sábado, 22 de janeiro de 2011

Por Que?

Eu podia dar milhões de razões aqui pra eu parar de falar contigo, e não faço questão de citá-los porque, vamos encarar, quem sou eu pra listar defeitos sendo que eu sou repleta deles?
Só sei que eu cansei de escutar histórias falsas suas, o que você deixou e não deixou de fazer, eu não quero saber detalhes sórdidos e nem sobre como eu já deveria ter te tirado da minha vida — coisa que a propósito eu já sabia e sei — mas eu vou te falar aqui, num lugar que você não visita mais, porque você é presença constante quase no meu dia-a-dia:
Eu, por muito tempo, me acostumei a ser "a sapa" que precisava de muito mais que um beijo pra ser transformada em uma princesa completamente glamurosa e cheia de pretendentes, eu meio que me acostumei a ser assim, uma pessoa relativamente difícil, mas não impossível e cheia de neuras e imaginação que me fazia ser única do meu jeito. Até você aparecer e de repente elogiar minha aparência ou só dizer que adorava minhas covinhas quando eu sorria e ainda adicionou "talvez porque você sorria pouco, menina" e apesar da enorme indireta nessa frase eu só fiquei revoltada porque eu não era uma menina, eu já era mulher há mais ou menos quatro anos.
Em resumo, porque eu sei que sua paciência pra leituras dinâmicas não é grande, eu não te tiro da minha vida, porque durante um tempo dela, você tava lá quando ninguém tava e viu uma princesa numa garota que nunca se via assim.

2 comentários:

  1. Não sei se devo ficar ou não com dó dela, porque afinal, quem está escolhendo permanecer com ele é ela.

    Mas ficou muito emocional e lindo, ih.
    Sua perfeitinha
    (L)

    ResponderExcluir
  2. "eu não te tiro da minha vida, porque durante um tempo dela, você tava lá quando ninguém tava e viu uma princesa numa garota que nunca se via assim"

    *-*

    ResponderExcluir