sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

You have me forever, babe, but you'll lose me if you call this love.

Ele olhou para mim naquela tarde ensolarada cobrando uma resposta de mim naquele momento.
- Você me beijou. - Eu disse com uma cara ainda cética.
- Sim. Eu beijei você. O que você fará em relação a isso?
- Você perdeu a cabeça, perdeu o controle. Não é como se você me amasse. Foi desejo simplesmente, não foi?
- Não, não foi. Sempre fui apaixonado por você.
- Apaixonado? Por mim? - Eu não podia impedir o riso até que eu assisti-lo me olhar estático.
- Eu estou falando a verdade. Eu amo você, Cécile.
- Então me explica o que é esse amor, Michel.
- Eu não vou saber te explicar, Cécile.
- Então é por que o que você sente não é amor.
- É amor. Por Deus. É amor!
- O que é amor, Michel?
- Isso que eu sinto, Cile. Essa vontade de estar com você, essa necessidade de te ver feliz, essa estúpida mania de só pensar em você, no seu rosto, na maneira como você fala e canta. É isso, Cile.
- Amor? Isso é amizade. Você não vê?
- Isso não é amizade, Cile. Não quando meu coração se parte em pedaços quando você não está perto, não quando eu sofro com a idéia de não poder te amar como eu quero, não é amizade, Cile, por Deus! Não quando tudo o que eu quero é beijar seus lábios, é ter pra mim seu corpo, sua alma. É saber que nada no meu futuro vai ser fácil, mas que você é a pessoa que eu quero que veja tudo o que eu vou passar. É, saber, Cile, que eu vou te magoar e te decepcionar muitas vezes, mas nunca intencionalmente. Eu não sou mais um cara na sua vida, Cile. Eu sou aquele com quem você vai querer estar. Isso por uma única razão, meu amor. Por que isso não é amizade, isso é amor. Genuíno. É algo que machuca lá dentro e só você poderá curar a mim e eu a ti.
- Você está dizendo então que o amor é uma dor? Uma ferida profunda na alma, uma necessidade de compartilhar o que somos com outro alguém até o fim?
- Sim, Cile. Isso pra mim é amor.
- E é isso o que eu causo em você?
- Sim. Por isso eu te beijei.
- E me perguntou o que eu faria sobre isso, certo?
- Certo.
- Michel, nós somos melhores amigos há anos, não somos?
- Você sabe que somos.
- Eu não arriscaria tudo isso pra sentir dor.
- Foi isso que eu imaginei.
O silêncio foi inevitável. Eles estavam sentados num banco de uma praça e muitas pessoas trafegavam na rua. Uma moça loira carregando um carrinho de bebê, crianças brincando e correndo de um lado pro outro, um casal de adolescentes apaixonados e no banco embaixo da árvore um senhor lia o jornal sem saber das dúvidas que laceravam o coração de Cécile e Michel. Foi aí que ela o olhou e se aproximou do rosto dele, tão perto que seu coração explodia dentro dela e ela podia ouvir claramente a respiração que saía do peito arfante do seu amigo. Tão perto, mais perto e finalmente o beijo.
- O que você está fazendo, Cile?
- Eu quero a segunda parte.
- Segunda parte de que?
- Eu quero dividir minha vida com você e só com você, Michel. Mas eu não quero dor. Eu quero te curar, anjo. Eu não quero sentir dor, me entende. Você sabe que eu sofri demais e o quanto eu tenho medo. E eu sei que você sente o mesmo e admiro sua coragem de ter me contado isso. Então você me tem pra sempre, meu bem, mas vai me perder se chamar isso de amor. Por que enquanto amor pra você for dor, eu não quero ser a pessoa que causa isso. E com toda a minha má sorte, eu acredito que o amor sempre acaba. A única coisa que eu não quero é te ferir. Então me promete, me promete que isso não é amor.
- Isso não é amor, eu prometo.
Ele disse e a beijou demoradamente. Quando o beijo cessou, ele estava acariciando o rosto dela enquanto ela gentilmente repousava a cabeça no ombro dele. Era como eles fariam pra sempre dali em diante.

[Estou romântica hoje, folks. E ia postar em francês mas o google traduz estranhamente, entonces não o fiz. u.u]

5 comentários:

  1. Il m'a regardé dans cet après-midi ensoleillé exigeant une réponse de moi à ce moment-là.
    - Vous me baisa. - Je l'ai dit avec un visage encore incrédule.
    - Ouais. J'ai embrassé vous. Que voulez-vous faire à ce sujet?
    - Vous avez perdu la tête, a perdu le contrôle. C'est no comme si tu m'aimes ou quoi que ce soit. Souhaite simplement, n'est pas?
    - Non, il ne l'était pas. J'ai toujours été en amour avec vous.
    - En amour? Avec moi? - Je ne pouvais pas arrêter de rire jusqu'à ce que m'a regardé lui chercher statique at moi.
    - Je parle de la vérité. Je t'aime, Cécile.
    - Alors, j'ai expliqué ce qu'est l'amour, Michel.
    - Qu'est-ce que je ressens, Cile. Ce sera toujours avec vous, ce besoin de vous voir heureux, de cette habitude stupide de penser que de vous, de votre visage, votre façon de parler et de chanter. C'est Cile.
    - Amour? C'est l'amitié. Vous ne voyez pas?
    - Ce n'est pas l'amitié, la Cile. Pas quand mon coeur est en morceaux à partir du moment où vous n'êtes pas à proximité, et non pas quand je n'ai pas l'idée de ne pas vous aimer comme je veux, n'est pas l'amitié, Cile, par Dieu! Pas quand tout ce que je veux est embrasser tes lèvres, je avez de votre corps, votre âme. Vous savez que rien dans mon avenir sera facile, mais vous êtes la personne que je veux voir tout ce que je vais passer. Il est, à savoir le Chili, je vous blesser et vous décevoir parfois, mais jamais intentionnellement. Je ne suis pas un gars dans votre vie, Cile. Je suis un avec qui vous voulez être. Cela pour une raison, mon amour. Pourquoi ne pas l'amitié, c'est l'amour. Authentique. Ça fait mal l'intérieur et vous seul pouvez me guérir, et je vous.
    - Voulez-vous dire alors que l'amour est une douleur? Une profonde blessure dans l'âme, un besoin de partager ce que nous sommes avec quelqu'un d'autre jusqu'à la fin?
    - Oui, Cile. Pour moi, c'est l'amour.
    - Et c'est ce que j'ai causé vous?
    - Oui. donc pourquoi je vous l'embrassa.
    - Et m'a demandé ce que je pourrais faire à ce sujet, non?
    - Okay.
    - Michel, nous sommes les meilleurs amis pendant des années, nous ne le sont pas?
    - Vous savez qui nous sommes.
    - Je ne vais pas tout ce que vous ressentez de la douleur.
    - C'est ce que j'ai imaginé.
    Le silence était inévitable. Ils étaient assis sur un banc dans un square du trafic et de nombreuses personnes dans la rue. Une jeune fille blonde, poussant un chariot de bébé, des enfants qui jouent et la gestion d'un pro un autre côté, un couple d'adolescents dans l'amour et dans une banque en vertu de l'arbre que vous lire le journal sans le savoir les doutes qui déchirent le cœur de Cécile et Michel. C'est alors qu'elle s'est approché et a regardé dans son visage, si près de son coeur a explosé intérieur et elle peut clairement entendre son souffle à venir arfante la poitrine de son ami. Si proche, plus proche et le baiser.
    - Que faites-vous, Cile?
    - Je veux que la deuxième partie.
    - Deuxième partie de...?
    - Je veux partager ma vie avec vous et vous seul, Michel. Mais je ne veux pas la douleur. Je tiens à vous guérir, ange. Je ne veux pas ressentir de la douleur, je veux dire. Vous savez, j'ai eu aussi et que j'ai peur et je sais que vous sentez la même chose. Et admirons votre courage à me l'ont dit. Ensuite, vous avez pour moi jamais, mais je perd si appelé l'amour. Pourquoi aimez-vous alors que vous êtes la douleur, je ne serai pas la personne qui lui causer. Et avec tout mon malheur, je crois que l'amour finit toujours. La seule chose que je ne veux pas vous blesser. Donc, je le promets, je promets que ce n'est pas l'amour.
    - Ce n'est pas l'amour, je le promets.
    Il a dit et l'embrassa longuement. Quand le baiser pris fin, il a joue son visage car elle repose doucement la tête sur son épaule. C'était comme ils ont toujours le faire par la suite.

    ResponderExcluir
  2. "É saber que nada no meu futuro vai ser fácil, mas que você é a pessoa que eu quero que veja tudo o que eu vou passar."
    Ohh, cara, adorei isso! *o*

    "Eu sou aquele com quem você vai querer estar."
    Nossa, fala sério, arrasou nessa frase! Isso aê, confiança até dizer "chega"! o.ó

    Maandy, o texto está lindo! Já pude imaginar pelo menos o 'rascunho' dessa longa história, só pelo que você escreveu.
    Gostei mesmo, mas, pra ser mais sincera, gostei mais até a parte da pergunta da Cécile, especificamente (falando pra ele prometer que isso não era amor; que a propósito, foi maravilhosa essa proposta de promessa!).
    Talvez seja por que eu prefira casos ou fins dramáticos, ou algo do tipo, mas enfim, a história é sua... :] (só deixando minha opinião aqui, hehe).

    Só uma perguntinha: Por que Cécile? Algum motivo em especial?

    Geente, e não é que ela postou em francês também?! o.o
    xD

    ResponderExcluir
  3. Cécile é o nome que eu quero dar pra minha filha. Cecília, na verdade. Tem origem francesa e significa aquela que enxerga em meio ás trevas. Achei forte e apropriado.
    x)

    Que bom que você gostou mesmo que eu tenha adicionado algumas melosidades, né, Dressa?
    Mas não é pq ficou meloso que não ficou triste também.
    Anyway...
    Veio num fechar de olhos essa história, até contei pra Tam.
    Te amo, Dressa.
    <3333

    ResponderExcluir
  4. Gente... q coisa linda ^^
    Kramba.. mana vc tem um dom viu
    AMEI!!!
    Mas mto meloso XD

    ResponderExcluir
  5. Nossa. Meloso nada. É o tipo de meloso que eu quero pra minha vida, fikdik.
    Ficou perfeito. Me identifico com a Cécile porque ela é francesa.
    HAUSHASUASHUASHASUSAHAUHSAU

    Ficou lindo, perfeito, mara.
    AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHH! @_@~
    Quando eu crescer quero ser que nem você. =D

    ResponderExcluir