terça-feira, 4 de maio de 2010

May you

É essa época do ano, desse ano, que me faz sentir você se aproximando. Rastejando, implorando, sugando minhas energias como um verme instalado no meu corpo. É que tocou uma música que me lembrou você ontem e eu sonhei com você hoje. Amanhã não sei. Talvez eu tenha ódio, talvez eu me lembre o que em você fez com que eu me aproximasse. Todas aquelas coisas em comum e você nem se dava conta do que eu sentia. Eu achava que você me entendia. Você sempre foi meu apoio e eu queria que você voltasse pra eu te mostrar como eu estou bem e crescida agora. Como a vida foi maravilhosa e gentil comigo... Eu queria te ver, queria que você me visse e fosse aquela coisa "no feelings". Só fosse saudade de um tempo que passou e das coisas que nós aprendemos juntos e nada mais, nenhuma vontade de abraçar e de contar as coisas. Eu queria me ver imune ao seu sorriso hipnotizante de vampiro, queria que o meu sorriso te hipnotizasse dessa vez pra você sentir na pele a ferida. Eu queria olhar nos seus olhos e perceber que você não mudou nada, continua o mesmo idiota com a mente restrita. Eu queria isso. Mas isso seria arriscado demais, my ex-best friend...
No fundo eu tenho medo de que você ainda tenha um pedaço de mim. E todo mundo que eu conheço me diz que você sempre foi weird e é weird assumir...
No fundo eu tenho medo de você.
Você pode perceber?
May you realize it? May you?

3 comentários:

  1. Tu não precisa provar nada pra ninguém.
    Só saiba dentro de ti que tu mudou, se te faz bem.
    Algumas coisas simplesmente não são pra ser, peixe :~

    ResponderExcluir
  2. til-til
    lindo, lindo de revirar o pâncreas

    ResponderExcluir
  3. O passado sempre assombra, seja ele qual for.

    ResponderExcluir