segunda-feira, 19 de outubro de 2009

About unrequited love.

Não me deixe sufocar aqui imersa em auto-piedade.
Pelo menos você nunca disse que ia ficar aqui pra sempre, você não me enganou...
E se eu não consigo parar de pensar em algo que eu nunca vi, talvez eu devesse ver pra pensar, mas é simplesmente difícil demais te alcançar, não é?
E cada pequeno detalhe que eu não consigo esquecer agora me faz perder a compostura e a respiração...
Seriam só negócios, babe, se a gente não inventasse de meter o corãção no meio...
Nada pode ser tão doce. Nós não poderíamos querer nada mais do que um ao outro pra se completar, pelo menos isso podia dar certo.
Eu sei que você teve alguém antes que te fez mal, pra mim isso parece tão natural que estranho é você me fazer tão bem.
Você é esquisito, eu cheiro a beterraba e você é alérgico.
A Lua lá fora está minguante, eu me sinto assim longe de você.
Eu consigo imaginar suas mãos sobre aquele piano, eu consigo imaginar você me tocando, mas é em vão.
Quando mais você foge de mim, mais meus pés ficam fora do chão.
Nós somos almas gêmeas que não se suportam, que não sabem se controlar.
Eu odeio que você torne difícil pra mim te amar.
Você entenderia se estivesse aqui agora.
Você é o único que me entenderia.

2 comentários:

  1. Tu cheira a beterraba?! oO

    "Nós somos almas gêmeas que não se suportam, que não sabem se controlar.
    Eu odeio que você torne difícil pra mim te amar.
    Você entenderia se estivesse aqui agora.
    Você é o único que me entenderia."

    Adorei, babe (:

    ResponderExcluir
  2. é que eu tinha acabado de comer arroz com beterraba xDD

    ResponderExcluir