segunda-feira, 18 de março de 2013

Laços

Desculpa se não falo em poesia, muito menos em palavras bonitas e rebuscadas que rimem e façam seu coração bater no ritmo das minhas palavras, mas eu queria te falar dos abraços, dos amassos, de laços.
Eu queria poder fazer um controle visceral de mim mesma, será que tu entende isso? Eu queria que minha fisiologia não falasse tão alto quando eu te visse do outro lado do corredor ou do meu lado no sofá... Nunca pedi coração latejante, mão suando e perna bamba.
Não.
Isso é pros fracos que se dão ao luxo de mostrar o que eles sentem e cá estou, fraca como o café que eu bebo todos os dias pra manter a cabeça ligada pensando em você. Não queria me entregar numa bandeja de prata, num prato ou só aparecer na sua porta num dia qualquer, eu não queria me enlaçar nos seus braços, nos seus toques e na sua vida.
Então hoje eu vou te pedir que você leia minhas palavras substituindo-as pelas suas que são mais grandiosas e dignas de cartas apaixonadas de Shakespeare

Nenhum comentário:

Postar um comentário