quinta-feira, 14 de julho de 2011

Correção-destruição

"O silêncio devia ser para ele uma espécie de obsessão, tanto assim que quando corrigia ou retocava os seus textos nunca aumentava, só cortava, cortava sempre, numa espécie de fascinação abissal pelo nada - o nada do qual extraíra a sua matéria, isto é, as palavras que inventam as coisas, e ao qual parecia querer voltar nessa correção-destruição de quem nunca estava satisfeito."

Cinquenta anos de Vidas Secas, Antônio Cândido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário