sábado, 4 de dezembro de 2010

Carta para Benício

Caro Benício,

não foi preciso ler mais do que um texto seu para saber que você foi magoado no passado.
Suas duras palavras escondem uma mágoa interna que, pelo visto, ainda não foi curada, e você continua a escondendo usando meios tolos de contrariação.
Não se pode afirmar que "as pessoas não se amam, mas sim a um contrato que nada reflete ao verdadeiro amor".
Balela!
Vejo aí todo seu rancor e ódio querendo sobrepor, influenciando a opinião alheia, por conta dessa sua rejeição.
Posso até estar sendo precipitada, mas oras, você também foi.
Acredito que isso possa acontecer com uma parcela de pessoas, mas não generalizada. Se sua intenção era tratar desse caso específico, não fale como um todo! Jamais se pode generalizar nada, meu caro.
Existe sim, as pessoas que seguem as leis de relacionamento pré estabelecidas pela sociedade em que vivemos, em busca de somente status. Mas não são todos.
E não falo em nome da população que vive um lindo amor e que se sentiu ofendida pela sua colocação. Não, muito pelo contrário.
E se o seu caso não for de mágoa, só digo: não é porque você não ama ninguém que todo mundo não ame também.
Saia um pouco desse seu arquétipo de jovem revoltado pseudo intelectual que tenta usar palavras difíceis para ser mais um rebelde sem causa.

Com muito amor,
T.

Um comentário:

  1. NOOOSSA, eu me sinto o Benício ou a alma gêmea dele HUSAHSAUHSAUHSAUH
    AMO AMO AMO AMO AMO AMO AMO esse texto.

    ResponderExcluir