terça-feira, 12 de maio de 2009

12.05 [2]

BEFORE
O tempo vai, a noite cai. Eu bebo só pra esquecer que perdi você.

Você chegou, cumprimentou. Eu já fico tensa só de observar você.
E se você, retribuísse? E se eu, conseguisse?
Não ia ter motivo pra te escrever... depois de voltar.
Então, porque eu não cheguei e falei?

O que eu tinha pra dizer pra você. Por que você fica tão longe?
Escondendo o que não se esconde de ninguém.
Meus sonhos não são dificeis de se advinhar, pois você é sempre a minha inspiração.
Nos becos, nos lugares, aonde quer que eu vá, você é sempre o dono do meu coração.
Por isso é que eu sigo em paz, sem saber, mas não me leve a mal.
Por isso é que o sol continua a brilhar quando digo que te amo.
Você passou sorrindo quando me viu chorando. Entrou na minha vida, assim, meio que sem querer.

Só que quando saiu deixou lembranças. Levou os meus sorrisos e esperanças, quando me disse assim: Talvez um dia a gente vá se ver. Eu não sabia, hoje vejo que você só disse aquilo pra me convencer.
Dos meus olhos fugiu, só vi pedaços dos beijos, do carinho, dos abraços. Não sei se foi intencional, s
e fez o certo ou não. Só sei que fiquei mal por viver a ilusão de acreditar.
De acreditar em você quando disse que eu era o seu amor.


NOW
Tentei me olhar no espelho e encontrar em mim lugar pra ti, mas o reflexo me dizia que você não estava ali. E agora eu sei que você tem um lugar seguro pra ficar.

O mundo foi cruel e me fez perceber que nunca vai dar certo nada que envolva eu e você.
Existem coisas que nem mesmo o amor é capaz de solucionar, e sofria ao te ver.
Lembrando dessa história, eu vejo a culpa cair sobre mim, mas também sei que o aconteceu não foi somente assim. Você nunca soube cultivar em mim o amor que eu queria, que eu te daria. Deixei de viver intensamente pra viver pra ti, e os últimos dias felizes foram os em que eu não te vi.
Sinto muito, mas só estou perseguindo a minha paz, não vou voltar atrás.
Entre aqui agora. Não vou te impedir de entrar.
No meu peito. Ouça o coração gritar.
Olha aqui, tente ao menos enxergar dentro de mim... Sinta o gelo evaporar e veja que estou fria, como o ferro de que eu julgava ser feita...
Mas... Olhe mais dentro. Mais fundo.
Agora você vê que ali tem alguém novo?
Eu tentei evitar, mas chega uma hora que não dá. Eu sei que o que eu senti não era qualquer coisa, mas fui eu que pedi pra que ele aparecesse, fazendo cessar o tormento que insistia em reaparecer quando eu menos esperava.

E eu sei que é ele. Porque eu o fiz, do jeito que ele é. Eu pedi.
E ele apareceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário