segunda-feira, 18 de julho de 2011

Poema de outono

Nas suas falas falhas, se eu falo, falho. 
Então muda, me deixa mudo. 
Me beije ao vento, demore um tempo, até que as falhas
Se tornem apenas folhas...

Um comentário: