quinta-feira, 19 de maio de 2011

Chaostrofobic

Leio olhares enquanto caminho no meio da rua e fico imaginando falas para as pessoas. Acredito que só na natureza existe amor-perfeito. O confuso, o instável me interessa mais do que o definido e constante. Pra mim o desejo tem que habitar os olhos. É o começo: os olhos, o silêncio, o transe e a disritmia. Sempre achei lindo beijar na testa alguém que se ama, mostra bem-querer e respeito, não desmerecendo os beijos com lábios, dentes e línguas. Não sei por que mas sempre que chove eu me sinto melhor. Mesmo sabendo que algo não vai dar certo, no fundo eu acho que vai dar. Mania besta eu só tenho essa. Sofro por antecipação, me encanto com facilidade, amo demais, falo demais, sorrio demais, choro toda vez que dá vontade. Isso faz da minha vida um caos...
 
Mas onde há caos, não há tédio.

Um comentário: