terça-feira, 10 de março de 2009

Eu gostava de você e da patética maneira com a qual você me olhava.
Eu gostava de você quando você me mandava mensagens que me faziam rir.
Eu gostava de você e das músicas que você escutava.
Eu gostava de você, quando você estava aqui.
E eu lembro dos beijos quase ácidos dentro do carro
Nos fazendo aos poucos derreter
E nos fundíamos e moldávamos como água e barro
Só a lama é o que restou de você.
Uma porção de lembranças borradas
Infinitamente distantes de mim
Porque a pessoa com a qual eu sonhava
Não é a mesma que se encontra em frente á mim
Eu gostava da textura dos teus cabelos
E quando atavas tuas pernas ás minhas como se fosse natural
Eu gostava do seu piercing na língua, do seu cheiro
Da forma como eu me sentia especial
Mas o tempo foi passando e passando
E todas essas coisas foram sumindo
Como num sonho em que estamos voando
E acordamos quando estamos caindo
Você parou de me beijar com ardor
Você parou de mandar mensagem
Você parou de me procurar, amor
Você esqueceu a minha imagem
Então eu fui me desapegando de você
Pra ver se assim você me notaria
E as coisas foram finalmente ser
Um pra cada lado como você queria
Você simplesmente me mostrou
Que nós nunca fomos um par
E agora que tudo acabou
Você deve estar a se perguntar
Porque eu te tirei assim da minha vida
Se as coisas andavam tão normais
Sem perceber que por conta da tua preguiça
Do teu descaso, agora é tarde demais.
Eu queria ver você lutar por mim
Mas duvido que você o faça
Mas não se preocupe, Querubim
Que tudo isso um dia passa.

Aiai. Até a uva passa.
=/


Um comentário:

  1. hm... Suspeito que Querubins queriam-te de volta, querida humana. Mas se ele não se esforça o suficiente, é mais fácil deixar que o tempo cuide dele... Que ele perceba que te perdeu e que o descaso e quem ele se tornou vão ser só os fantasmas dos erros dele.

    ResponderExcluir