisse dela[1] sentimentos tão intensos quanto o seu sabendo que o coração dela é dele.
Que você olhasse pra ela[2] e visse que era muito melhor não ficar sozinho com alguém que te fizesse bem e ela cuidaria de você.
Mas você está muito ocupado em seu próprio mundinho arranjando pretextos pra se machucar.
E eu juro, eu juro que se você estiver alimentando as esperanças delas pra depois magoá-las, eu juro que eu acabo com a tua vida.
Vou fazer você sentir dor, pra você perceber que esse teu "não sentir" talvez seja uma coisa boa.
Talvez seja o que te separe do resto de nós.
Você está nesse pedestal, você se afasta e não se afeta. E isso vai te consumir.
E você mexe com a cabeça dela[1]. E você mexe com a cabeça dela[2].
De formas diferentes as possui como se fosse uma maldição.
E os caquinhos ficaram espalhados pelo chão e sim, restou a sua velha canção ecoando em nossos ouvidos como um lamento.
Como se fosse a única coisa doce erguida a partir de um passado triste.
E você mexe com a cabeça dela[1]. E você mexe com a cabeça dela[2].
E se for aparecer na janela, então mostra que veio pra ficar.
Mostre pra ela[1]. E mostre pra ela[2]. Pra mim você não tem nada o que mostrar...
Você me magoou e eu já estava magoada demais antes.
Eu to cansada, eu só queria chorar e isso só demonstra o quão eu estou fraca.
Você me enfraquece porque se aproxima quando é conveniente...
Sem levar em consideração a confusão de sentimentos, a ausência.
E assisti aquele filme que é a sua cara e vi que eu amava você e sua essência 
que parecia rastejar nas minhas entranhas
como algo mal que eu nunca saberia viver sem.
Você me colocou na confusão.
Você se colocou na confusão.
E não vou ser eu que vou gritar teu nome, segurar tua mão e te tirar dessa...
Porque pela primeira vez, Arlequim, eu não tenho nada pra te falar.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. “Você me enfraquece porque se aproxima quando é conveniente...”
    Eu concordo plenamente com tudo oq vc disse aqui.
    E saiba que agora não ponho mais minha mão no fogo por ngm.
    He doesn’t mess with my head.

    ily, NEVERFORGETIT.

    I’m not going anywhere.

    ResponderExcluir