quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Sweet, sweet, oh, sweet silly me. Se não bastassem as fantasias diárias, os desejos loucos, a saudade inconveniente, a tentativa de te deixar feliz, o que eu não queria mesmo é ter que lutar tanto por você. 
Se eu não tivesse suportado tantas e tantas vezes o seu descaso, estaria mais propensa a te explicar que não, não é nada disso, se eu pareço distante não é frieza nem falta de querer, é o calor, a gripe, a distância que já me deixou sem forças pra te convencer a chegar aqui perto. 
Eu acho mesmo que é insanidade esse seu jeito, algum tipo de esquizofrenia sentimental, ou você só gosta mesmo dos joguinhos e das pequenas humilhações rotineiras às quais eu me submeto. Eu não sou nada disso, meu bem! Não sei o que é esse algo dentro de mim que me impede de te mandar ir pastar, mas me recuso a admitir que é paixão.
Oh, but the feeling is bad, the feeling is bad…

Nenhum comentário:

Postar um comentário