terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Esperar(ança)

Tenho me desgastado, me fatigado, me acostumado. Já não espero. Já não anseio.
Esperar é a esperança vã que você torne a sentir os impulsos fervorosos do enfim encontro do teu corpo com o meu. É esperar agasalhada pela neve nesse país tropical. É mais que tudo, querer de volta o que nunca se teve. 
É ser fiel ao sentimento que queima dentro do meu peito, sabendo que o motivo desse ardor não se importa em não querer causar essa sensação em tantos outros peitos…
Me faz preferir a dúvida que a certeza. Escondendo por debaixo de tolas tentativas, essa certeza que quer trazer à tona toda dor do fim do que nunca sequer nasceu.
Então não fico mais. E me permito agarrar à apenas mais uma esperança, a que vale a pena, a de um dia deixar de esperar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário