sábado, 5 de abril de 2014

Mas você sabe, não é? Claro que sabe.
Tente o quanto quiser, engane quantos puder, você não pode me apagar de você. 
Em algum lugar no tempo, ainda estamos lá, só nós dois, jovens e inconsequentes fingindo que a vida não passa de uma tarde em um estacionamento abandonado fumando cigarros, deitados no banco traseiro de um carro apertado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário